Macaibenses participam de edição do Conexão Direta que homenageou Tavares de Lyra

Em prosseguimento ao novo ciclo de audiências públicas promovidas pela Corregedoria Geral de Justiça (CGJ) para debater o funcionamento do Poder Judiciário do Rio Grande do Norte, a Comarca de Macaíba recebeu, na tarde desta quinta-feira (22), no Auditório do Fórum Municipal Ministro Tavares de Lyra, a segunda Audiência Pública realizada pelo Órgão em 2018.

O primeiro Conexão Direta deste ano foi realizado às 10 horas da última terça-feira, (20), no auditório do Fórum Municipal Desembargador José Humberto Barbalho, na Comarca de Santo Antônio. O programa que busca promover o acesso e a melhoria da comunicação entre a população e o Judiciário nas comarcas do Estado.

Na Comarca de Macaíba, antes de iniciar a Audiência Pública, a memória do ministro Augusto Tavares de Lyra (1872-1958), que dá nome ao Fórum Municipal, foi homenageada com a aposição de uma placa. A corregedora geral de Justiça, desembargadora Maria Zeneide Bezerra, destacou a importância de se preservar a memória de um personagem ilustre para a sociedade potiguar. Tavares de Lira foi um expoente de prestígio na política potiguar, tendo sido governador do Estado, senador e ministro da Justiça e Negócios Interiores do governo Afonso Pena e ministro da Viação e Obras Públicas no governo de Venceslau Brás.

“A memória é um dos alicerces que dão sentido à vida, entendida como elemento fundamental na formação da identidade cultural, individual e coletiva, na instituição de tradições e no registro de experiências significativas, deve ser valorizada. Preservar a memória de uma sociedade não significa atrelá-la ao passado e impedir o seu desenvolvimento, mas sim conservar seus pilares constituintes a fim de não perder conhecimentos e identidades, além de propagá-la para o futuro.

Sobre a homenagem concedida, ela afirmou: “A história deste fórum, inaugurado em 1987, traz em seu nome uma homenagem ao filho do senhor Feliciano Pereira de Lira Tavares e dona Maria Rosalina de Lira Tavares, ilustre filho desta terra, Augusto Tavares de Lira. (…) A aposição desta placa, doada por Dr. Francisco Anderson Tavares de Lyra, aqui representando toda a família do homenageado, imortaliza, portanto, sua história e importância às futuras gerações”, comentou.

Macaibenses

A audiência pública contou com a participação de um público bastante heterogêneo, o que demonstra a importância e o interesse que eventos deste tipo vêm despertando no meio social por onde é promovido. No Auditório do Fórum Municipal, a plateia contava com a presença de juízes, advogados, defensores públicos, professores, empresários, trabalhadores, líderes sindicais, acadêmicos, jornalistas e servidores da Comarca.

A Corregedora falou sobre a melhoria na prestação jurisdicional tão buscada pelo Judiciário potiguar: “Temos trabalhado muito para que nossos serviços se tornem de excelência. Trabalhamos juntos: Presidência, Corregedoria, juízes e servidores, de forma que a resposta que o jurisdicionado tanto clama, graças a Deus, estamos conseguindo dar e mudar esse quadro. Hoje somos primeiro lugar em produtividade, mudamos os resultados em pouco tempo, com poucos recursos, mas com muito trabalho”, comemorou.

Entre as autoridades presentes estavam: a juíza diretora da Comarca de Macaíba, Viviane Xavier Ubarana; os juízes Felipe Luiz Machado Barros e Lilian Rejane da Silva; o juiz auxiliar da Corregedoria, José Undário Andrade; o coordenador das Promotorias de Justiça de Macaíba, Morton Luiz Faria de Medeiros; além de outras autoridades locais.

510EEBBF-05D1-480F-A836-F6747FC8F9EB
O comunicador Mário Henrique perguntou se com a nova política na qual as varas judiciais têm feitos diversas atividades, a população poderá sentir um efeito positivo no dia a dia. A resposta veio do juiz Felipe Barros. Ele explicou que com certeza mas neste primeiro momento é hora de adaptação para todos. “Juízes e servidores estão se atualizando em relação às várias matérias com as quais têm de lidar, o que irá resultar em maior produtividade no julgamento de processos e no atendimento à população”, enfatizou o magistrado.

FBA8B270-BD04-430B-8224-667A36C3891C

“Como cidadão, fiquei muito feliz porque em um momento tão conturbado vivido pelo país, o Judiciário, vi nas redes sociais, na mídia, um convite para que a população viesse aqui para ser ouvida”, enfatizou a professora Nilbaneide Palhares. Ela acrescentou perante o público presente: “como cidadã, fiquei muito feliz”.

Informações e fotos do site do TJRN 

Administrador

Deixe uma resposta