Descrição do autor

Administrador2

faixa-presidencial-600x337

No sábado passado, a assessoria de Dilma foi surpreendida com reportagem da IstoÉ citando o desaparecimento de itens do patrimônio da presidência da república, segundo auditoria inconclusa do TCU.

Na semana anterior, Jorge Bastos Moreno, no Globo, publicou o sumiço de uma cabeça de cervo dado a Dilma pelo governo búlgaro. A assessoria preparou duas notas, publicadas no site Dilma.com.br, com esclarecimentos.

Ainda no sábado, a Veja publicou a história de que a faixa presidencial havia desaparecido. Na segunda, funcionários foram atrás da história.

O antigo chefe do cerimonial de Dilma, embaixador Renato Mosca, disse que a faixa estava guardada, junto com a joia, na antiga sala dele. E que testemunhas viram quando ele mostrou ao sucessor onde estava guardada.

A essa altura, o Planalto já havia passado a informação do desaparecimento para a grande imprensa. Trataram do desaparecimento como escândalo. A assessoria de Dilma disse aos repórteres que pediria medidas legais cabíveis para apurar o desaparecimento.

O Planalto soltou nota anunciando a abertura de sindicância para apurar responsabilidades. Na terça, o Alvorada descobriu que a faixa estava lá, mas sem a joia.

Que reapareceu na quarta, “descoberta” por um faxineiro na sala do chefe do cerimonial de Temer. Ou seja, era um factoide. Feito por determinação do Planalto para desmoralizar a titular.

Um acinte à inteligência. O Alvorada considera o episódio patético e “uma molecagem típica de Geddel Vieira Lima”. Depois da demissão de garçons, do cerco ao Alvorada, do corte do avião para Dilma, do cartão alimentação era o que faltava para mostrar em que nível o governo interino age e funciona: mesquinharia total.

Paulo Nogueira/DCM

Site de notícias potiguar, segue o script das grandes cadeias de comunicação que são partidárias e manipulam a notícia para manter a falsa ilusão que Lula e o PT, estão mortos. Num esforço que encontra ressonância nas vozes entaladas pelas quantidade de baboseiras que os, ” deve ser por causa das coxinhas”, seguidores do Fora PT e Volta Forças Armadas, as redes sociais desses compradores de ilusões, replicaram em várias delas uma foto feita duas horas antes do inicio da convenção do Partido dos Trabalhadores, na qual o Ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, seria uma das atrações.

65ie5i-640x428

FOTO DAS REDES SOCIAIS

O Senadinho Macaíba, sabe que o côco é seco e quem quiser dar uma de falar besteira, invente de achar que o PT tá morto, tá lascado, tá isso, tá aquilo. O PT não precisa da opinião dos que acham que ele morreu, porque o Partido não vive da opinião dos que acham que sabem o que é Política. O PT fala a linguagem das ruas, não das Redes, não se esconde nos gabinetes e nos shoppings. Por isso é bom não passar atestado de entalado antes do tempo, ou das eleições, pois o único lugar que o PT tá morto, é na pauta dos baba-ovo da imprensa Golpista.

foto convenão 2

foto convenão 3

foto convenão 4

foto convenão

fotos  Elias Medeiros e Lucas David Albino

Nesta Madrugada, (18/04) o CDP de Macaíba, contabilizou sua primeira falha, no cumprimento de sua Missão maior, que é manter em regime de detenção, infratores que cometeram crimes e cumprem prisão provisória. Mesmo com forte sistema de câmeras, celas que ficam na parte superior do prédio, a inviolabilidade da Unidade, foi quebrada. Quatro presos fugiram.

Nas Redes Sociais, estão sendo compartilhadas as fotos de três fugitivos, que são eles:

IMG-20160418-WA0035

IMG-20160418-WA0036

IMG-20160418-WA0037

 

 

20160416052904
Mais um caso de atropelamento envolvendo um ciclista na Rota do Sol, foi registrado nas primeiras horas da manhã deste sábado (16).
Segundo informações que chegaram ao blog, o ciclista, identificado como Raimundo Furtado Neto, funcionário da UFRN, foi atropelado por um veículo, uma Fiorino branca, de placas JJL7131,  próximo ao estádio Frasqueirão. Raimundo não resistiu aos ferimentos e morreu.
ciclista2
Blog BG

12990938_872688399507627_1528623071109784003_n

Como votar em Vereadores e Prefeitos que tenham nos seus Palanques, esses Senhores acima? Você ouviu como declararam seus votos? É assim que seus vereadores e Prefeitos, votam: Pela Minha Mulher, Pela minha Familia, Pelo eu Filho, Pelo Meu Salário, Pela minha Ajuda de Custo, Pelo Minha Imunidade Parlamentar, Pela Minha, Pela Minha, Pela Meu, PELO MEU… Não esqueçam, eles virão em breve a Macaíba, pedir seu voto.

Leitor Senadinho

zenaide

A Deputada Federal Zenaide Maia, marcou seu território perante sua posição contra o Golpe dado neste domingo contra a Democracia. Recém chegada ao cenário político, pelo voto popular, Zenaide escreveu na sua biografia um dos capítulos permitirá andar e olhar seu eleitorado, nos olhos e permitir que seus assessores, não sejam hostilizados com a pecha de traidores da democracia. Como se dizia nas redes sociais, será um 7 x 1, relembrando a derrota que o Brasil sofreu frente ao time Alemão na última Copa, Zenaide pode com orgulho bradar aos 4 cantos do RN, Sou a única a favor do Povo, e agora vocês já sabem quem os representa em Brasília.

Redação Senadinho

O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Ricardo Lewandowski, afirmou na madrugada desta sexta-feira (15) que atos imputados à presidente Dilma Rousseff no processo de impeachment em curso no Congresso poderão ser contestados na Corte. Com isso, os ministros poderão analisar, por exemplo, se as chamadas “pedaladas fiscais” são crime.

Lewandowski se manifestou ao final de um julgamento de mais de sete horas sobre como será a votação do impeachment no plenário da Câmara. O Supremo decidiu manter a ordem e a forma como a Câmara definiu que será a votação. Além disso, a Corte rejeitou pedido da Advocacia-Geral da União para suspender a sessão da Câmara que decidirá sobre o impeachment no domingo.

“Que fique essa fundamentação na ata, que acabo de explicitar, para que essa questão da tipificação possa eventualmente ser reexaminada no momento oportuno. […] Não fechamos a porta para uma eventual contestação no que diz respeito à tipificação dos atos imputados à senhora presidente no momento adequado”, afirmou Lewandowski.

A declaração do ministro deixa margem para o governo questionar no Supremo se acusações contra Dilma no processo – a prática das chamadas “pedaladas fiscais” (uso de bancos públicos para bancar programas sociais) e a assinatura de decretos de Dilma que abriram créditos incompatíveis com a meta fiscal – poderão ou não ser caracterizadas como crimes de reponsabilidade. Somente esse tipo de crime justifica o impedimento de um presidente da República.

Após o julgamento nesta sexta-feira, o advogado-geral da União, José Eduardo Cardozo, que faz a defesa de Dilma, disse ter considerado o resultado “extremamente positivo”. Apesar de o STF ter rejeitado a suspensão da votação na Câmara, os ministros fixaram que a análise pelo plenário da Câmara deverá levar em conta somente as acusações acolhidas por Eduardo Cunha – os decretos de créditos suplementares e as “pedaladas fiscais”.

Ficarão de fora, portanto, fatos relativos às investigações da Operação Lava Jato e a delação do senador Delcídio do Amaral (sem partido-MS). “De certa forma, é uma vitória, que é a delimitação clara do objeto do impeachment. Quando você tem que se defender de coisa que não sabe o que é, fica muito difícil”, afirmou Cardozo.

Após o julgamento, questionado sobre a afirmação de Lewandowski, o ministro Celso de Mello, decano da Corte, explicou que cabe ao Senado analisar se os atos imputados a Dilma caracterizam crime. “Se eventualmente a presidente entender que estará sendo lesada em seus direitos, ela poderá novamente voltar ao STF”, ressalvou o minstro.

júlio-camargo-300x199

Responsável pela delação que enredou o presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), na Operação Lava Jato, o empresário Júlio Camargo concedeu à CartaCapital sua primeira entrevista. Camargo afirmou à força-tarefa da Lava Jato ter pagado 5 milhões de dólares em propinas ao parlamentar por conta de um contrato de um navio sonda com a Petrobras.

O empresário concordou em conversar após quatro meses de negociação. Embora legalmente impossibilitado de falar sobre detalhes da delação, na entrevista a seguir ele não se furta a tratar de figuras públicas, que vão de Cunha ao senador tucano Aécio Neves (MG). O empresário também diz estranhar o fato de as investigações da Lava Jato contra integrantes da oposição não avançarem.

Abaixo, um trecho da entrevista. A íntegra da conversa estará na próxima edição de CartaCapital, que começa a circular nesta sexta-feira 15.

CartaCapitalComo o senhor interpreta as últimas ações do deputado Eduardo Cunha?

Júlio Camargo: Acho um desacato ao povo brasileiro. Entendo e respeito os ditames do Judiciário. O que me espanta é a morosidade. São muitos fatos concretos sem nenhum ação da Justiça a respeito.

CCCunha conduz o processo de impeachment.

JC: É surreal. De qualquer forma, tenho certeza, a verdade tarda, mas não falha. Vai chegar a hora do julgamento dele. Se a gente quer de fato mudar este País, o Cunha precisa ser extirpado do cenário.

CCO impeachment seria a solução para a crise?

JC: Depende do day after. Quem será o novo presidente? O “grande jurista” e vice-presidente Michel Temer tem seu nome vinculado à Lava Jato. Se o Eduardo Cunha se tornar o presidente, seria o fim da nação. Tenho 64 anos e já fui convidado para morar fora do País. Nunca pensei, mas se o Cunha assumir o governo, não haveria alternativa.

CCO sistema, como o senhor diz, sempre foi assim. Por qual motivo o PSDB e os partidos de oposição não têm aparecido nas investigações?

JC: Essa é uma das grandes perguntas. A opinião pública está desconfiada dessa falta de informação do lado dos partidos de oposição. Não há dúvida nenhuma de que a sistemática do PT foi simplesmente uma sequência. De uma maneira mais ou menos sofisticada, foi exatamente a mesma. Não saberia apontar o motivo.

CCO que o senhor me diz do Aécio Neves?

JC: Está na mesa posição do Michel Temer, hoje sob suspeição. Não votaria no Aécio de jeito nenhum.

CC – E o Lula?

JC – O Lula foi o maior presidente da história do Brasil, ninguém pode dizer nada em contrário. É uma vítima de um processo eleitoral e do sistema político. Evidentemente ele foi muito mal assessorado durante os últimos anos, cometeu falhas. Também não o considero apto a voltar à Presidência. Talvez ele e o Fernando Henrique Cardoso poderiam ser os articuladores de uma grande aliança nacional. Os dois precisariam, no entanto, se penitenciar, calçar as sandálias da humildade.

DCM

A Polícia Civil de Macaíba registrou nas primeiras horas da manhã desta Sexta-feira (15), um arrastão no bairro Ferreiro Torto.
Era por volta das 06h40m, quando 10 pessoas, incluindo estudantes, estavam em uma parada de ônibus a espera de um transporte escolar. No dado momento quatro criminosos divididos em duas motocicletas se aproximaram e anunciaram o assalto. Uma estudante informou durante uma entrevista a CONNECTTV, que os criminosos estavam vestidos com um fardamento de um empresa da região.
Ainda de acordo com á vitima, um dos assaltantes encostou a arma em sua barriga ameaçando em atirar caso alguém olhassem para os seus rostos.
As vítimas tiveram seus celulares roubados e logo em seguida procuraram a delegacia de Macaíba para registrarem o boletim de ocorrência.
 
CONNECTTV
Parabéns as vítimas, por terem vindo prestar a queixa crime, e se todos pudessem ajudar dando informações aos agentes da segurança pública, muitos crimes seriam evitados.
Trechos de três rodovias federais que cortam o Rio Grande do Norte, BRs 101/Norte, 304 e 406, foram interditados na manhã desta sexta-feira (15) por manifestantes do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST). Segundo a PRF, ainda não há confirmação para a motivação dos bloqueios, montados por volta das 8h.
Em contato com o G1, o inspetor Roberto Cabral, do núcleo de comunicação da PRF informou que barreiras foram montadas por volta das 8h no KM 162 da BR-406, na entrada da comunidade de Massaranduba, em Ceará-Mirim, e no Km 69 da BR-101/Norte, entrada para o distrito de Estivas, também em Ceará-Mirim, e também na chamada Reta Tabajara, na BR-304, em Macaíba. Os três pontos de interdição ficam na Grande Natal.
Em cada um dos pontos, ainda de acordo com o inspetor Cabral, há cerca de 50 manifestantes obstruindo as pistas com pneus e galhos de árvores.

https://youtu.be/vUXrBy4YyBs

A Frente Parlamentar Mista em Defesa da Democracia, com a assinatura de 186 deputados e de 32 senadores foi protocolada nesta quinta-feira (14) e anunciada pela presidenta nacional do PCdoB, deputada federal Luciana Santos (PE), em coletiva à imprensa no Salão Verde da Câmara. Aos jornalistas que insistiam em saber se o número era o de votos contrários ao impeachment, Luciana Santos respondeu que esse número pode ser maior, porque nem todos que são contra o impeachment assinaram o documento.

Na insistência sobre o número de votos, a deputada federal Jandira Feghali (PCdoB-RJ) disse que “se vocês querem um número, o que podemos afirmar é não há 2/3 de votos para passar o impeachment”. Ela criticou a tentativa da oposição de “criar um ambiente psicologicamente negativo, mas ele não é real”, afirmou, dizendo ainda que “não tem efeito manada, aqui não tem boi, não tem gado, tem pessoas de consciência política”.

A criação da Frente foi uma iniciativa suprapartidária da deputada Luciana Santos, presidenta do PCdoB, com o objetivo de atuar na defesa da democracia como princípio, dado o momento de grande complexidade no cenário da política brasileira, onde as instituições e a legitimidade do voto estão sendo postos em xeque.

“Essa Frente Parlamentar tem objetivo de sinalizar, para fora e dentro da Casa, sobre o significado desse impeachment. Não é qualquer fato. É uma situação institucional grave para o país, não é só disputa política. É preciso que se leve em conta o fundamento de uma iniciativa dessa natureza. Sem crime de responsabilidade, esse processo é golpe”, finalizou Luciana Santos, sendo seguida em seu discurso por vários outros parlamentares, de diversos estados, que assinaram com ela a criação da Frente Parlamentar.

O líder do PCdoB na Câmara, deputado Daniel Almeida (BA), disse que a consciência política de que o processo de impeachment da presidenta Dilma Rousseff não tem fundamento jurídico é que deve guiar os votos, anunciando que a bancada do PCdoB votará em bloco contra o golpe.

“Todos estarão em plenário para manifestar sua vontade contra o impeachment, que é um processo viciado com sucessão de manobras para tentar interferir no resultado e caracterização de um processo que não tem legitimidade jurídica e tentativa de usurpar o voto popular”, discursou Daniel Almeida.

Nesta quinta-feira (14), antes da coletiva, o líder do governo na Câmara, deputado José Guimarães (PT-CE), disse que o governo continua otimista sobre a votação. “Todos nós sabemos que as bancadas estão muito divididas. Poucos partidos já estão decididos 100%. No mais é jogada para mídia. Temos segurança do trabalho que fizemos esses dias todos. Não tem risco de termos menos de 200 a 216 votos”, garantiu.

A operadora de telefonia que executou a ordem para interceptar o ramal central do escritório de advocacia Teixeira, Martins e Advogados já havia informado duas vezes ao juiz federal Sergio Fernando Moro que o número grampeado pertencia à banca, que conta com 25 advogados. Apesar disso, em ofício enviado ao Supremo Tribunal Federal nesta semana, Moro afirmou desconhecer o grampo determinado por ele na operação “lava jato”.

Dois ofícios enviados pela Telefônica à 13ª Vara Federal de Curitiba, no dia 23 de fevereiro (quando foram determinados os grampos) e outro do dia 7 de março (quando foram prorrogadas as escutas), discriminam cada um dos números que Moro mandou interceptar. Os documentos deixam claro que um dos telefones grampeados pertence ao Teixeira, Martins e Advogados, descrevendo, inclusive, o endereço da banca.

Os documentos estão no processo que determinou a quebra do sigilo também dos telefones do Instituto Lula e de seu presidente, Paulo Okamotto; do Instituto de Pesquisas e Estudos dos Trabalhadores; bem como de Vania de Moraes Santos, Elson Pereira Vieira e Clara Ant.

Os ofícios colocam em xeque a afirmação feita por Moro em documento enviado ao Supremo no último dia 29, no qual o juiz confirma ter autorizado o grampo no celular do advogado do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, Roberto Teixeira, mas diz não saber das interceptações telefônicas do seu escritório.

(…)

medico-300x199

“Ela tem que se orgulhar”, diz presidente de sindicato sobre médica que negou atendimento a filho de petista

A pediatra que se negou atender uma criança de um ano e um mês, na Capital, porque o menino é filho de uma militante do Partido dos Trabalhadores (PT) teve o comportamento aprovado pelo Sindicato Médico do Rio Grande do Sul (Simers). Em entrevista ao Diário Gaúcho, o presidente da entidade, Paulo de Argollo Mendes, defendeu a profissional:

— Ela tem a nossa admiração — disse Paulo de Argollo, em entrevista ao Diário Gaúcho.

O caso ganhou repercussão na semana passada quando Ariane Leitão, vereadora suplente na Capital e secretária de Políticas para as Mulheres do Rio Grande do Sul durante a gestão Tarso Genro, publicou uma mensagem que teria sido enviada pela pediatra Maria Dolores Bressan.

No texto, a médica explica: “…Tu e teu esposo fazem parte do Partido dos Trabalhadores (ele do Psol) e depois de todos os acontecimentos da semana e culminando com o de ontem, onde houve escárnio e deboche do Lula ao vivo e a cores, para todos verem (representante maior do teu partido), eu estou sem a mínima condição de ser Pediatra do teu filho”.

Procurada pelo Diário Gaúcho, Maria Dolores preferiu não se manifestar.

– Declarações sobre o caso serão dadas pelo Sindicato Médico — limitou-se a dizer a médica.

Ariane denunciou Maria Dolores ao Conselho Regional de Medicina (Cremers). A médica tem 15 dias para apresentar defesa após notificação.

A seguir, trechos da entrevista do presidente do Simers:

Diário Gaúcho – Como que o sindicato vê a atitude da médica?
Paulo de Argollo Mendes – É absolutamente ética. O código de ética médico tem um artigo que estabelece como deve se dar a relação entre médico e paciente. Tem coisas muito claras. Por exemplo, se é uma urgência ou se tu és o único médico da cidade, tu atendes e ponto. Não tem condicionais, é a tua obrigação. Tu não és o único médico da cidade e o paciente tem a possibilidade de escolher outros profissionais, daí tu tens que ser honesto, tem que ser leal com o teu paciente. Se tem alguma coisa que te incomoda e que tu achas que vai prejudicar a tua relação com o teu paciente, se tu não vais se sentir confortável, se não vai ser prazeroso para ti atender aquela pessoa, tu deves dizer para ela francamente: olha, prefiro que tu procures um colega.

Diário – O médico deve atender apenas pessoas com quem ele se dá bem?
Paulo – Não, eu acho que ele deve evitar atender as pessoas que percebe que, por algum motivo, não vai se dar bem.

Diário – O senhor acha que isso pode influenciar no atendimento?
Paulo – Inconscientemente até pode influenciar. O médico sempre procurar ser o máximo possível imparcial.

Diário – O senhor já presenciou outros casos semelhantes?
Paulo – 
Eu não me recordo de um caso tão rumoroso como esse.

Diário – Isso não é comum?
Paulo – 
Não. Eu acho que, às vezes, o médico evita de ser muito direto. Acho que essa médica foi extremamente honesta.

Diário — Ela está abalada com a repercussão? 
Paulo – Não. Acho que ela está surpresa.

Diário – Positiva ou negativamente?
Paulo –
 Nem positivo, nem negativamente. Só admirada.

Diário – Ela demostra arrependimento? 
Paulo – Não. Não tem porque se arrepender. Ela tem que se orgulhar disso. Tem que se orgulhar de ter cumprido o código de ética, ter sido clara, honesta

Diário Gaúcho.

d08f78c0-b52b-4dc2-9f28-694eb324ca69

Secretário de Educação paulistano deve ser vice do prefeito na disputa pela reeleição deste ano e vai para o mesmo partido que o prefeito de Osasco, Jorge Lapas, que deixou o PT para disputar pleito

São Paulo – O secretário municipal de Educação do prefeito Fernando Haddad (PT), Gabriel Chalita, vai se filiar ao PDT, provavelmente ainda hoje (30). Ele deixa o PMDB para se manter com o prefeito e assumir o posto de vice na candidatura à reeleição municipal deste ano.

Segundo informou a Folha de S. Paulo, o secretário levará consigo ao PDT a secretária da Pessoa com Deficiência, Marianne Pinotti, e os vereadores Calvo e Paulo Frange.

No início do ano, a RBA antecipou que Chalita deveria sair do PMDB após a provável indicação da ex-prefeita Marta Suplicy (PMDB-SP) para disputar a sucessão de Haddad, o que tornou a posição do secretário insustentável no PMDB, se sua intenção fosse permanecer no governo paulistano e aliado do prefeito.

“Acho que Chalita sai do PMDB e vai para um partido pelo qual possa fazer essa dobradinha com Haddad”, apostou, na ocasião, a cientista política Maria do Socorro Sousa Braga, da Universidade Federal de São Carlos.

A ideia de Chalita compor a chapa com Haddad em 2016, trazendo os dividendos eleitorais do PMDB, foi o principal motivo político pelo qual ele aderiu ao governo de Haddad, no início de 2015. Além disso, Chalita e Haddad são amigos.

Haddad deixa o partido do vice-presidente Michel Temer, que comanda o PMDB em São Paulo, um dia após a legenda anunciar o desembarque do governo Dilma Rousseff.

Na segunda-feira (28), o prefeito de Osasco, Jorge Lapas, também oficializou sua filiação ao PDT. Ele deixou o PT e concorrerá à reeleição nas eleições municipais de outubro pelo novo partido.

Já o PMDB do RN, mamou, mamou e agora pensa que vai continuar mamando…

size_810_16_9_ministra-agriculturaCombinado na casa do Renan

A ministra Kátia Abreu (Agricultura) foi flagrada nesta quarta-feira (30), durante a cerimônia de lançamento da terceira fase do programa Minha Casa Minha Vida, no Palácio do Planalto, enviando mensagens nas quais afirma que ela e os outros cinco ministros do PMDB decidiram não deixar seus cargos no governo Dilma Rousseff.

No texto, ela afirma que a decisão foi tomada “ontem a noite” e cita o local: “casa de Renan”, numa referência à residência oficial do presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL).

A ministra diz ainda que ela e os outros cinco correligionários se licenciarão da legenda em “respeito à decisão aprovada”.

(…)

Por que não chamou o FHC Brasif e seus filhos?

Em CPI do Carf, delegado da PF não sabe explicar por que chamou Lula para falar sobre MP editada por FHC

da Assessoria de Imprensa do deputado Paulo Pimenta (PT-RS)

O delegado da Polícia Federal, Marlon Cajado, não soube explicar por que o ex-Presidente Fernando Henrique Cardoso, autor de uma Medida Provisória para o setor automotivo sob suspeita, não foi chamado para prestar esclarecimentos no âmbito da operação Zelotes. O questionamento foi feito pelo deputado federal Paulo Pimenta (PT-RS) em audiência da CPI do Carf, nesta terça-feira (29).

Pimenta fez uma série de perguntas que ficaram sem resposta. “Você chamou o ex-presidente Fernando Henrique, como autoridade da época, para explicar porque foi editada e a importância dessa Medida Provisória? Você não entendeu que era importante chamar o presidente que editou a MP original, só quem reeditou?

Sem respostas, o delegado se limitou a ficar em silêncio e a responder “não”, seguidas vezes, aos questionamentos feitos pelo deputado Paulo Pimenta.

Zelotes perde o foco das investigações, “um ano e até agora nada“

A investigação original da Zelotes surgiu para investigar 74 julgamentos suspeitos no Carf, o Conselho de Recursos Fiscais Administrativos, órgão ligado ao Ministério da Fazenda. A operação apurava sonegação fiscal, corrupção, tráfico de influência e lavagem de dinheiro em que grandes empresas, por meio de escritórios de advocacia, pagavam propina para os conselheiros do Carf anularem multas dessas empresas com o Fisco. O prejuízo estimado aos cofres públicos chega a R$ 20 bilhões.

Segundo Pimenta, houve uma mudança de rumo no meio do caminho da Zelotes. “Não se escuta mais falar nas investigações das empresas. Não se ouve mais falar na máfia do Carf. E as investigações passaram, agora, a se deter na venda de Medida Provisória?”, questionou.

Para Pimenta, “houve um corte ideológico” no episódio em que o delegado Marlon Cajado chamou o ex-Presidente Lula para prestar esclarecimentos. “Se era para as autoridades falarem sobre a Medida Provisória, todas elas deveriam ter sido chamadas. Se o presidente que reeditou tem com o que contribuir, imagina o presidente que editou a Medida Provisória, esse tem muito mais”.

Ao final da audiência, Pimenta reforçou que a Zelotes abandonou a linha de investigação contra as grandes empresas suspeitas de sonegação. Já o deputado Hildo Rocha (PMDB-MA) criticou o trabalho de investigação da operação Zelotes. “Um ano e até agora nada”, disparou contra o delegado da Polícia Federal.

No Viomundo

lamachia-600x261

O presidente nacional da OAB, Cláudio Lamachia, achou que ninguém interromperia seu show na segunda, dia 28, quando foi entregar o pedido de impeachment da entidade a Eduardo Cunha.

Um tumulto aconteceu entre grupos pró e contra o governo. Gritos de “A verdade é dura, a OAB apoiou a ditadura”, referindo-se à posição da ordem em 64, sufocaram o clássico debilóide “A nossa bandeira jamais será vermelha” (espero sinceramente que você nunca precise ser defendido por uma besta que ache normal falar isso em 2016).

Lamachia conseguiu protocolar o documento, mas sem o acompanhamento das câmeras de TV, como estava no script do seu sonho. No início da tarde, ele havia recebido um manifesto, assinado por 140 profissionais, contra sua decisão. Segundo ele mesmo, havia outros dois no mesmo teor.

Apesar do barulho e da evidente insatisfação de muitos dos membros da OAB, ele acha que “não há racha nenhum. Imputo isso a uma leviandade.”

“Tivemos uma votação do plenário do Conselho Federal apreciando um voto que tem mais de 40 folhas e tivemos, ao fim, uma decisão de 26 bancadas contra uma que votou contrária ao ajuizamento do pedido de impeachment da presidente da República. Foi uma decisão democrática, e tomada após mais de 10 horas de debate”, declarou.

Marcello Lavenère, conselheiro e ex-presidente da OAB, contou outra história para Conceição Lemes, do Viomundo. “Na reunião do Conselho da OAB, não houve decisão no sentido de que a Ordem entraria com pedido de impeachment”, afirmou.

“O tom do debate foi outro. O de abrir o processo de impeachment para se poder investigar se a presidenta cometeu crimes ou não. Quase todos se manifestaram sobre a matéria. No final, se decidiu pela aprovação do pedido para fins de investigação e não de um julgamento do processo. O julgamento final será no Senado da República”.

“Só que, infelizmente, depois das discussões, o que a OAB divulgou foi além do que foi efetivamente decidido”, diz Lavenère. Para ele, “o presidente ou a diretoria” tomou uma atitude que não foi aprovada naquele fórum.

Lamachia, um gaúcho boa pinta de 45 anos, já tinha conseguido os holofotes ao agasalhar a condução coercitiva de Lula, a respeito da qual não viu “problema algum”.

“Eu posso dizer que estou, seguramente como todos os brasileiros, também estarrecido com esse fato que hoje nós estamos vivenciando”, ironizou, referindo-se à corrupção no governo.

Preferiu a demagogia ao invés de se deter sobre a aplicação de uma medida que só poderia ser utilizada no caso do cidadão deixar de atender a uma intimação judicial.

O pedido protocolado por Cládio Lamachia é um samba do crioulo doido que foi esmiuçado pelo advogado Ivo Pugnaloni numa carta aberta. Dilma tem de ser cassada “pelo conjunto da obra” (!!???), diria mais tarde à BBC.

Mas chama a atenção a egotrip, a sua vaidade mal disfarçada — que está, afinal, na raiz de seu crime. No texto, ele dá a deixa: “Ulysses Guimarães costumava afirmar que missão não se pede. Aceita-se. Para cumprir com sacrifício, e não proveito”.

Continua: “Ao ser comunicado que a relatoria do presente feito me fora incumbida, não foi outra a frase que me veio à mente. Afinal de contas, dentre tantos notáveis que abrilhantam este colegiado e dele fazem a voz constitucional do cidadão, atribuir a mim (que tenho de idade o que muitos aqui possuem de cátedra) a relatoria de um julgamento histórico, poderia parecer algo inusitado”.

Seu compromisso é se “desincumbir desse mister com honestidade intelectual, isenção política, fundamentos exclusivamente jurídicos e extremo respeito às divergências naturais a um tema palpitante, que traz consigo a passionalidade político-partidária e ideológica comuns a uma discussão que diz respeito ao futuro da Nação.”

Em outras palavras, Lamachia aceitou esse fardo docemente constrangido, como se estivesse se sacrificando — quando, na verdade, está aproveitando uma chance de aparecer e ganhar dividendos com isso.

Se a ideia é combater a “roubalheira”, faz sentido entregar o papelório a um sujeito como Eduardo Cunha? Lamachia tomou carona num momento dramático, jogou gasolina na fogueira, mostrou a divisão na organização que preside e saiu do Congresso em seu tamanho real — qual seja, diminuto.

“É claro que a política não é o ofício da bagatela, a pragmática da ninharia. Quem cuida de coisas pequenas, acaba anão”, disse Ulysses Guimarães. “É terrível o ofício dos que dependem da opinião pública.”

Por Kiko Nogueira

 

Temer-e-Cunha-300x199

 

Da coluna de Mônica Bergamo na Folha:

Começa a ser alinhavado um acordo para livrar Eduardo Cunha (PMDB-RJ) da cassação, caso Temer assuma o governo. Ele renunciaria à presidência da Câmara dos Deputados sob o argumento de que o novo governo precisaria articular nova maioria no parlamento. Seria suspenso pelo conselho de ética, mas manteria o cargo, garantindo o foro privilegiado.

Dois ministros do Supremo Tribunal Federal (STF), Cármen Lúcia e Dias Toffoli, defenderam, nesta quarta-feira, a legalidade do processo de impeachment que tramita hoje na Câmara dos Deputados e pode culminar no afastamento da presidente Dilma Rousseff, que voltou a chamar a tentativa de retirá-la da Presidência como golpe ontem, em Brasília. A presidente já tinha feito um duro discurso na terça-feira, quando se reuniu com juristas no Palácio do Planalto.

Cármen ponderou que Dilma pode ter sido mal interpretada em sua declaração, mas afirmou que o impeachment não é golpe se a Constituição for respeitada. “Tenho certeza que a presidente deve ter dito que se não se cumprir a Constituição é que poderia haver algum desbordamento. Não acredito que ela tenha falado que impeachment é golpe. Acho que deve ter sido essa a fala dela, não vi. O impeachment é um instituto previsto constitucionalmente”, explicou a ministra do STF ao participar do prêmio Faz Diferença, no Rio.

Ela também negou que haja um cenário de ativismo judicial no país. “A atividade do Judiciário é acionada pelos cidadãos. O Poder Judiciário não atua isoladamente, de ofício, é por provocação. Então, quando se fala em ativismo judicial, é que o Judiciário ultrapassaria, e não há demonstração nenhuma de que isso esteja acontecendo”.

Em entrevista ao “Jornal Nacional”, Toffoli reforçou que o processo de impeachment está previsto na Constituição, e acrescentou que todas as democracias têm mecanismos de controle. “O processo de impeachment é previsto na Constituição e nas leis brasileiras. Não se trata de um golpe. Todas as democracias têm mecanismos de controle e o processo de impeachment é um tipo de controle. Eu não vou opinar sobre o caso concreto, porque o juiz do caso concreto é a Câmara dos Deputados, inicialmente, e, posteriormente, o Senado da República. Qualquer andamento do processo que esteja fora das regras legais pode o Supremo Tribunal Federal, então, colocar dentro dos parâmetros da Constituição. Aqueles que se sentirem atingidos podem recorrer à Justiça brasileira. O que ocorre hoje é a democracia. É muito melhor vivermos desta forma, do que sob uma ditadura”, comentou.

O sorteio do concurso 1.803 da Mega-Sena pode pagar um prêmio de R$ 9 milhões para quem acertar as seis dezenas hoje (26). O sorteio ocorre às 20h (horário de Brasília), em Canela (RS).

De acordo com a Caixa Econômica Federal, se um apostador levar o prêmio sozinho e aplicá-lo integralmente na poupança, receberá cerca de R$ 57 mil por mês em rendimentos.

Caso prefira, poderá adquirir 15 imóveis no valor de R$ 600 mil cada, ou montar uma frota de 60 carros de luxo. A aposta mínima custa R$ 3,50.

raimundo_oeste

Líder do PSDB na Assembleia Legislativa, o deputado estadual Raimundo Fernandes começa a trabalhar no crescimento da legenda. Vai trazer para o ninho tucano o conselheiro aposentado do Tribunal de Contas, Alcimar Torquato; ex-prefeito de Encanto, Doutor Neto; Xavier Pneus (PTB), de Pau dos Ferros; Faustinho (PROS) de Serra Caiada; Célio Pinica Pau (PP), de Venha Ver; e o prefeito de Coronel João Pessoa, Pachica (PR).

Blog Xerife

opk

Os grupos de teatro recebem incentivo financeiro para custear figurinos e apresentar os espetáculos.

O município de São Gonçalo do Amarante já se firmou no Rio Grande do Norte como referência nas tradições da Semana Santa.

Os grupos de teatro recebem incentivo financeiro para custear figurinos e apresentar os espetáculos para a população são-gonçalense e em outros municípios do Estado.

Confira a programação dos grupos teatrais com encenação da Paixão de Cristo 2016.

Sexta-feira (25) – Grupo Coração de Jesus

Local: Av. Adjer Barreto  (Terreno da Av. Tomaz Landim) –Golandim

Horário: 19h

Domingo (27) – Mogucris Grupo de Teatro

Local: Em frente a Capela de Santo Antônio Expedito – Golandim

Horário: 19h

Segunda-feira (4) – Gruteg

Local: Terreno do Centro de Convivência – Golandim

Horário: 19h

Redação Nominuto

noticia_138784

Jogo válido pela quarta rodada do segundo turno do Campeonato Potiguar terá início às 16h

 

O técnico Guilherme Macuglia relacionou 22 jogadores para o jogo deste sábado (26), às 16h, contra o Palmeira de Goianinha, no estádio Barrettão, válido pela quarta rodada do segundo turno do Campeonato Potiguar.

As baixas ficam por conta do zagueiro Flávio Boaventura e dos atacantes Thiago Potiguar e Rômulo que se juntaram aos volantes Léo e Bruno Renan, e ao atacante Luiz Eduardo no Departamento Médico. A novidade ficou por conta da convocação do volante, e recém-contratado, David Manteiga.

Outra mudança vista no treinamento de ontem (25) foi a presença do zagueiro Maracás entre os titulares. O atleta, que pertence ao Vitória (BA), treinou ao ao lado de Gustavo e pode estrear hoje pelo Alvirrubro. Macuglia elogiou o defensor americano. “A entrada do Maracás, que é um zagueiro com característica diferente do Zé Antônio, zagueiro mais rápido e com a marcação mais ajustada”, disse.

ZagueiroMaracas

Campeão da Copa RN, que equivale ao primeiro turno do Estadual, e garantindo na grande decisão, o América ocupa a sétima posição com 1 ponto ganho e precisa vencer para continuar na briga por uma vaga na final do segundo turno.

Relacionados:

Goleiros: Camilo e Pantera;
Zagueiros: Gustavo, Zé Antônio, Richardson e Maracás;
Laterais: Alan Silva, Gabriel, Bruno e Alex Cazumba;
Volantes: Felipe Macena, Tiago Dutra, Pedro Ivo, David Manteiga e Júlio Terceiro;
Meias: Cascata, Roninho e Mateusinho;
Atacantes: Reis, Lúcio Curió, Brendo e Jefferson.

Blog Nominuto.com

img_7573

O vice-presidente Michel Temer e o ministro do Turismo, Henrique Alves, sempre tão próximos, parece que não estão falando a mesma linguagem.

Temer não quer adiar a decisão do PMDB de deixar o governo Dilma.

A tomada de decisão está marcada para terça-feira, dia 29, e é isso o que Temer quer.

Mas não é isso o que quer – ou que precisa – Henrique.

Blog Thaisa Galvão

Olimpio

O vice-prefeito de Macaíba, Olímpio Maciel, deverá passar a presidir o PSDB em Macaíba. Um dos motivos está relacionado ao seu genro, o Presidente da Assembleia Legislativo, Ezequiel Ferreira, saiu do PMDB e foi para o PSDB junto com outros deputados estaduais, e passará a presidir a sigla tucana no próximo ano.

Macaíba no Ar

Ao cobrar do governo do Rio Grande do Norte uma suposta dívida de R$ 50 milhões na sua conta no twitter (veja reprodução abaixo) referente a Saúde do município, o prefeito de Natal, Carlos Eduardo Alves (PDT), foi no mínimo deselegante, até porque o atual secretário municipal de Saúde, Luiz Roberto Leite Fonseca, foi no governo passado secretário estadual da referida pasta. Portanto, parte da dívida hoje, que não é de R$ 50 milhões, mas em torno de R$ 24 milhões, deve ser creditada também na responsabilidade do antigo gestor estadual, hoje auxiliar direto de Carlos Eduardo Alves.

twitter de Carlos Eduarno: Governo do Estado deve 50 milhões de reais à saúde pública de Natal. Prefeitura de Natal caminha para cobrar judicialmente. Absurdo!

Me parece que o prefeito de Natal já iniciou a sua campanha à reeleição utilizando pra isso as redes sociais. Um assunto desse não deve ser tratado em público. Um gestor não pode se comportar como um adolescente e ficar no twitter, facebook ou seja lá o que for discutindo ou lamentando problemas inerentes a gestão.

Se ele queria holofote para dar visibilidade ao seu projeto de reeleição conseguiu. Foi manchete no Novo Jornal.

Coluna do Barbosa/

://www.nominuto.com/colunadobarbosa/prefeito-carlos-eduardo-foi-no-minimo-deselegante-ate-mesmo-com-o-seu-auxiliar/16068/