Arquivos


O Instituto Tavares de Lyra comemora os 160 anos da Casa Fabrício & Cia., em Guarapes, Macaíba/RN, com uma imagem feita no jardim direito que existia na casa grande, onde aparecem: Em pé: Sérgio Luís Carlos de Albuquerque Maranhão, Joaquim Cipião, Pedro Avelino. Sentados: Petronila Pedroza, Pedro Velho, Débora Carolina, Amaro Barreto Filho, Adelino Maranhão e Augusto Severo, 1882.

Fonte: Instituto Tavares de Lyra (via Facebook)


Uma moto tipo HONDA-POP, VERMELHA e de PLACA: OWE-9316, foi tomada de assalto nesta quinta-feira (31), por volta das 18h30, na BR-226, logo depois do ASFARN, sentido Mangabeira. De acordo com informações repassadas ao site, o veículo foi roubado por dois homens armados que estavam em uma moto preta,  fugiram no sentido Macaíba.

Qualquer informação sobre o paradeiro da moto, ligar para o 190.

Os Policiais Civis do Rio Grande do Norte recusaram uma proposta apresentada pelo Governo do Estado, nesta quinta-feira, 31. A categoria se reuniu e decidiu não aceitar o plano criado pela equipe do Executivo. Com isso, ficou deliberado por uma assembleia com indicativo de paralisação na próxima segunda-feira, 4.

Todos os agentes e escrivães devem se concentrar na sede do SINPOL-RN, a partir das 8h da segunda. Na ocasião, vão deliberar se paralisam as atividades.

“Infelizmente, esgotamos o prazo firmado em um termo de compromisso assinado pelo Governo que estabelecia este dia 31 de outubro como limite para conclusão dos trabalhos, objetivando envio de um projeto para Assembleia Legislativa. Porém, a proposta apresentada hoje não foi criada levando em conta os pleitos apresentados pelo SINPOL-RN. A categoria entendeu como desrespeito e decidiu rejeitar por unanimidade”, comenta Nilton Arruda.

De acordo com o presidente do sindicato, os policiais civis deliberaram por exigir, a partir de agora, a presença da governadora Fátima Bezerra. “O prazo acabou e, agora, é uma questão de vontade política. Os secretários já deixaram claro que não podem avançar mais. Então, ou a governadora assume a responsabilidade do cargo que ocupa e passa a negociar pessoalmente conosco ou infelizmente a mobilização terá continuidade”, completa.

SINPOL-RN

Desde 2012, o Grupo de Estudos em Solos (GESOLO) vem trabalhando com a temática “Gestão de Resíduos Orgânicos”, iniciando as atividades a partir da implantação do Setor de Compostagem da Escola Agrícola de Jundiaí. Essa preocupação se deve, principalmente, em função de órgãos e entidades da administração pública federal direta e indireta terem como obrigatória a separação de resíduos recicláveis descartados, na fonte geradora, e a sua destinação às associações e cooperativas dos catadores de materiais recicláveis, a partir da Lei 12.305/2010 (Política Nacional de Resíduos Sólidos).

Dentre as várias formas de reciclagem dos resíduos orgânicos pode- se destacar o processo de compostagem como uma das mais eficientes em se obter o composto orgânico, produto final deste processo. A gestão de resíduos pode reduzir milhares de toneladas de lixo enviados para os lixões e/ou aterros sanitários, atenuando a poluição da água e do solo, efeito estufa, servindo como um exemplo para inspirar o pensamento ambiental consciente por parte da sociedade.

Destaca-se a oportunidade de a Universidade servir de exemplo, contribuindo com a gestão de resíduos fora do ambiente universitário, como Associações Comunitárias e Escolas de ensino fundamental e ensino médio. Portanto, o presente trabalho terá como objetivo ampliar, acompanhar e implantar a gestão de resíduos orgânicos em diferentes ambientes: Universitário (EAJ-UFRN), Comunitário (Associação de moradores) e Escolar (Escola Municipal Luiz Carlos Guimarães), por meio do processo de compostagem.

Sendo assim, o referido projeto busca viabilizar o gerenciamento de resíduos de maneira correta como determina a Lei 12.305/2010 (Política Nacional de Resíduos Sólidos) “a gestão de resíduos precisa assegurar o reaproveitamento e reciclagem máximos, bem como a redução dos rejeitos — que são os materiais que não apresentam viabilidade técnica e econômica para o processo de reciclagem. Cada gerador se responsabiliza pelos resíduos produzidos, os quais devem ser segregados na fonte.” E com isso, minimizar os efeitos negativos dos mesmos no meio ambiente. Ler mais…


Após notificação da Prefeitura de Macaíba cobrando da Companhia de Águas e Esgotos do Rio Grande do Norte (CAERN) agilidade nos serviços e obras relacionados à reparação de diversas ruas do centro que foram danificadas depois da realização de obras de instalação/ampliação das redes de esgoto, a recuperação asfáltica já está sendo feita, o que irá por fim aos recentes transtornos que motoristas e pedestres têm enfrentado.

A notificação foi elaborada após as reivindicações populares que estavam sendo dirigidas à Prefeitura, sendo que a responsabilidade pela execução desses serviços é da referida companhia.

Nesta quinta-feira (31/10), a Rua Doutor Pedro Velho foi contemplada, assim como a Travessa Coronel Batista, e a previsão é que as outras vias que também têm sido alvos de reclamações no município recebam reparos nos próximos dias.

Foto: Márcio Lucas

Assecom-PMM


O Governo do Estado apresentou proposta para reestruturação da carreira dos policiais civis em reunião realizada nesta quinta-feira (31) com membros da diretoria do Sindicato dos Policiais Civis e Servidores da Segurança Pública do Rio Grande do Norte – Sinpol-RN. A proposta apresentada pelo Governo considerou os seguintes pontos: verticalização da carreira e diminuição do interstício de promoção na carreira de cinco para três anos, iniciando a implantação a partir de março de 2020.

O Governo ressalta o diálogo constante que mantém com a categoria nessa negociação, a dificuldade para atender o pleito e enfatiza que apresentou a proposta que é possível assumir nesse momento tão difícil nas finanças estaduais.

A proposta apresentada na reunião será submetida para avaliação da categoria em assembleia que acontecerá hoje no final da tarde. Caso aprovada, o Governo se comprometeu a enviar o projeto de lei para a Assembleia Legislativa até o próximo dia 18 de novembro.

Participaram da reunião a secretária da administração, Virgínia Ferreira, o secretário-chefe do Gabinete Civil, Raimundo Alves, a delegada-geral, Ana Cláudia Saraiva, além de membros da equipe técnica.


2020 ainda não chegou, mas a temperatura do debate político está forte em Macaíba. Em uma publicação, o pré-candidato a prefeito pelo PT, Cícero Militão foi agredido em razão de sua orientação sexual. Vemos que o ódio, a intolerância, o sexismo, a homofobia tem sido fortemente exposta nos debates. Há uma possibilidade desse debate ser a tônica da campanha municipal do próximo ano. A sociedade está doente, e essas expressões são reflexos disso! Homofobia é crime precisa ser combatido e punido de acordo com a lei. Devemos construir uma sociedade onde homens e mulheres se respeitem para além de suas diferenças, e não vejo isso se não no âmbito da educação e da cidadania plena dos indivíduos.

O vice-presidente Hamilton Mourão sancionou lei que prevê que os exames para diagnóstico de câncer devem ser realizados no prazo de 30 dias, após a primeira suspeita do médico, pelo Sistema Único de Saúde (SUS). A medida, publicada hoje (31) no Diário Oficial da União.

Ela foi assinada ontem (30) por Mourão quando o vice ainda estava no exercício da Presidência, por ocasião da viagem do presidente Jair Bolsonaro.

O dispositivo altera a Lei 12.732/2012 que prevê 60 dias entre o diagnóstico e o início do tratamento do câncer em pacientes do SUS.

O texto foi aprovado pelo Senado no dia 16 de outubro e é fundamentado no fato de que o tempo de identificação da doença impacta no tratamento e na chance de cura do paciente.

Da Agência Brasil

A Segurança Pública será tema de discussão na manhã da sexta-feira (1), às 9h, na Câmara Municipal de São Gonçalo do Amarante. A audiência pública, proposta pelo deputado Francisco do PT, tem como foco buscar soluções para a situação no município, que apresenta altos índices de violência e é uma das mais importantes do Estado.

Situado na Região Metropolitana de Natal, São Gonçalo do Amarante é o quarto maior município do Rio Grande do Norte e tem grande importância para a economia do RN. Contudo, nas últimas duas décadas, a cidade observa o crescimento populacional e econômico serem acompanhados pela elevação nos índices de insegurança, inclusive de violência.

“É para debater e encontrar soluções para esse gravíssimo problema que requeremos a audiência pública, na expectativa que contribua para amenizar a qualidade de vida de milhares de norte-riograndenses que vivem nesse município”, explica Francisco do PT.

Em agosto deste ano, o Atlas da Violência publicou levantamento referente a 2017, onde São Gonçalo do Amarante foi apontada como a terceira cidade mais violenta do Brasil proporcionalmente, ficando atrás somente de Maracanaú, no Ceará, e Altamira, no Pará. A cidade potiguar apresentou taxa de 132,2 homicídios para cada grupo de 100 mil habitantes. Na opinião de Francisco do PT, para solucionar a situação é preciso um esforço conjunto do poder público, sociedade civil e demais setores da população.

Para o encontro foram convidadas autoridades das áreas de segurança pública do Rio Grande do Norte e do município, além de deputados estaduais e parlamentares do município, que irão discutir alternativas e necessidades para a melhoria no quadro.

A Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) realiza na próxima quinta-feira, 7, o evento UFRN Aberta, que busca reforçar o compromisso com a transparência e a promoção da participação social. O evento acontece a partir das 9h, na Superintendência de Comunicação (Comunica), onde o reitor José Daniel Diniz Melo receberá os jornalistas do estado para fazer um balanço dos 100 primeiros dias de gestão, apresentar os pontos de destaque da universidade e mostrar as ações planejadas para os próximos anos.

A programação inclui uma visita ao Departamento de Comunicação (Decom-UFRN) e à Comunica, onde os visitantes terão um panorama sobre a comunicação da instituição de ensino. De acordo com o superintendente de Comunicação da UFRN, Sebastião Faustino, a iniciativa tem a intenção de mostrar um pouco do que a UFRN faz nas diversas áreas de atuação, além de se aproximar mais da imprensa e estreitar os laços com a sociedade.

Os profissionais da comunicação interessados em participar do encontro devem confirmar presença até 5 de novembro, enviando nome completo do profissional e do veículo de comunicação, além do contato telefônico, para o e-mail confirme@reitoria.ufrn.br.

ASCOM Reitoria/UFRN

FINADOS

Valério Mesquita*

mesquita.valerio@gmail.com

Algo de especial na ordem do mundo são os mortos. O maior segredo da vida é a morte. Pode vir com naturalidade nos lábios de uma criança ou escondida nas incertezas da aventura humana. O elemento essencial segue aquele princípio aristotélico de que “tudo deve ter um começo, um meio e um fim”. Qualquer travessia neste mundo não é impune. Da morte não jazem apenas destroços, choros, lamentos, que incomodam a alma. Até porque é mistério incomunicável de Deus. No livro das memórias os falecidos podem ser esquecidos mas nunca os seus nomes. Meus olhos têm a fome da saudade. Porque na epifania eles serão lembrados, mesmo em andrajos saídos das urnas escuras do sono demente.

Em Macaíba, o velho cemitério de São Miguel, é o guardião triste da população e da anistia dos pecados. Lá sempre visito e revisito os meus mortos, parentes e amigos. Pelas alamedas leio as lápides, principalmente as antiquadas, para revolver na mente os vultos ancestrais habitando a cidade. Restituem-me as casas senhoriais, os hábitos, as roupas, os folguedos, as festas, tudo lírico, romântico, calmo e sem pressa. Auta de Souza tecendo versos ali perto do rio Jundiaí. Henrique Castriciano de fraque e gravata borboleta, à passos largos caminhando em direção ao cais para não perder a lancha com destino a Natal. Calçadas e ruas atravessadas pelas figuras solenes de Tavares de Lyra, João Chaves, Alberto Maranhão e Augusto Severo. As mulheres fortes, matronas, espartanas, Senhorinha de Manoel Amaro, Marocas e Joaninha, Ana Olindina, Cacilda Mesquita, Arcelina Fernandes, Nazaré Madruga, Teresa Gomes, Luiza e Sofia Curcio, Belita Ribeiro, Zebina Alecrim e tantas e tantas outras, que vêm como fantasmas bondosos.

Sim, o cemitério é um universo multifário de loucos e de líricos, de ricos e pobres, de santos e boêmios, de todos eles importam apenas as passadas perfórmances, na alegria ou na dor, no esporte ou no carnaval. Ah, os velhos atletas do campo santo: Passarinho, Caíco, Paulo Preto, Aguinaldo, Barbosinha, Loreto e muitos outros que ainda me fazem ouvir os gritos do último gol. Os carnavalescos Zé Batata, José Ludovico, José Jeep, Ailton Feitosa, jaziam na fria lousa do esquecimento sem ruídos de cuíca e tamborim. Vendo a morte assim tão perto é inevitável a ressurreição de lembranças, das marcas e dos passos que se foram. Dia de finados é seminário de desaparecidos, procissão de relembranças, obituário de fantasmas camaradas.

Finalmente cheguei ao túmulo dos meus pais, tios, tias, avós, irmão e filho. Algo esquisito percorreu-me o corpo. Todo aquele que é sensível, emocional, capta sinais. Ali em frente dormia os restos de minha mãe, a última a ser ali sepultada. Senti imensa e incontrolável comoção. Ao redor, todos cumpriam o mesmo ritual, a mesma liturgia, que só vai acabar com o mundo. Não somente preces, nada mais, restam aos mortos. Não apenas a solidão, inexprimível, incurável e eterna. O dia de finados, hoje, é mais para advertir aos vivos do que para lembrar os mortos. Se cada um que visitasse o cemitério repetisse a frase que “eu serei você amanhã”, o mundo seria melhor. Bem melhor. De volta à rua da Cruz, o último olhar para a casa de Joanete Moura como se ainda a ouvisse sentenciar sobre o toque plangente de finados vindo do sino da Matriz tangendo um enterro para o cemitério: “Quem terá sido o triste da pancada do sino?”.

(*) Escritor.

Crédito da Foto: João Gilberto

Em pronunciamento durante a sessão plenária desta quinta-feira (31), na Assembleia Legislativa, o deputado Hermano Morais destacou índices do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (CAGED), estudo mantido pelo Ministério do Trabalho, que apontam a criação de novos postos de emprego no Rio Grande do Norte.

“Mensalmente faço questão de frisar aqui na Casa os índices registrados pelo CAGED. Apesar dos problemas que o estado enfrenta, à exemplo do atraso no salário dos servidores públicos, verificamos que nos últimos meses tem havido uma melhora gradual no número de novos empregos no Estado”, disse Hermano.

De acordo com os dados apresentados pelo deputado, o mês de setembro desse ano registra os melhores índices desde 2013, com a criação de 2400 vagas de trabalho oriundas, sobretudo, da agricultura. “Demonstra que a economia vem se recuperando, mesmo que ainda lentamente”, observou.

Proedi

Ainda em pronunciamento, o parlamentar também se posicionou quanto ao entrave entre prefeitos e empresários potiguares em torno do Programa de Estímulo ao Desenvolvimento Industrial do Rio Grande do Norte (Proedi). Hermano defende um entendimento consensual para a situação. “O programa é uma boa solução para a geração de emprego e renda no Estado, mas os municípios devem ser compensados proporcionalmente nessa fase de transição”, declarou.

A taxa de desocupação no Brasil fechou o trimestre móvel encerrado em setembro em 11,8%, uma leve queda em relação tanto ao trimestre anterior, finalizado em junho, quando 12% da população estavam sem trabalho, quanto ao trimestre que acabou em setembro do ano passado (11,9%).

Os dados foram apresentados hoje (31), no Rio de Janeiro, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e fazem parte da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad Contínua).

O contingente de desocupados soma 12,5 milhões de pessoas, uma diminuição de 251 mil pessoas. Já a população ocupada atingiu 93,8 milhões, um aumento de 459 mil pessoas.

A população fora da força de trabalho permaneceu estável, com 64,8 milhões de pessoas. Já a taxa de subutilização ficou em 24%, uma redução de 0,8 ponto percentual em relação ao trimestre anterior, somando 27,5 milhões de pessoas que gostariam de trabalhar mais horas do que atualmente.

A população desalentada, que são pessoas que desistiram de procurar trabalho, soma 4,7 milhões de pessoas, um recuo de 3,6%.

Da Agência Brasil