Descrição do autor

Administrador

Medida ocorreu depois de uma fiscalização realizada no último dia 12 de julho, quando uma equipe do CRM/RN esteve no local e constatou que a estrutura física do prédio é deficiente


Em email encaminhado a confraria “Sempre Macaíba “, da qual faz parte, Valério comunica aos amigos da lista:

Sobre o momentoso episódio da interdição do hospital de Macaíba, tenho a lhe informar o seguinte, bem assim, aos conterrâneos da confraria “Sempre-Macaíba”:

a)   A crise foi resolvida. A interdição total do Conselho Nacional de Medicina, além de drástica, revestiu-se de ato irrefletido, vez que, não se fecha um hospital quando se vive uma carência de leitos. Aliás, era sabido que o hospital Alfredo Mesquita estava recebendo uma verba de seiscentos mil reais para serviços emergenciais.

b)  Como o meu posto impõe uma atuação limitada, sem ostensividade, atuei nos bastidores de forma objetiva e resolutiva.

c)   Com o secretário da saúde Domício Arruda para que não redistribuísse os servidores do hospital de Macaíbapara Natal como era do seu intento; para que a interdição fosse convertida em parcial e não total; para que o recurso disponível dirigido as obras, fosse aplicado dentro de um cronograma operacional ágil e de forma a não prejudicar a parte de atendimento ambulatorial ao público.

d)  Comuniquei as mesmas ponderações ao secretário chefe do gabinete civil Paulo de Tarso Fernandes,

e)   Ontem, dia 16, pela manhã, recebi da governadora Rosalba Ciarline um telefonema informando que tomara conhecimento de minhas colocações e que havia atendido a todas, demovendo o secretário da saúde de suas intenções iniciais. Na oportunidade, ela realçou outros programas de governo em favor do município, tais como: a restauração dos Guarapes, a reforma Caic Jessé Freire Filho e obras saneamento da cidade.

f)    De imediato, participei a prefeita Marília Dias, todas as providências, ela que tanto batalhou nas ruas por essas medidas.
 
É o que me coube fazer, por dever de macaibense, ex-agente público, cidadão e eleitor no município.
 
Abraço,
 
Valério Mesquita

Por André Arruda – Sempre Macaíba

Preferência

O ex-prefeito Fernando Cunha (PSD) lidera com folga, tendo 58,2% das intenções de voto; o segundo colocado é o também ex-prefeito Luizinho Soares com 14%; e em terceiro a prefeita Marília com 10%. Os indecisos são 13,4% e os nulos são 4,4%.

Espontânea

Na amostragem em que não são oferecidos os nomes dos pré-candidatos, Fernando Cunha também também lidera com 19%, enquanto a prefeita Marília Dias supera Luizinho Soares com 4,8% contra 2%. Outros nomes citados somam apenas 1%.

Rejeição

No questionário sobre rejeição aos candidatos, a situação de Fernando Cunha fica mais cômoda ainda, com apenas 3,8%. Já Marília Dias e Luizinho Soares empatam tecnicamente, com 30,8% e 29,4% respectivamente. E 24% não rejeitam nenhum.

Período

A pesquisa Perfil foi realizada em Macaíba nos dias 13 e 14 de agosto e abrangeu a área metropolitana e mais oito distritos com uma amostragem de 500 entrevistas, distribuídas proporcionalmente de acordo com a densidade populacional da cidade.

Corria o ano de 1970. Desencadeava-se a eleição para senador com a dupla Dinarte e Jessé contra Odilon Ribeiro Coutinho. Jessé Freire, filho de Macaíba, participava de um movimentado comício com passeata e tudo mais. Ao chegar foi anunciado efusivamente pelo locutor oficial da campanha, o famoso Jorge de Papo. “Atenção, Macaíba, acaba de chegar o senador Jessé Pinto Freire!” “É ele, ou não é?” E o povo, unissonamente: “É, é, é…”. Jessé subiu no carro de som e postou-se atrás para iniciar a passeata. Jorge do Papo dá a largada: “Atenção, Jessé, à esquerda!” Povão atrás, algazarra, música, dança, era Macaíba andando. E Jorge novamente: “À direita Jessé!”. Ao cabo de alguns minutos e já intrigado com tantas recomendações do locutor, as quais obedecia enfarado, Jessé aproximou-se de mim, e com aquela inconfundível empostação de voz, interrogou: “Valério, esse rapaz está fazendo de mim palhaço. A todo instante me manda olhar para a esquerda, para a direita, em frente. O que ele quer com isso?” “Nada não, senador”, respondi-lhe. “É que o motorista do carro se chama Jessé!”.

Os projetos de lei que vão a Câmara, para votação, é uma coisa extremamente impressionante, pois, são aprovados tão rápido que não dá tempo para piscar. O presidente da Câmara faz a seguinte pergunta: Quem estiver de acordo permaneça como estar, em seguida e com muita rapidez, ele diz aprovado. Dar para perceber que a Câmara não existe democracia e muito menos oposição.

Hoje cedo, numa emissora de TV local, vi uma reportagem sobre uma grande iniciativa na cidade de Mossoró: um plano de arborização municipal. Foi mostrado um viveiro com 60 mil mudas, segundo a matéria, que deverão ser plantadas na cidades. Ainda interessante é o fato que essas mudas também são doadas para quem quiser. Basta ir ao viveiro e pedir as mudas de plantas que quiser, entre as que estão disponíveis. Com isto, alega com razão o repórter, se espera que o clima local seja amenizado. Agora, veja que interessante, no dia 15 deste mês, foi postado uma matéria que enviei sobre o papel da arborização em uma cidade como Macaíba. Pois bem, sendo a prefeita de Macaíba originária de Mossoró, não custa nada uma visita à sua cidade natal, para ver como fizeram este plano de arborização, que pelo visto foi implantado em 2006. Aliás, nem precisa a Prefeita perder tempo com isto, pois creio que ela deva ter um secretário de Meio Ambiente ou coisa assim para cuidar do ambiente urbano de Macaíba.

Francisco Alexandre.

Quem é que nunca assistiu uma propaganda de banco? Todos nós já vimos e ouvimos. Nos últimos dias, uma dos negócios mais rentáveis…Aos banqueiros; melhor dizendo:  Àqueles que botam a banca. Uns dizem que o banco é seu; outros dizem que é todo seu; outros lhes tratam como se você fosse um sócio e até dizem que você é” Prime”. No entanto, para nós simples mortais, é impossível falarmos de banco e não lembrarmos de dificuldades, impaciência, filas e etc.  Foi então em um desses castigos; em meio a uma fila; a espera de ser atendido;  que fiz esta breve reflexão. A primeira das múltiplas indagações que me fiz, foi: Se chamam isto de banco, porque é o lugar onde se vê mais gente em pé? Se bem que hoje, após muitas reivindicações já se vê alguns assentos. Qual a razão de portas de banco serem  todas de vidro transparente, se o que mais interessa  ser realmente trans parente tais como taxas, juros, códigos e etc. São todos  foscos  e embaçados? Para que serve aquelas letrinhas que ficam saltando de lugar; sigilos e mais dificuldades; se os Raker’s  quando querem ; invadem a conta de qualquer um;  sacando valores expressivos? Dá até para desconfiar; paira uma dúvida. São os ladrões que são astutos demais ou os bancos que são extremamente ingênuos? AH! Essa é boa. Alguém já descobriu outra serventia para porta giratória com detectores  de metais; além de constranger os cidadãos? Só queria saber quem foi o inventor iluminado que idealizou este imbróglio metálico brinquedinho de vigilante. As vezes eu tenho a ligeira impressão que por trás daqueles homenzarrões sisudos; ao tentarmos passar por aquela porta; os vigilantes sussurram: Ciranda cirandinha, vamos todos cirandar… Perdoe-me a crítica! Mas, há de se perguntar. Alguém já ouviu em algum noticiário que ladrões de banco; perigosos; foram descobertos e capturados, graças a eficiência da porta giratória? Se sim? Matéria digna da primeira página do  The New York Times (coisa para americano vê).

Após tantas ironias, lembrei de um verbete americano :”Time is money”; que no bom português significa  tempo é dinheiro. Se tempo é realmente dinheiro, os bancos estão sem alta, pois não existe lugar no mundo onde perdemos mais tempo. Paradoxalmente, o lugar onde deveríamos ganhar é o lugar onde mais perdemos.


Eugênio Coentro

Deputados da Mesa Diretora da Assembleia Legislativa deverão ser reconduzidos hoje

O presidente da Assembleia Legislativa (AL), deputado Ricardo Motta (PMN), deverá ter a confirmação hoje de que permanecerá  no comando do legislativo potiguar também pelo biênio 2013/2014. Ele sequer concluiu o primeiro dos dois anos do atual mandato, mas uma  brecha no regimento interno da Casa – que estabelece o prazo máximo para a eleição como sendo o último dia de expediente legislativo de uma gestão (no caso atual em 15 de dezembro de 2012) – o processo deverá ser antecipado em quase dois anos. Ontem, pelo menos 20 dos 24 deputados estaduais assinaram requerimento, lido em plenário, que solicitava o dia 24 de agosto de 2011 para a realização da eleição para o comando da AL em 2013 e 2014. “Isso é consequência de quando se aprovou o retorno da reeleição. Na verdade, aquele era o primeiro passo para a antecipação desse processo que estamos vendo agora”, criticou o deputado Fernando Mineiro (PT).
Ler mais…

21/ago    8h     CENTER MASSAS    6 x 3    BOM DOS CICLISTAS     

21/ago    9h          MARÉ MANSA    0 x 1    MAYVA       

21/ago  10h         POSTO EMAÚS    6 x 2    SUPEMERCADO VITÓRIA

Foram classificados pra semifinais do 1º turno as seguintes equipes :

1º jogo  04/set  09h   SBS OUTDOOR            x         POSTO EMAÚS

2º jogo  04/set  10h   CENTER MASSAS        x         SUPERMERCADO VITÓRIA


Charles Eduardo

Antonio Siqueira, quem será? De onde saiu? Porque teve o nome de uma praça no centro de Macaíba?
Figura ilustre? O que fez pela cidade? Venhamos e convenhamos que são poucas as pessoas que conhecem o dito cujo, nem os que lá freqüentam, nem os que lá tem comércio sabem quem é o tal.

Mais já que tem o seu nome dado a uma praça, deve ser importante. Mais qual a sua importância? Deve ser bem pouca, pois, sequer tiveram a hombridade de lhe ser concedida uma foto no mural lá pintado. Deveria ser a maior foto. A praça leva o seu nome e só por isso merecia uma foto enorme lá.

Outra pergunta que não quer calar, e o povo de Macaíba sempre faz, mais poucos tem coragem de fazer ao vivo e em cores, mais comentam. Porque diabos colocaram a foto de Alfredo Mesquita no meio de tanta gente ilustre? Qual a importância do ilustre “coronel” no meio de tanta gente afamada. Qual a obra que ele deixou aqui na nossa cidade? Qual o desenvolvimento por ele trazido para cá? Quantas indústrias o mesmo aqui instalou?

Será puxa-saquismo dos mandatários de nossa cidade? Qual o motivo deste ex-prefeito está lá pintado? Dona Mônica fez muito mais por Macaíba e nem assim foi lembrada, lembrando que ela construiu o primeiro ginásio de esporte de Macaíba e também a sede da prefeitura local, como também a avenida que leva seu nome.

Será que queriam puxar o saco do presidente do Tribunal de Contas do Estado? Se sim. Por que? Quem não deve não teme!
Ou será que devem? Ou temem?
E afinal qual o objetivo daquelas fotos? Se tiver algum objetivo então porque não colocaram fotos nas outras praças? Mistério, e como canta Zé Ramalho, “mistério da meia noite…”

Por: Dejackson Álvares de Farias

Entrevistado ontem no “Espaço Cidadão” da TV União, o deputado Agnelo Alves (PDT) disse que o entendimento a que estão chegando PMDB e DEM no Rio Grande do Norte, disse que “acordão cheira mal, fede”.

Agnelo afirmou que se José Agripino, Rosalba, Henrique e Garibaldi estão se unindo para barrar o vice-governador Robinson Faria, “é porque esse homem vem muito forte em 2014”.

Robson Pires

A Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sesap) remanejou os médicos do Hospital Doutor Alfredo Mesquita Filho, em Macaíba, para outras unidades do Estado. As transferências ocorreram em virtude da interdição ética do Alfredo Mesquita no último dia 9.

Vinte e quatro profissionais – entre pediatras, obstetras, anestesistas e um clínico geral – foram remanejados para os hospitais Santa Catarina, Monsenhor Walfredo Gurgel, Doutor Ruy Pereira dos Santos, Regional de João Câmara, Regional de Angicos, Regional de Canguaretama e Regional de São Paulo do Potengi.

Confira a lista dos remanejamentos e as unidades atendidas clicando no seguinte link:

http://tribunadonorte.com.br/noticia/sesap-remaneja-medicos-do-hospital-de-macaiba/193321

 
Tribuna do Norte
Secretaria de Esporte e Lazer deu Largada nesta Sexta feira 19/08. Ao Campeonato Municipal de Futsal da Zona Rural Masculino com jogos nas Comunidades de Cana Brava e Traíras e neste próximo Sábado será a vez do Campeonato Feminino com três jogos sendo realizado na Comunidade de Lamarão. Veja os resultados dos jogos do Campeonato Masculino.

O Campeonato da Zona Urbana já tem seus Classificados na segunda divisão, ficando assim as chaves:

Chave “F” BANDEIRANTES, NEMPE, FORÇA JOVEM, OS AMIGOS DE DAVI e COLÉGIO EQUIPE.

Chave “G” BOA SORTE, DIABLOS VERMELHOS, SÃO JOSÉ, BOM DOS CICLISTAS e TOURO.

Beto Esporte.

No dia 19 do mês corrente (sexta-feira) teve a inauguração da Praça Antônio Siqueira, e muitas pessoas observaram que tinha um painel com as fotos homenageando pessoas que foram muito importantes na história de Macaíba. Mas essas pessoas também perceberam o seguinte, de todas as fotos que ali estão faltava uma, que era da eterna Mônica Nóbrega Dantas, pois a mesma foi de fundamental importância para o desenvolvimento da nossa querida Macaíba. Dona Mônica nos anos que passou administrando nossa cidade realizou as seguintes obras: A prefeitura, o Ginásio, iluminação, água encanada entre outras obras. Por isso que o site fez essa observação, pois ela merecia não só essa simples homenagem, mas também uma homenagem de maior importância.

Caros editores do blog Senadinho Macaíba, venho por meio deste agradecer a atenção e gentileza na divulgação do artigo de minha lavra: A Feira de Macaíba. Creio na minha terra e mais ainda nas pessoas como vocês que trabalharam para divulgá-la e elevá-la ao lugar que ela merece dentro do cenário potiguar. Parabéns pelo site de notícias. Outros sim, vocês estão autorizados a republicar qualquer artigo meu sobre a nossa Macaíba, para isso envio-lhes o link do meu blog de História e Genealogia, no qual discuto a história da nossa terra e do RN. http://www.historiaegenealogia.com

Anderson Tavares

SM: Todos os que fazem o Senadinho Macaíba só tem a agradecer pelo o reconhecimento que o site vem obtendo, sua opinião sobre o site é de grande importância para que mantenhamos atualizado e para que continuem o acessando.

Grande abraço a todos!

Saneamento Básico
Recursos superiores a R$ 5,68 milhões estão disponíveis na Caixa Econômica Federal (CEF), dentro do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC 2), para serem aplicados na ampliação do sistema de esgotamento sanitário da cidade de Macaíba. A Companhia de Águas e Esgotos do Rio Grande do Norte (Caern) tem prazo até 31 de agosto, para apresentar na CEF, o Contrato de Programa e assinar o Contrato de Repasse, conforme determina a Lei de Saneamento 11.445/2007. Se na terceira tentativa de Audiência Pública para o Plano Municipal de Saneamento de Macaíba, no segmento água e esgotos, nesta terça-feira (23), não houver consenso, o Ministério Público considera grande o prejuízo para o município.

A primeira Audiência Pública para discutir o Plano de Saneamento de Macaíba foi agendada para quinta-feira (11), mas não foi possível avançar por falta de adesão da população. A data foi transferida para quinta feira (18), porém por falta de entendimento entre os participantes que discutiram até 23 horas, novamente foi adiada para esta terça (23), às 19h, na Câmara Municipal. Durante as discussões, o promotor de Justiça da cidade, Morton Luiz Faria de Medeiros, manifestou claramente sua preocupação com o risco de perder recursos já liberados enquanto outros municípios e Estados ainda não conseguiram o que está disponível para Macaíba. Ele disse que o bom-senso deve prevalecer e elogiou o Plano de Saneamento como sendo um modelo de planejamento que vai beneficiar gerações futuras.

Ler mais…

Em meados do ano de 1968, a Prefeitura de Macaíba, através da prefeita Mônica Nóbrega Dantas, convidou, dentre outros, a professora Natércia Leiros Ferreira, para elaborar e apresentar um projeto com “lay-out” de uma bandeira e brasão para o município.

Aos 26 de dezembro do mesmo ano, o prefeito em exercício professor Manoel Firmino de Medeiros, autoriza que seja instituídos os símbolos municipais, através da Lei n° 20, aprovada pela edilidade e por ele sancionada.

A professora Natércia Leiros Ferreira, titular da cadeira de Educação Artística da Escola Normal Regional de Macaíba, foi a responsável por todos os passos desde o desenho original até a confecção e pintura da 1ª Bandeira Municípal.

Durante a gestão do prefeito Silvan Pessoa e Silva, em 1977, o escudo do desenho original da Bandeira foi desmembrado da mesma com pequenas alterações com o objetivo de ilustrar convites e demais publicações comemorativas do Centenário da Cidade.

Em fevereiro de 2006, a prefeitura de Macaíba sanciona o seguinte decreto referente ao Brasão:

Lei N° 1272, de 17 de fevereiro de 2006.

Altera a Lei Municipal nº 20, de 26 dedezembro de 1968, a qual criou (instituiu) noâmbito do Município de Macaíba o seusímbolo representativo, e dá outrasprovidências.

O PREFEITO DO MUNICÍPIO DE MACAÍBA, no uso de suas atribuições contidas na Lei Orgânica do Município: CONSIDERANDO que a Lei Municipal nº 20, de 26 de dezembro de 1968, que criou (instituiu) no âmbito do Município de Macaíba o seu símbolo representativo não foi registrada em livro próprio até a presente data.FAÇO SABER que o Poder Legislativo Municipal aprova e eu sanciono a seguinte Lei:

Art. 1º – Fica alterada a Lei Municipal nº 20, de 26 de dezembro de 1968, que passa a ter a seguinte redação:

“Art.1º – Fica o Prefeito Municipal, autorizado para nos termos do § 3º do artigo 1º da CONSTITUIÇÃO DO BRASIL, de janeiro de 1967, instituir o Brasão do município.Parágrafo Único – o símbolo de que trata o caput deste artigo é um escudo de campo aberto, no qual constará:

I – Uma faixa diagonal dentro do escudo;

II – Três estrelas dentro da faixa diagonal;

III – O balão P A X dentro do escudo, à direita superior da faixa diagonal;

IV – O livro “HORTO” dentro do escudo, à esquerda inferior da faixa diagonal;

V – Ladeando o escudo em toda sua altura, duas MACAÍBAS, sendo uma à direita e outra à esquerda;

VI – Na base do escudo, ligando as duas MACAIBAS, uma faixa com os seguintes dizeres: no centro do Escudo o nome MACAÍBA, à esquerda do escudo Lei 801 e à direita a data 27-10-1877.

Art. 2º – O padrão cromático (de cores) a serem utilizadas no Brasão serão as seguintes:

a) Azul Celeste – Faixa diagonal dentro do escudo, contendo três estrelas, o livro “Horto”, de autoria de Auta de Souza, e ainda, as letras da faixa abaixo do escudo;

b) Branca – O Escudo e a Faixa, na qual estão contidos: o nome do município, o número da lei de emancipação política do ente municipal (criação do mesmo) e adata deste evento;

c) Cinza – O “Balão Pax” e os caules das palmeiras, tipo “Macaíba”;

d) Verde – As Palmas (copas) das Macaíbas;

e) Dourado – Adereços, páginas, título e nome da autora do livro “Horto”;

f) Preta – Nome “Pax” no balão de Augusto Severo, contornos e linhas de relevância dos elementos e símbolos.

Art. 3º – Cada elemento ou figura afixados no brasão, através do desenho ou pintura, têm sua função simbólica:

AS MACAÍBAS – Palmeiras que deram origem ao nome da cidade.

BALÃO “PAX” – Pioneirismo de AUGUSTO SEVERO, filho ilustre, cujo invento marcou época na história da Aviação como glória e orgulho para Macaíba e o Rio Grande do Norte.

“HORTO” – Berço de Cultura, através das belas Poesias de AUTA DE SOUZA, contidas no seu livro “HORTO”, que tem elevado o nome da cidade além fronteiras.

AS TRÊS ESTRELAS – Representação de cada símbolo contido na Bandeira. Art. 4º – A elaboração artística (Criação do desenho original e elaboração da pintura) foi executada pela professora de Educação Artística da Escola Normal Regional de Macaíba: Natércia Leiros Ferreira e será arquivada no Museu Solar Ferreiro Torto e dele será tirada uma cópia autenticada para a Secretaria do Gabinete do Prefeito e Secretaria Municipal de Cultura”.

Art. 2º – Esta Lei entra em vigor na data de sua publicação, revogadas as disposições em contrário.

Prefeitura Municipal de Macaíba, Gabinete do Prefeito, Macaíba, em 17 de fevereiro de 2006.

Fernando Cunha Lima Bezerra
PREFEITO MUNICIPAL

Observa-se, contudo, um pequeno erro de redação na nova lei, que entre o Art. 1° e o Art. 2°, conserva todo o texto da redação anteriormente sancionada pelo prefeito Manoel Firmino de Medeiros, inlusive repetindo 4 artigos dentre os dois da nova lei, e confirma o § 3° do artigo 1 da Constituição de 1967! quando na verdade, a nova lei deveria trazer uma nova redação em substituição a revogada, acompanhada do Art. 13 § 2° da Carta Magna de 1988, tendo em vista que esta, revogou a carta de 1967. Com base no exposto, a nova Lei é inconstitucional na medida em que remete-se a uma Lei sem força, nem valia. Alertaremos os representantes do executivo nesse sentido.

Anderson Tavares

Macaíba é uma terra enternecida na putaria. Há muito tempo, quando ainda criança, lembro das andanças de meu pai em uma das missões  policial, muitas delas vivenciadas no cabaré de ISMERA.  Meu pai, preocupado em manter-me naquela ternura infantil mandava que pedisse a benção a algumas daquelas  freqüentadora.  A alegação? São suas tias meu filho! Exclamava o velho pai. Com o passar dos anos, vi que macaíba sempre foi conhecida pelos seus extravagantes cabarés, gango, baixo meretriz etc. Todos, sinônimos do bebelô da putaria.  Afinal, era muito expansivo, a vida boêmia e a promíscuidade no centro de macaíba, mais precisamente no largo por trás do mercado, dando continuidade até a rua Rodolfo Maranhão, um sobrenome bem suis  generis; é que nos quatro cantos do Estado se conhecia Macaíba remetendo-a à três características marcante: A cidade de seu Mesquita, que possuía a rua do fedor (rua do matadouro) e os famosos cabarés. Em episódio recente, ladeado por uma edificação do poder judiciário, um resquício de cabaré “o de Marize” como é mais conhecido, contrastava com a paisagem do Fórum. Conviveram por um bom tempo, graças a venda nos olhos de Thêmis (a deusa da justiça). Os mais sarcásticos resmungavam: è vara de um lado e vara do outro; as duas casas de recurso. No entanto, longe dos pensamentos torpes e palavras malditas; em uma tarde de sexta feira; um grupo de trabalhadores da construção civil, bebiam naquele antro, desavisados e sem conhecer a vizinhança, já inebriado pelo fulgor alcoólico, um deles comenta: Eu já vi cabaré organizado, mas como esse daquí de macaíba, eu nunca vi em lugar nenhum.  Além do estacionamento,  ainda tem polícia pra pastorar os carros da gente. Pense num cabaré arretado!  Longe das provocações, quero ater-me aos fatos, bem perto dalí com uma nova  sinalização vertical, deparam-se com um símbolo triangular(de regulamentação) lembrando as formas laborais do epicentro ginecológico. Quem já se viu? Ninguém para pra ninguém. Afinal, perguntam os estonteados condutores, com ar de desconhecido, passam, ultrapassavam e se distratam.  Curioso!  Presenciei certo dia um condutor indignado; na verve de suas razões. Elevando a voz e levantando os braços, iracundo, pergunta para o outro condutor que não obedeceu a sinalização. Você não sabe o que é isto nessa placa? O outro condutor nevrálgico e insolente: não é pra menos com um trânsito deste; responde: É a Bu…da sua mãe. As auto escolas por sua vez, dão sua contribuição, deixando de fazer o dever de casa. Certo dia, em uma delas; a mocinha atendente matriculando um dos clientes diz: Se o Sr. Não quiser assistir as aula não precisa vir, basta vir no final do expediente colocar o dedo. Meia palavra basta pra um bom entendedor.

Eugênio Coentro

A feira da cidade da Macaíba remonta ao ano de 1852, quando o negociante paraibano Fabrício Gomes Pedroza convida amigos, com os quais mantinha negócios em vários estados do Nordeste, para fundarem ali uma feira. O local nascia então como o ponto de confluência entre o sertão e a capital do estado, devido sua posição estratégica. Tinha como escoadouro natural o Rio Jundiaí, pelo qual eram embarcadas as mercadorias trazidas em lombos de jumentos por tropeiros sertanejos.

Desde o princípio, a feira se realiza aos sábados. Ocupa o espaço das três principais ruas e do largo das cinco bocas. Atrai feirantes e compradores das vizinhanças para a compra e venda de frutas, verduras, legumes, carnes, peixes, cereais, aves, ovos, caranguejos e artefatos de barro de todo feitio. Isto permite, até os dias atuais, a todo o comércio da cidade a maior movimentação da semana.

Encontramos no livro Província Submersa, de Octacílio Alecrim, um pouco do ambiente dessa feira tradicional no estado. Narra Alecrim: “A feira (…) um espetáculo sempre novo na minha imaginação, pois lá estavam o vendedor de berimbau, os cavalinhos de barro, as miniaturas de joão-galamastro, o alfenim, a pipoca, o caldo de cana “picado” tomado em cuia, o imbu, a Quixadá, o camboim, a manga matuta, o jambo branco, o ponche de maracujá com sequilho, a jabuticaba, o araçá, a guabiroba, o sujeito que fazia mágicas, o homem da pernas de pau, a cigana lendo a sorte, a melancia em talhadas, os calungas de papelão, os casais de jacu, os balaios de caranguejo, as enfieiras de goiamum, os periquitos verde-amarelos, as cestas de goiaba, as rolinhas assadas na grelha, os carneirinhos com fitas ao pescoço pra gente montar, os cegos violeiros cantando toadas, o preto Zeferino vendendo mocotó, o Aracati anunciando com um ganzá redes do Ceará, os porquinhos, os periquitos, os guinés, numa zoada incrível, a jaca dura, os caçuás de moringas de barro, os cestos de maçaranduba, os cachos de pitomba, os feixes de cana “de planta” e caiana, os pares de marrecos amarrados com embira (…)”.

E continua: “A feira era também um grande pretexto para a movimentação das moças da cidade (…) para vê-las juntas era só caminhar para a barraca de miudezas de Miguel Turco, cujo baú de miudezas (lenços, sabonetes, pós de arroz, marrafas, leques, espelhinhos, meias, vidrilhos, colares, fitas, chamalotes, sedas, crepes) transformava aquele grupo de meninas aos gritos de “quanto é” em verdadeiro bando de marrecas em arribação”.

Octacílio Alecrim ainda narra que na feira apareciam violeiros famosos, os Cantadores do Nordeste, tais como Fabião das Queimadas e o cego Aderaldo. Os cantadores faziam louvações, topavam desafios e improvisavam. As crianças tinham um lugar à parte no largo das cinco bocas. Enquanto os pais faziam as compras, elas brincavam de pau de sebo e gato no pote, bem como no carrossel armado ao lado da matriz. Tudo montado para distração da gurizada.

Atualmente algumas nuances trazidas dos tempos idos permanecem. Podemos observar no caminho para a compra das carnes, as disposições das verduras e dos legumes variados, os peixes e frutos do mar.

As transformações ocorridas na cidade a partir de 1970, com destaque para o processo de modernização e expansão do setor terciário fez com que a feira da Macaíba perdeu parte de sua importância no contexto regional. No entanto, aos 157 anos, a Feira de Macaíba se conserva como uma das mais tradicionais da zona do Potengi.

Anderson Tavares

O ministro Garibaldi Filho e o deputado federal Henrique Alves estiveram na noite de ontem em Macaíba participando da inauguração da Praça Antônio de Melo Siqueira.

Em seu discurso Garibaldi disse que irá lutar pela implantação de uma agência do INSS em Macaíba. O município já dispõe de um terreno disponível para a obra.

A prefeita Marília Dias prestou uma homenagem a Henrique Alves doando ao presidente estadual do PMDB um quadro com a foto do seu pai, ex-ministro Aluízio Alves(in memoriam).

Robson Pires
Primeiramente, urge esclarecer se existe oposição no cenário político macaibense. Nessa esteira, vejamos: a Câmara Municipal, mais parece “uma extensão do Gabinete da Prefeita”, o placar é sempre 10 a 0 em favor do time da casa; já Fernando Cunha, eleito em 2000 como oposição, pretende ser situação até a décima quinta geração; João Marques e o PT vivem em função de tentar corrigir o erro histórico de ter elegido Fernando em 2000 e ajudado a derrotar Luizinho em 2004; Valério Mesquita, por sua vez, é a história viva do conservadorismo político da cidade; então, enfim, nos restou Luizinho, eterno candidato, que sempre chega dizendo ser capaz de aglutinar forças e de articular os dissidentes e oposicionistas, em busca da tão esperada retomada do poder.
 
A corrida sucessória já começou há tempos e a Prefeita dá a impressão que quer de todo modo devolver a Prefeitura a Fernando. A essa altura do campeonato, não tem nem mais para que esclarecer se a briga entre ambos é verdadeira ou não, visto que Marília, de todo modo, está trabalhando forte em favor de Fernando: seja desarticulando a já desarticulada oposição, seja fazendo uma administração pífia.

No auge dos meus devaneios, me surge um estranho pressentimento de que Marília e Luizinho são os principais cabos eleitorais de Fernando, visto que são eles os principais responsáveis por sufocar qualquer resquício de oposição que surja na cidade.  Vajamos o caso do Deputado Dibson Nasser: rapaz jovem e inteligente que caiu na graça do eleitor e teve uma votação expressiva na cidade. Sem dúvida despontou como uma nova liderança. Desvinculado de qualquer grupo e trilhando o caminho da independência, seria um forte postulante à sucessão. Foi, porém, seduzido por Marília e foi fazer parte do seu malfadado Governo. Com isso não perdeu só a independência, perdeu seu tempo, perdeu o discurso. Outras lideranças de menor expressão, outrora oposicionistas, trilharam o mesmo caminho da sedução do poder.

Já meu amigo Luizinho, sempre se apresenta como candidato, com o mesmo discurso que é preciso unir a oposição, contanto que essa união gire em torno do seu nome. Assim, qualquer nova vertente que surja tem de se curvar à ditadura da união pró Luizinho. Então, vamos todos nós, mais uma vez, juntar o que sobrou da oposição com as novas forças emanadas do povo, com novas lideranças e seus ideais, tudo em torno de Luizinho rumo a mais uma honrosa e bonita derrota.

Em 2000 havia uma administração mal avaliada, o sentimento de mudança, a onda vermelha que contagiou o país e a Prefeitura caiu no colo de Fernando. Hoje, há também alguns desses ingredientes, mas parece que Fernando não precisará nem fazer campanha, pois Marília e Luizinho estão tratando, com muita competência, de reconduzi-lo ao Poder.

Na verdade é difícil enxergar mudanças profundas no cenário político macaibense, capaz de botar a cidade nos trilhos da ética, do desenvolvimento e da construção de um pacto social em defesa do povo. Minha esperança passa pela afirmação de um grande conhecedor da política macaibense, que em conversa reservada confidenciou: “Em 2012 vai passar um furacão em Macaíba”.

Fábio Amaro

O Ministério Público Federal poderá decidir, ainda hoje, formalizar pedido de intervenção na prefeitura de Natal, em razão de diversos processos de investigação de possíveis irregularidades cometidas pela administração de Micarla de Sousa, do PV. Algumas das denúncias envolvem pessoas muito próximas à prefeita.

A possibilidade iminente de intervenção federal na capital potiguar já foi comunicada esta manhã, ainda que informalmente, à governadora Rosalba Ciarlini, do DEM, que deixou toda a área jurídica do seu governo de sobreaviso – a governadora poderá ter que indicar um nome para assumir o comando da cidade como interventor.

Três representantes do conselho federal dos procuradores estão desembarcando hoje em Natal, para a tomada de decisão junto com os procuradores da República no estado. O Nominuto.com checou a informação com diferentes representantes do Ministério Público Federal e do governo do estado.

Foto: Vlademir Alexandre
Gestão de Micarla é ameaçada pelo MPF.
Segundo as diferentes fontes ouvidas, o pedido de intervenção começou a ser cogitado com base nos resultados de investigações de diferentes denúncias de irregularidade na administração Micarla de Sousa e a gota d’água seria a questão dos medicamentos descartados em lixões espalhados pela cidade nas últimas semanas. Haveria, também, investigações, com escutas telefônicas, comprometendo pessoas muito próximas à prefeita e com influência na administração municipal.

Em recente encontro em Brasília, os procuradores federais no estado levaram o caso ao conhecimento do procurador-geral da República, Roberto Gurgel, apresentando provas e argumentos que justificariam o pedido de intervenção.

Diante dos fatos que lhe foram apresentados, o procurador sugeriu a vinda a Natal dos três representantes do conselho federal para que, aqui, na reunião que deve ocorrer hoje, seja definido o pedido.

Apresentado o pedido de intervenção, o caso vai à análise da justiça federal, que terá um prazo de 15 dias para decidir, contados a partir da formalização do processo.

NR: Conforme já esclarecido em Nota da Redação neste portal (Nominuto reafirma informações e esclarece trâmites sobre intervenção), para que possa se concretizar, uma eventual ntervenção na prefeitura de Natal tem que obedecer ao seguinte trâmite:

1) O MPF, ao final da reunião com seus conselheiros e entendendo ter elementos sufic ientes para justificar a intervenção, encaminha o pedido ao governo do estado, a quem constitucionalmente cabe tal tarefa de analisar e levar adiante tal processo – e não à justiça federal, como erroneamente o portal divulgou, pelo que se desculpa com seus leitores.

2) Caberá, então, ao governo do estado (daí o sobreaviso da área jurídica), analisar o pedido do MPF e, julgando procedente a argumentação, enviar pedido de autorização ao Tribunal de Justiça do Estado, para que, enfim, se proceda, ou não, à efetiva intervenção no município.

Nominuto.com

O Centro de Convivência Pax Club passou por momentos de turbulências durante Audiência Pública realizada na noite desta quinta-feira (18). O presidente da Câmara de Macaíba, Thomas Sena (PMDB), se sentindo o “Rei do Churrasco” vem colocando pimenta na carne do vereador Eduardo Santos (PMN). “O Rodo” como é conhecido popularmente, é boicotado pelo presidente toda vez que vai se pronunciar sobre algum assunto, quando consegue é interrompido. Nesta noite, o ato se repetiu por duas vezes! Considerando falta de democracia e humilhação, Eduardo armou o espeto! Quando o público presente pensou que o churrasco iria assar, “o Rodo” se retirou do local. Aproveitando o ocorrido, o também vereador Dr. Antônio fez o mesmo.

Churrasco do Poeta


O Deputado Estadual DIbson Nasser (PSDB) visitou na manhã dessa quinta-feira (18), o presidente da CAERN, Walter Gasi. Na ocasião, o Deputado fez alguns pleitos para Macaíba. O Presidente Walter Gasi informou ao Deputado que o serviço de drenagem feito no centro da cidade já está praticamente concluído. E, até o final de agosto, o trecho que esteve em obras, no centro da cidade, será pavimentado e entregue à população.

“Foi uma visita muito produtiva. O Governo está demonstrando uma atenção especial ao município de Macaíba, que sempre foi judiado em períodos de chuva”, disse Dibson Nasser. Outra boa notícia que o deputado recebeu é que a CAERN tem a intenção de drenar 90% da cidade nos próximos 3 anos. “A chuva vai deixar de ser um pesadelo para os macaibenses”, afirmou Dibson Nasser.

 
ASSESSORIA DO DEPUTADO
Funcionário público e blogueiro nas horas vagas, Manoel Maurício Freire de Macêdo tem tirado Dr. Fernando de tempo, ou melhor, tem lhe dado umas boas aulas de política.  No 1º diálogo (durante a campanha de Luizinho x Marília, na lanchonete de Beto ) Manoel interpela Fernando e seu irmão Sérgio sobre alguns pontos sobre sua administração, os irmãos ficam sem saída para as perguntas. Sérgio, mordia com tanta força o canudo da água de côco que parecia que ia dá um troço. Manoel, por sua vez, continuava calmo e intransigente com o despreparo dos dois.

– Vamos discutir sobre medicina, Manoel! Soltou Fernando.

– Dr. num arrume desculpa não. Se o senhor num tem o que falar sobre política, principalmente a local, num me venha falar de medicina, pois não é minha área.

Manoel pega seu guarda chuvas e “sai por cima”, deixando o Dr. Completamente perdido.

Manoel, durante uma volta no centro da cidade e fazendo suas ponderações, encontra mais uma vez o doutor.

Segundo diálogo (Gestão Marília):

– Opa, Fernando, gostou da praça?

– Esse projeto é meu.

– Você tá pensando que sou menino?  Disse Manoel.

– Vamos discutir sobre medicina? Diz o Dr.

– Não tem jeito não. Com você num dá para discutir política mesmo, conclui Manoel.
Com isso, Manoel sai “mandando” na situação e deixa o Dr. para  trás com um ataque de dicção e quase um cardíaco.

DENÚNCIA

A auxiliar de cozinha, Simone Mariano Ferreira (28)/ restaurante sertanejo; residente em Lamarão; traz uma denúncia de abuso no atendimento sofrido por ela no posto da Maré. A paciente que se encontra passando por problemas de saúde, foi vítima de xingamentos e desrespeito por parte de uma atendente no último dia 05/08 (quinta-feira). Conta que após uma hora e meia de atraso do médico psiquiatra, dirigiu-se à atendente para perguntar se o médico residente viria, pois estava em hora de trabalho, foi tratada com grosseria e quando simplesmente insistiu na informação; a mesma atendente; lhe mostrou um informativo afixado na parede dizendo se tratar de descaso à autoridade. Confessa que ficou perplexa, pois nunca tinha sido tão humilhada, pois depois de 3 horas de espera, simplesmente disseram que o médico não viria e quem quizesse remarcar fizesse uma fila, quem não quizesse fosse embora, pois não tinha o tempo do mundo, nem paciência.

Os familiares pedem providência, pois a moça está traumatizada com o tratamento recebido.

É assim que Macaíba é cada vez melhor?


Macaíba amanheceu em festa!

Derepentemente eram pintores de um lado, varredores por outro lado, um serra pra lá e um arruma pra cá.  Até a velha operação tapa buracos apareceu com mais diligência.  Luzes!  Estas não faltaram. Os sórdidos do poder imaginam. Esta maquiagem fará por um breve momento estes nativos esquecerem a macaíba do dia a dia. No entanto entre os nativos existezm alguns passados na casca do alho das velhas lembranças do Colégio Agrícola de Jundiaí; o celeiro dos capa gatos; sob o domínio dos Cesars e Cesars daquele reinado perpétuo.  O dia a dia do café preto e do pão hiberne; do duro na queda, unidos venceremos e do estica e puxa (feijão, arroz e carne); e no final do dia a velha matéria de sempre OSPB nos pouco mais de 200 dias letivos do ano (Ovo, Sopa, Pão e Batata); de repentemente amanhecia tudo limpo, comida boa, pintores pra cá e varredores pra lá. Que triste coincidência. Como uma mágica, ovo e leite passava a fazer parte do cardápio matutino.  Até o mais tímido dos alunos deduzia: O Reitor vem por aí.

A terra do pisa na fulô; semelhantemente;  virou terra de ninguém. Sem lei, sem rumo, sem respeito e nem se fala em dignidade. Os Abrolhos daninhos do poder justificam: Tudo isto é porque descobriram que a fulô também tem espinhos.  O cardápio sócio-político dos macaibenses não é diferente. Contudo, muito mais pobre “O cardápio do pão e circo”.

 

Eugênio Coentro