Descrição do autor

Administrador

E DIBSON?

No Senadinho de Macaíba, local de debates variados, mas com enfoque majoritariamente político, uma das indagações mais comuns é o destino do deputado estadual Dibson Nasser (PSDB) em Macaíba. Há quem especule que ele estaria insatisfeito com a prefeita Marília Dias e se desvinculando do grupo situacionista. As razões são desconhecidas. Mas, há especulações de que o filho de Dickson Nasser estaria pensando em disputar a Prefeitura. Dibson obteve 3.610 votos na cidade e, após as eleições de 2010, passou a integrar o grupo de Marília Dias.

Rômulo Estanrlêy

Costumo sugerir a amigos da área de Arquitetura e Urbanismo que poderiam eleger Macaíba como uma referência. Infelizmente uma má referência: para servir de exemplo de uma cidade que tem crescido de forma absolutamente desordenada: Sem plano diretor, nem preocupações com impactos socio-ambientais. Enfim, sem preocupações de sustentabilidade. Portanto, um excelente exemplo de como não se deve planejar uma cidade.

Pois bem, em diversas outras oportunidades, especialmente em momentos de discussões políticas, sempre alertei para o potencial que tem Macaíba para ter um Campus Universitário. Ora, este é o grande sonho de qualquer cidadezinha dos Estados Unidos e da Alemanha, para citar dois exemplos de países desenvolvidos: serescolhida para se tornar sede de uma grande Universidade (com “U” – assim, maíuscula).

Para isto Macaíba já conta com toda a estrutura física da Escola Agrícola de Jundiaí. A UFRN tem investido na promoção da EAJ em um Campus, muito além do já importante papel que esta escola desempenha no Ensino Médio, com seus 4 cursos técnicos. Foram criados 3 novos cursos superiores: Agronomia, Engenharia Florestal e Zootecnia.

Já tem um curso de Pós-Graduação em nível de Mestrado em pleno funcionamento, na área de Produção Animal. Nestes últimos meses venho discutindo com a Reitora da UFRN, a Profa. Ângela Cruz, a possibilidade de implantarmos na EAJ o Programa de Pós-Graduação em Ciências Climática, que oferece o Curso de Doutorado iniciado em março de 2010.

Tem tudo a ver. Nosso curso visa formar especialistas que podem atuar nas questões de clima e ambiente, desde o nível local, como a influência da Barragem de Tabatinga no micro-clima e suas repercussões para a produção agrícola e animal, passando por temas regionais de grande importãncia para a nação, como a desertificação do semi-árido e os cuidados com as zonas costeiras, chegando ao problemas de escala mundial, com os impactos do aquecimento global.

As questões sociais também são tratatas por nossos pesquisadores, com a qualidade do ar e da água, incluindo a poluição, problemas de saúde, como a propagação de dengue e leichmaniose, além do efeitos nocivos da radiação ultravioleta na saúde (câncer de pele, problemas de visão, redução das defesas do sistema imunológico de seres vivos, principalmente dos humanos), geração de energias renováveis (eólica, marinha e solar), etc.

No último sábado, trouxe um grupo de professores e pesquisadores, todos doutores e com experiência em diversos centros mundiais de excelência, desde a UNICAMP, USP e INPE do Brasil, a instituições da Alemanha, Estados Unidos, Portugal, e outros países da Europa. Nesta visita fizemos uma avaliação das potencialidades da área de Jundiaí e da própria EAJ para instalação do nosso núcleo de pesquisas em Clima, Ambiente e Sustentabilidade.

O grupo ficou extremamente bem impressionado com as reais possibilidades de instalarmos fisicamente o nosso núcledo, que deverá ser um Instituto, neste lugar. Mas, nem tudo são maravilhas. Estes professores, de diversas origens, vieram para o Rio Grande do Norte pelas excelentes perspectivas da UFRN, mas também pelo fato de Natal ser um cidade extremamente atrativa e atraente. Ora, qual a dificuldade de se transferir para Jundiaí? Problemas básicos de infra-estrutura. Todos, talvez fora a mim mesmo, preferem permanecer residindo em Natal, pois sabem que Macaíba não oferece condições adequadas de moradia.

Tanto pela falta de estrutura residencial, com também pela falta de um bom supermercado, de um shoppinge e, principalmente para os mais jovens que tem filhos pequenos, de boas escolas. Ainda nesta semana fiz uma nova visita à EAJ e conversei com os Profs. João Inácio e Júlio César, o diretor. Há da parte deles, para se somar ao que já vem fazendo a reitoria da UFRN, uma imensa boa vontade que o meu projeto de nos estabelecermos em Jundiaí venha a prosperar.

Mas, nada podem eles, como docentes da EAJ, fazer mais para atrair os novos professores. E não somente professores: cursos de pós-graduação significa um universo de estudantes de Mestrado e de Doutorado com bolsas. Significa novos funcionários. Ou seja, uma verdadeira comunidade acadêmica com poder aquisitivo, de consumo, bem acima da média do padrão de consumo macaibense.

Posto isto, deixo a provocação: os gestores públicos, e futuros candidatos, de Macaíba não percebem quanto é importante o desenvolvimento e expansão da Escola Agrícola de Jundiaí, como um novo e grande pólo universitário?

 Francisco Alexandre

A Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) entrou ontem (5) com uma ação no Supremo Tribunal Federal (STF) para barrar doações de empresas em campanhas eleitorais. A ação pede que a Corte declare inconstitucionais trechos da legislação eleitoral que permitem que empresas doem até 2% de seu faturamento bruto do ano anterior ao das eleições.

A entidade também quer que haja limites para doações de pessoas físicas – que hoje é definido em 10% – e também para aportes do candidato para sua própria campanha, que hoje não tem qualquer limite.

Para a OAB, existe uma “mistura tóxica” entre eleições e poder econômico, que aumenta a influência dos mais ricos sobre os resultados e, consequentemente, sobre a atuação do próprio Estado. “Por outro lado, prejudica a capacidade de sucesso eleitoral dos candidatos que não possuem patrimônio expressivo”, diz a entidade em determinado trecho da ação. A OAB chama de “perniciosos” os vínculos entre doadores de campanha e os políticos eleitos.

A ação, com pedido de decisão cautelar, visa a impedir totalmente a doação de empresas, que a OAB considera não ser legítima no processo político-eleitoral. Quanto à doação de pessoas físicas e dos próprios candidatos, a OAB quer que haja um prazo de um ano e meio para que o Congresso Nacional proponha novos limites. Caso isso não ocorra, caberia ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) estabelecer a porcentagem permitida. O relator da ação no STF é o ministro Luiz Fux.

Segundo o Capítulo XIV do Evangelho de João, quando às vésperas de ir para o calvário Jesus reuniu-se com os seus discípulos na chamada última ceia. O Mestre revela que mais tarde enviaria um Consolador, um Espírito da Verdade, que ensinaria todas as coisas e faria os homens recordarem suas lições.
   
No “O Evangelho Segundo o Espiritismo”, capítulo VI, Allan Kardec refere-se a essa passagem evangélica para situar o espiritismo como o Consolador prometido. Cumprindo-se assim duas previsões de Jesus:
   
Primeira: restaura a pureza primitiva dos ensinamentos cristãos, que foram negligenciados e deturpados na sua essência, na medida em que o movimento se institucionalizou, gerando o profissionalismo religioso e adotando práticas ritualísticas retiradas do paganismo com o propósito de atrair multidões. Sem exterioridades e sem oficiantes o espiritismo revive a mística do “amai-vos uns aos outros”.
   
Segunda: Desenvolve novos conhecimentos que valorizam a moral evangélica, confirmando-lhe a essência, enfeixados em três ângulos que se completam: Ciência, Filosofia e Religião. Com essa tríade perfeita deciframos os enigmas do sofrimento humano, suas razões e finalidades e conscientizamo-nos de nossas responsabilidades ante o conhecimento de leis imutáveis que regem nossa evolução: Causa e Efeito, Reencarnação, Mediunidade…
   
Alguns livros que em que se pode aprofundar nos ideais espíritas: como Filosofia: “Nosso Lar”, como Ciência: “Parnaso de Além Túmulo” e como Religião: “Fonte Viva”, “Pão Nosso”, “Caminho, Verdade e Vida”,  e “Vinha de Luz”.


Por: Dejackson Alvares de Faria
Do Livro: Quem tem medo dos espíritos de Richard Simonetti

O deputado estadual Ezequiel Ferreira de Souza, presidente estadual do PTB fez questão de prestigiar uma reunião da sigla, realizada na noite desta segunda-feira (5), no Instituto Pró-Memória de Macaíba. Presidido pelo médico Olímpio Maciel, o PTB ganhou dezenas de filiados com representação em vários

segmentos da cidade da Grande Natal.

Em 2008, o PTB de Macaíba lançou seis nomes a Câmara Municipal e indicou o empresário Betinho Pessoa para vice na chapa do ex-prefeito Luizinho Gonzaga (PSB). Para 2012, o partido pretende lança uma nominata forte para concorrer a Câmara Municipal de Macaíba, que tem hoje mais de 32 mil eleitores.

“Nasce uma nova musculatura no PTB de Macaíba. Acredito na política como instrumento para melhorar a vida do cidadão. Vamos trabalhar para construir a cada dia, uma Macaíba melhor. Tivemos uma grande votação no ano passado e aqui reconheço o empenho da minha amiga prefeita, Marília Dias”, comentou Ezequiel, lembrando os quase 6 mil votos que obteve na cidade.

Quem também discursou foi o médico Olímpio Maciel, que preside o PTB de Macaíba. “Hoje é um momento ímpar que vivo. Isso é um início de uma luta. Todos estamos comprometidos para somar em Macaíba. Aqui temos representantes do comércio, de segmentos da sociedade, estudantes”, enumerou Olímpio Maciel.

Entre as novas filiações estão a do empresário Felipe Müller, que já foi prefeito de Caiçara do Norte e transferiu seu domicílio para Macaíba. Quem também assinou a ficha do PTB foi o ex-vereador Chico Cobra, que foi vice-prefeito da cidade. Presidente da Associação dos Pescadores, Zeca Cunha foi outro integrante. O professor Palhares, que foi vereador, Joca do ABC, Guedes Neto, Genival, Mourinha, Ivanildo de Cajazeiras, Maxson Palhares, entre outros nomes fortes estão no PTB de Macaíba.

 

 
 
 

00 – Ezequiel e Olímpio Maciel com novos filiados
01 – Médico Olímpio Maciel, que preside o PTB de Macaíba
02 – Empresário de eventos, Betinho Pessoa
03 – Soraya Mesquita, uma das mulheres que assinaram a ficha do PTB
04 – Reunião do PTB em Macaíba
05 – Dezenas de lideranças que assinaram a ficha do PTB
06 – Deputado Ezequiel em discurso na reunião
07 – Empresário e ex-prefeito Felipe Müller agora no PTB
08 – Representante dos Pescadores, Zeca Cunha no PTB
09 – Empresário Betinho Pessoa e o deputado Ezequiel Ferreira
10 – Novas lideranças fortalecem o PTB de Macaíba
Ezequiel Assessoria
Uma consulta da Câmara Municipal de Taubaté ao Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo (TRE-SP) trouxe nova interpretação à chamada PEC dos Vereadores e as regras do jogo – que podem mudar – dependem de decisão do Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

A Câmara de Taubaté questionou se, ao estipular apenas o número máximo de vereadores, a emenda à Constituição não fere o critério de proporcionalidade adotado nas demais esferas do poder Legislativo. Questionamentos semelhantes surgiram em outros cantos do País, inclusive no Paraná.

Em parecer, o procurador regional eleitoral substituto, André de Carvalho Ramos, entende que “um município situado em faixa posterior nunca poderá estabelecer seu número de vereadores abaixo do número máximo de vereadores previsto para a faixa anterior”. Em outras palavras, municípios na faixa populacional de Maringá não poderiam ter menos de 21 vereadores – limite estabelecido para a faixa populacional de Cascavel, por exemplo.
A notícia foi comemorada por vereadores que defendem o número máximo de vagas, permitindo que a alteração à Lei Orgânica passasse a tramitar na Casa. “Até que enfim aparece alguém [do Judiciário] que ‘conhece os princípios da proporcionalidade”, ressaltaram.

“Aguardemos apenas a ratificação da matéria pelo TSE, última instância nas questões eleitorais, enfatizou o consultor jurídico da Câmara.

De acordo com a tese contida no parecer do procurador regional do TRE paulista, cidades como Macaíba poderiam ter entre 13 e 15 vagas,  observando critérios subjetivos a serem definidos pelo TSE.

Informações seguras dão conta de que a “peleja” familiar que ameaça uma disputa, em palanques diferentes, entre Marília e Fernando está próxima do fim.

Segundo a fonte, alguns Deputados Estaduais, ao retornarem de Brasília esta semana,  trouxeram na bagagem uma ordem expressa do Deputado Federal Henrique Eduardo Alves: fazer uma composição eleitoral urgente  entre a Prefeita e Os Cunhas, independente da “arenga” ser real ou não.
Briga familiar semelhante, na terra natal da Prefeita, faz com que até hoje os Rosados se alternem no poder, mesmo a “briga”  já não mais existindo.
Henrique Alves teme que, ao contrário do que aconteceu em Mossoró e se alongando muito a estória do conflito, seja difícil para a população digerir a reconciliação. Acontecendo isso, seu ex-aliado, Luizinho, poderá ter chances reais de vitória.
É preciso que a população de Macaíba fique de olhos bem abertos, a fim de acompanhar o desfecho que será dado ao caso. Há  em jogo um projeto de poder que pode perdurar por vários anos. E o instrumento principal desse  jogo cruel é a manipulação do eleitorado.

Com números estimados, vamos realizar alguns cálculos, a fim de entendermos o sistema de representação proporcional, que determina o número de vagas obtidos por cada coligação, seja diretamente, através do alcance do quociente partidário, seja indiretamente, através da maior sobra média.

Suponhamos que 43 mil macaibenses compareçam às urnas para votar nas próximas eleições. Desse montante,  dois mil eleitores votem nulo,  mil votem em branco e quarenta mil votem ou em algum candidato a vereador ou em alguma legenda partidária.

Consideremos, ainda, que o município contará com as 15 vagas máximas prevista pela Constituição Federal.
 

1º passo: Determinar o número de votos válidos.
 43.000 votantes menos brancos e nulos (três mil) é  igual a 40.000.

2º passo: Determinar o quociente eleitoral.
Votos válidos divididos pelo número de vagas a preencher, desprezando-se a fração, se igual ou inferior a 0,5, ou arredondando para 1  se superior:
40.000/15  = 2.666,66   –   quociente eleitoral: 2667.


3º passo:
Determinar os quocientes partidários, dividindo-se a votação de cada coligação (votos nominais mais legenda) pelo quociente eleitoral.
COLIGACÃO          VOTAÇÃO       QUOCIENTE ELEITORAL    QUOCIENTE PARTIDÁRIO

A                             19600           /        2667     =   7,349                   7
B                              11000          /       2667      =   4,124                   4
C                                7000         /       2667        =   2,624                  2
D                                2400         /       2667        =   0,899                  0
                                                                                                                          
Nessa primeira operação, 13 vagas foram preenchidas diretamente, pelas coligações que atingiram o quociente partidário, sobrando 02 que serão preenchidas pelas maiores sobras médias a ser calculada a seguir. Já a coligação D não alcançou o quociente eleitoral, por isso não conseguiu nenhuma vaga e também não concorrerá às vagas que sobraram.


4º passo
: Distribuição das outras duas vagas pelo sistema da maior sobra média, dividindo a votação de cada coligação pelo número de vagas por ela já obtido mais 1 (artigo 109, I, do Código Eleitoral). Quem alcançar a maior média fica com a 1ª  sobra.
COLIGACÃO                     VOTACÃO          LUGARES + 1                     MÉDIAS
A                                     19600           / 8 (7+1)           =             2.450,0
B                                     11000           / 5 (4+1)           =             2.200,0 
C                                       7000           /3 (2+1)            =             2.333,3

Com essa operação, a coligação A obteve a maior sobra média e ganhou mais uma vaga.
 

5º passo: Repete-se a divisão, considerando que o partido A foi beneficiado com a primeira maior sobra média, aumentando o divisor para 9 (8+1) (artigo 109, II do código eleitoral).
COLIGACÃO                    VOTACÃO           LUGARES + 1        MÉDIAS
A                                     19600                    /9 (8+1)            2.177,77
B                                     11000                  /5 (4+1)              2.200,00
C                                       7000                  /3 (2+1)              2.333,33.

Nessa última operação, a coligação C ficou com a 2ª maior sobra média e conquistou a última vaga das sobras.

Resumindo: a coligação A conquistou 8  vagas (sendo 07 pelo quociente partidário e uma pela 1ª maior sobra média); a coligação B conquistou  4 vagas diretas, obtendo o quociente partidário e nenhuma pela sobra;  a coligação C conquistou 3 vagas, 2 diretas e mais 1  pela segunda maior sobra média. Já a coligação D, mesmo tendo obtido a maior sobra absoluta, não logrou nenhuma vaga, visto que não alcançou o quociente partidário.


Denílson Gadelha

Avanço no acesso a saneamento

Com a publicação da Lei Municipal 1559/11, instituindo o Plano Municipal de Saneamento de Macaíba, publicada em 26 de agosto no Diário Oficial do Município, a Prefeitura assegurou os recursos do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC 2), no valor de R$ 5,7 milhões. Esses recursos destinados a ampliação da coleta e tratamento de esgotos sanitários poderiam ser perdidos até  quarta feira (31), se o Poder Público local não tivesse concluído o Plano e assinado os contratos. A Companhia de Águas e Esgotos do Rio Grande do Norte (Caern) vem prestando assessoria às prefeituras para elaboração dos planos municipais de saneamento básico.
Ler mais…

O Partido Social Democrático (PSD) já conseguiu registro nas justiças eleitorais de dez estados, um dos requisitos para que a legenda possa ser criada. Segundo a assessoria do prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab, também presidente do PSD, o partido já foi autorizado a funcionar nos estados do Rio de Janeiro, de Mato Grosso, Santa Catarina, Goiás, do Acre, Piauí, Rio Grande do Norte, Tocantins, Paraná e de Rondônia.

A partir de agora, o partido pode pleitear o registro nacional no Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Ontem (1º), por meio da rede social Twitter, Kassab disse que, com a liberação do registro no Acre, por unanimidade, o PSD havia cumprido o último requisito para obter o registro nacional no TSE. “Viva! Parabéns a todos que participaram do processo de formação desse novo partido, o Partido Social Democrático”, declarou Kassab em sua conta no Twitter.

Hoje (2), seis vereadores de São Paulo assinaram a ficha de filiação ao partido. Segundo a Câmara Municipal de São Paulo, os novos membros do PSD são o presidente da Casa, José Police Neto, e os vereadores Souza Santos, Domingos Dissei, Ushitaro Kamia, Edir Salles e Marco Aurélio Cunha.

A vereadora Marta Costa, que não participou do evento, também comunicou que se filiará ao PSD. Com sete vereadores, a nova bancada será a segunda maior da Câmara de São Paulo, empatada com a do PSDB e menor apenas que a do PT, formada por 11 vereadores.

O PSD havia dado entrada no pedido de registro nacional no TSE, no dia 23 de agosto, solicitando a utilização do número 55 para sua legenda, quando ainda não tinha os registros estaduais necessários. Na segunda-feira (29), PDT, DEM e PSPB entraram com pedidos de impugnação para tentar barrar a demanda. Um dos problemas apontados pelos partidos foi justamente a falta dos registros estaduais mínimos exigidos por lei.

Na última quarta-feira (31), a relatora do pedido de registro do PSD, no TSE, ministra Nancy Andrighi, encaminhou os autos do processo ao Ministério Público Eleitoral (MPE), que vai emitir parecer sobre a solicitação do partido em formação. O MPE tem até o próximo dia 12 para emitir o parecer e, se for o caso, apontar as falhas a serem corrigidas pelo pretenso novo partido. Na hipótese de haver falhas no pedido de registro, o PSD terá dez dias para corrigi-las.

Segundo o TSE, a criação de um partido político exige que a sigla obtenha, no mínimo, a assinatura de 490 mil eleitores. Esse apoio deve estar distribuído em pelo menos nove estados. Quando pediu seu registro definitivo, em agosto, o PSD alegou ter conseguido mais de 538 mil assinaturas.

Candidata natural à reeleição, a prefeita de Macaíba (RN) Marília Dias, após três meses de ter iniciado seu programa de Rádio que vai ao ar uma vez por semana nas emissoras 96FM e 98FM, sempre as sexta-feiras logo as primeiras horas da manhã, agora parte para investir em televisão. O objetivo é mostrar as obras que vêm sendo realizadas no município. Nesta sexta-feira, à noite, a equipe que vai produzir o programa já começa a fazer as primeiras imagens aproveitando o Projeto Cinema na Praça, que acontece hoje, às 19h, na praça  Antônio Siqueira, que foi totalmente reformada e ampliada.


Blog do Barbosa

O aperreio é grande na Prefeitura de Macaíba, diga-se prefeita e aliados. Não adiantou a inauguração da “Praça do Eterno”, pois a pesquisa que saiu logo após demonstrou/mostrou para todos os macaíbenses o que a prefeita já sabia, a sua popularidade cada dia que passa está em queda. O que poucos em Macaíba sabem é que a prefeita tem pesquisas de índices de aprovação desde junho de 2010 onde ela tinha uma aceitação de 82% e hoje encontrando-se com cerca de 33% segundo informações de algumas pessoas que comentam nas esquinas de nossa cidade.

Muitos dizem que é mentira estas pesquisas, mais venhamos e convenhamos, mas dando uma olhada em sua administração, vemos que o que ela fez por Macaíba foi a construção de praças e agora os tapas buracos começaram, mais não tinha outra forma de ser, o asfalto estava se tornando intransitável.

Vejamos uma comparação entre os governos de Dr. Fernando e Marília que podemos ver onde se explica esta baixa de sua popularidade. Primeiro olhemos os postos de saúde, na época de Dr. Fernando, todos os postos de saúde tinham médicos atendendo a população quase que diariamente, hoje quando muito, uma vez por semana. A saúde era descentralizada, quem morava, por exemplo, em Traíras, marcava consultas no próprio posto de saúde e sempre tinha alguém encarregado de fazer a marcação destas consultas aqui no Posto da Maré (central), hoje faz-se uma imensa fila perto da Prefeitura para tentar tirar uma ficha. Imagine quem mora em Félix Lopes e precisa marcar uma consulta, ou vem na noite anterior ou chega às 02 horas da manhã e mesmo assim muitos não conseguem.

Outro exemplo: no governo de Dr. Fernando na área do esporte, quem jogava basquete tinha 06 horas semanais a noite, hoje só tem direito a 01 hora semanal e isso quando consegue encontrar o ginásio aberto. É um exemplo simples, ao invés de satisfazer o atleta ou ao povo, os seus secretários fazem questão de maltratar, espezinhar.

No caso do ginásio a indiferença do Secretário de Esportes, o Sr. Gilberto Nogueira é tão grande que mesmo sendo avisado a cerca de 02 anos atrás do perigo de um acidente com a tabela de basquete lá existente, até hoje não tomou providências. Quem lá joga é quem está sempre se preocupando com a segurança, levando de casa arames, cordões ou nylon para tentar amarrar os cabos de aço que sustentam a tabela.  Quem não acredita e acha que é mentira, dá uma passada lá no ginásio e olhe para os cabos de sustentação da tabela.

Aqui fica até o aviso de que se ocorrer um acidente pode haver vítimas fatais, pois com a queda de uma tabela como aquelas pode haver esmagamento de uma pessoa.

Comecemos mudando na área de esportes, mudança geral, substituição do secretário, coordenadores e colocando quem conhece da área ou que pelo menos tenha amor pelo esporte, e diga-se aqui ESPORTE com letras maiúsculas, pois vocês acham que só investindo no futebol de salão vocês estão trabalhando no esporte?

Prefeita se não sabe por que que a senhora não consegue subir nas pesquisas quem sabe olhando mais para os seus comandados e escolhendo pessoas competentes quem sabe a sua rejeição diminui, troque secretários, cargos comissionados, colocando pessoas com interesse de trabalhar por nossa cidade e não só ir ao banco ao final do mês para receber o seu pagamento.

Por Dejackson Alvares de Farias

Dizem que sou louco,

que a loucura me domina,

que ser louco é minha sina,

que a loucura é minha crença.

 

Dizem que sou louco,

por eu ser um poeta,

por buscar as minhas metas,

louco por sonhar demais.

 

Mais nem um louco é capaz,

de ser louco competente,

de usar a sua mente,

para fantasiar seus pesadelos.

 

Loucos são aqueles,

que não sabem fazer nada,

que servem a pátria amada,

dizendo morrer por ela.

 

Loucos são aqueles,

que não lutam por seus sonhos,

mas vivem a dizer,

que morrem por amor.

 

Sim! Sou um louco inteligente,

de loucura natural.

Se for louco como dizem,

ser louco é normal!

 

Wedson Nunes “Poeta”

Macaíba/RN – 11/12/2004

O secretário de Estado da Saúde Pública, Domício Arruda, se reuniu quarta-feira (31) com a promotora de Saúde, Iara Pinheiro e os secretários de Saúde dos municípios de Pau dos Ferros, Caicó, Macaíba, Assu, Natal, Currais Novos e Parnamirim. O encontro serviu para tratar da resolutividade dos Pronto-Atendimentos existentes nessas cidades.

A promotora questionou os secretários municipais sobre o atendimento nessas unidades hospitalares, que quase sempre não cumprem seu papel – de acordo com as diretrizes do Sistema Único de Saúde (SUS).

Isso sobrecarrega os hospitais localizados na capital e diminui o nível de qualidade do atendimento, devido a superlotação gerada. “Os municípios precisam assumir suas responsabilidades na gestão da saúde. Essa ausência de resolutividade vem gerando há anos, uma demanda muito alta para a Sesap, que não suporta mais”, falou Iara Pinheiro.

Para Domício Arruda, ações já iniciadas vem resolvendo os problemas no atendimento em algumas regiões como Assu, que reabriu o pronto-atendimento, Caraúbas e Pau dos Ferros, que intensificaram a realização de cirurgias eletivas. Mas, na região Metropolitana há uma demanda maior que os leitos disponíveis no hospital Walfredo Gurgel. “Precisamos de um hospital em Natal para suprir a demanda de trauma-ortopedia existente atualmente”, disse o secretário.

Nesses primeiros oito meses de governo, apenas 34 municípios do Rio Grande do Norte ainda não são considerados plenos na Média e Alta Complexidade. Ao todo, 133 municípios do RN, que estão nesse bloco, de acordo com a regionalização e a hierarquização do SUS, constituem para os gestores municipais, uma série de responsabilidades relativas aos serviços e procedimentos relevantes à garantia da assistência ao cidadão.

Nesse bloco, de acordo com o Pacto da Saúde, as três esferas de governo tem um papel importante a ser desempenhado sistematicamente.

* Fonte: Sesap

Mesmo quem não gosta ou diz não gostar de falar sobre Política, se mora em Macaíba ou tem algum vínculo com a cidade, já deve ter se questionado se a dissensão entre Marília e Fernando é verdadeira. Pois bem, este post não vem tentar esclarecer a verdade a ninguém. Mas, vai lançar mais uma especulação – baseada em alguns fatos.

Já li em muitos comentários deste mesmo site que a dissensão entre Marília e Fernando é fictícia – na realidade(ou seja, nos bastidores)eles ainda seriam amigos e até aliados políticos. Pessoalmente, não acredito nessa hipótese. A tensão gerada na campanha para Governo do Estado do Rio Grande do Norte falou por si só, e a considero como um dos principais indicadores que há, sim, divergências entre os dois referidos políticos.

Sabemos o quanto foi bradado insistentemente pelas ruas da cidade nomes de candidatos que jamais os dois apoiariam em comum. Embora, saibamos também que havia alguns poucos nomes em comum nas duas distintas chapas. Outro indicador que a disputa é verídica é o fato que terem havido supostas e até alegadas exonerações de determinados comissionados da atual gestão municipal pelo fato de manterem certas ligações com o grupo político de Fernando Cunha.

No final das contas, cada um que tire as suas devidas conclusões. Eu já tirei a minha: Fernando e Marília, provavelmente, não deverão estar num mesmo palanque em 2012. Não posso afirmar isso com relação a outro pleito. Mas, em 2012 isso é pouco provável. Observação: não estou dizendo que é impossível. Para finalizar o post, Marília tem mantido bons índices de popularidade, já tem bases políticas sólidas na cidade, mas ninguém garante que ela possa repetir o feito de 2008, quando se elegeu por uma boa margem de votos na frente do principal oponente.

Mas, vale lembrar! Havia a figura política de Fernando que já tinha conquistado dois mandatos seguidos por trás de campanha de Marília. Fernando Cunha era, praticamente, unanimidade na época. Hoje, talvez não seja. Porém, uma recente pesquisa mostrou que ainda sua imagem é muito popular na Terra de Coité. Quanto a Marília, já disse e vou dizer: vem como nome de peso para a disputa de 2012 – isso também não nos dá a certeza de afirmar que ela estará eleita.

 

* Andry Morais 

Após algumas semana de serviços de esgotamento sanitário e manutenção na rede de esgotos, a rua Professor Caetano, no centro da cidade de Macaíba, agora passa por processo de recapeamento, com o intuito de solucionar a má condição da pista provocada pelos serviços de saneamento.

            Ainda com ondulações e em processo de finalização, o asfalto da pavimentação, provavelmente, ainda passará por alinhamento e planagem, garantindo ao cidadão uma condução mais rápida e tranqüila sem se preocupar com danos no veículo…

Macaíba em Foco

Resultados dos Últimos Jogos do Campeonato de Futsal da 
Zona Rural Masculino

Data      Hora     Chave                                                               Local    

26/08    19:00    “C”       São José     03  X  03    Guarani                 Traíras
26/08    20:00    “C”       Curitiba       04  X  03    Veronike               Traíras
26/08    21:00    “D”       Beira Rio     00  X  03    15 de Novembro    Traíras
 
26/08    19:30    “C”       Santos        00  X  03    Mancha Verde        C.Brava
26/08    20:30    “D”.      PalmeirasLamarão    05  X 09    Boca Junior C Brava
 
27/08    19:00    “A”      União           02  X 03         São Paulo          Traíras
27/08    20:00    “A”      Vira Copo     03  X 04     Coité                     Traíras
27/08    21:00    “A”      Brasil            03  X 03    PalmeirasM.Verde   Traíras
27/08    19:00    “B”      Alecrim        04  X  05       Os Biriteiros         C. Brava
27/08    20:00    “D”      Lagoense     02  X  06    Bota Boneco          C. Brava
27/08    21:00    “B”      A.B.C           03  X  03          Palmeiras C.B    C. Brava

Resultado do Campeonato de Futsal da  Zona Rural Feminino

DATA    HORA        EQUIPE                                                        Local

27/08    19:00    Barcelona    05   X  02    Estudiantes               Lamarão
27/08    20:00    15 de Novembro    02   X  01 As quilombolas   Lamarão
27/08    21:00    Atitude    05   X  03    São Paulo                     Lamarão

Resultados dos Últimos Jogos do Campeonato de Futsal Zona Urbana

DATA    HORA       Chave                                 EQUIPE

26/08    19:00    2ª div.”F”     Os Amigos de Davi    02  X  04     Bandeirantes
26/08    20:00    2ª div “G”    Bom dos Ciclistas    02  X  04    Touro
26/08    21:00    1ª div         Santa Cruz    00  03    Aliança
                
30/08    19:00    2ª div “G”    Força Jovem    03  X  02    Nempe
30/08    20:00    2ª div.”F”     Boa Sorte    02  02    Touro
30/08    21:00    2ª div “G”    Diablos Vermelhos    01  X  01    São José

Beto Esporte

Foto: Cláudio Álvares Marques

O Inquérito Policial instaurado em 2007 pela Polícia Federal, que têm como indiciados os irmãos Fernando e Sérgio Cunha, teve uma semana movimentada. Hoje estava marcado o depoimento de Sérgio e amanhã deve depor o prefeitável Fernando.

Os autos tratam de crime de responsabilidade e apuram denúncias do uso indevido de equipamentos e pessoal da Prefeitura em favor próprio e de terceiros, num total afronta aos princípios éticos e morais que regem o serviço público.

Os irmãos têm tido a seu favor a morosidade do Judiciário e da própria Polícia, visto que, mesmo que venham a ser condenados, podem escapar da inelegibilidade, com base na ficha limpa (ou suja, como queiram), em razão deste processo especificamente.

Às vezes, a demora em se fazer justiça se assemelha à impunidade. Porém, ficaremos diligentes em acompanhar as denúncias, sempre em busca da verdade real.

A Câmara dos Deputados deverá votar hoje o projeto de lei que trata das alterações no Supersimples. A proposta prevê um reajuste de 50% nos limites do faturamento anual das micro e pequenas empresas, elevando de R$ 240 mil para R$ 360 mil o ganho da microempresa e de R$ 2,4 milhões para R$ 3,6 milhões, o da pequena empresa.

Antes da votação do Supersimples, os deputados precisam votar o projeto de lei do Executivo que cria o Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec), que está com urgência constitucional vencida e, portanto, trancando a pauta.

Acordo para a votação dos dois projetos foi feito hoje em reunião do presidente da Câmara, deputado Marco Maia (PT-RS), com os líderes partidários. Segundo o líder do PSDB, deputado Duarte Nogueira (SP), a votação do Supersimples depende da apreciação do texto e dos destaques a serem apresentados pelos partidos para modificações no texto do relator.

O líder do governo, deputado Cândido Vaccarezza (PT-SP), disse que, além dos dois projetos, a intenção é, pelo menos, iniciar a leitura da Medida Provisória 534, que trata de incentivos para a produção de tablets no Brasil.

O funcionário público Augusto Neto está assumindo a comissão provisória da sigla do PDT em Macaíba. Desportista, é considerado na cidade um grande colaborador do futebol pisa-na-fulô. Augusto Neto é irmão do comerciante Chico Brotinho, “presidente” do Senadinho de Macaíba.

Rômulo Estanrlêy

Em Natal, existe um antigo casarão, na rua da Conceição, que remonta ao périodo colonial do Rio Grande do Norte e que é conhecido por ” A Noiva”, visto que parte da estrutura do telhado desce em acentuado declive, desde a sua cumeeira até a parte inferior, lembrando a presença de um véu nupcial. Macaíba também possui um casarão com essa singularidade, e, durante os primeiros anos de sua construção, também era conhecido como “A Noiva”.

O casarão da Rua Dr. Francisco da Cruz, centro de Macaíba, foi construído por volta de 1860, sendo um presente do Major Fabrício Pedroza para sua filha Guilhermina da Silva Pedroza Tavares. Com o falecimento desta, seu esposo Antônio Tavares se desfez da residência, vendendo-a ao major Heráclito de Oliveira senhor do engenho Utinga, que utilizava-o nos dias de feira e quando estava em Macaíba.

Posteriormente o casarão foi vendido ao Sr. Antônio Damasceno de Lima comerciante na cidade, permanecendo na posse de seus familiares atualmente.

O imóvel possui várias intervenções físicas, tanto internas como externamente, que demonstram bem a sucessivas temporalidades que agregam valores, situando-o como importante referência paisagística e identitária na cidade de Macaíba.

Um breve histórico dessas intervenções demonstra bem a relação do imóvel com as dinâmicas próprias da cidade. Relatos tradicionais afirmam que a edificação remonta ao fim do século XIX e que a aparência de sua fachada diferia da do registro iconográfico mais antigo conhecido (Fig. 01).

Na fotografia alguns elementos ecléticos foram incorporados á fachada, mas a proporção dos vãos ainda é a original. Na reforma acontecida em meados da década de 1930 (Fig. 02), os proprietários da casa reelaboram a fachada dentro de uma ornamentação menos rebuscada, mais geométrica, de linhas retas, com alguns escalonamentos, redistribuindo os vãos e substituindo o antigo piso por ladrilho hidráulico policromado em padrões geométricos.

Retratando fenômeno comum à periferia das áreas economicamente ativas, cidades de pequeno é médio porte tentavam acompanhar os modismos arquitetônicos, principalmente através de “maquiagens” estilísticas da fachada. A distribuição interna do imóvel e sua implantação no lote raramente sofriam modificações, mantendo intacta a espacialidade da arquitetura tradicional.

No imóvel específico, a reforma da década de 1930 ainda reformulou algumas espacialidades da casa, ao abrir na fachada uma área que matiza as relações entre o público e o privado, criando uma espécie de espaço intermediário, utilizado hora como área de “receber” ou até mesmo de “estar”, reforçando uma relação entre a rua e a casa. Isso concede características peculiares ao imóvel, indicando uma interessante releitura do vocabulário “moderno” do período pelo fazer da arquitetura popular.

Anderson Tavares

Os torcedores abecedistas que atenderam ao apelo da diretoria, frustrados com a goleada protestaram contra a queda livre do alvinegro

Se tinha algo de bom para a torcida se orgulhar, na irregular campanha do ABC na série B do Brasileiro, era a invencibilidade dentro do estádio Frasqueirão. Agora, não tem mais. O time foi goleado pelo Bragantino por 5×0, na noite desta terça-feira, diante de sua torcida e caiu mais uma posição na tabela. Agora, é o 15º colocado, com 25 pontos. A equipe paulista ultrapassou o alvinegro e deu um salto na classificação. De 16º para a 9º colocação. Os gols foram marcados por Romarinho, que balançou as redes abecedistas em duas oportunidades, Lincon, Mineiro e Otacílio Neto. Agora, a equipe potiguar se prepara para enfrentar o Salgueiro, sábado, no interior de Pernambuco. Para esse confronto, o técnico Guto Ferreira não vai poder contar com o atacante Leandrão, expulso contra o Bragantino.

A partida começou equilibrada, com os dois goleiros trabalhando. No entanto, a crise vivida pelo ABC logo pôde ser notada e o Bragantino passou a criar as melhores chances. Com sete minutos, Astorga apareceu em meio aos zagueiros para desviar a bola cruzada rasteira da linha de fundo pela esquerda: 1 a 0. O espaço para os contra-ataques aumentos e Lincon aproveitou bem aos 14 minutos. Ele recebeu lançamento pela esquerda, limpou o zagueiro e bateu com categoria entre as pernas do goleiro. O técnico do ABC, Guto Ferreira, reclamou de impedimento e o árbitro da partida acabou expulsando o comandante alvinegro.

O ABC acordou depois do segundo gol, criou boas oportunidades e fez o goleiro Gilvan trabalhar. Uma das intervenções do arqueiro foi como um balde de água fria nos donos da casa: aos 29 minutos, Leandrão cavou pênalti em disputa com o camisa 1. Na cobrança, o camisa 9 optou pelo canto esquerdo baixo de Gilvan, que saltou para defender.

Na volta do intervalo, o técnico alvinegro tentou ajeitar a marcação do setor defensivo e fez duas modificações. Tirou Tiago Garça e colocou Irineu e sacou Makelelê para a entrada de Marcus Vinícius. Mas, as substituições não surtiram o efeito desejado e o Bragantino voltou a sobrar  na segunda etapa.

Com espaços, marcou mais três gols: aos 20 minutos, após cruzamento da direita, Romarinho empurrou às redes. A torcida, que tentava apoiar o time, começou a deixar as dependências do Frasqueirão.

Abalados, os anfitriões cederam ainda mais espaços e a derrota se transformou em goleada. Mineiro, aos 32, e Otacílio Neto, aos 36, deram números finais ao jogo no Frasqueirão. Aos 43 minutos, o atacante Leandrão fez um falta violenta em um jogador do Bragantino e foi expulso pelo árbitro Sandro Meira Ricci. Na descida para o túnel do vestiário, ainda parou para discutir com torcedores, que protestavam contra o time. No final da partida, o goleiro Camilo deixou o campo chorando, envergonhado com o placar final.

Tribuna do Norte

O pleno do Tribunal Regional Eleitoral do Rio Grande do Norte (TRE-RN) aprovou, por unanimidade, o pedido de registro do PSD no Estado. O desembargador Francisco Saraiva Sobrinho e os juízes Jailson Leandro, Ricardo Procópio, Ricardo Moura e Marcos Duarte acompanharam o voto do juiz-relator Fábio Holanda, que indeferiu o pedido de impugnação feito pelo DEM e pelo PTB contra a criação da nova legenda.

 
A representação do DEM e do PTB se apoiava nas denúncias da suposta clonagem de atas para formalização dos diretórios do novo partido em quatro cidades do Rio Grande do Norte. Em seu voto, Fábio Holanda seguiu a recomendação da Procuradoria Regional Eleitoral do RN (PRE-RN) e se manifestou a favor da criação do PSD.

A Comissão Especial da Reforma Política adiou em uma semana os prazos para apresentação de emenda ao anteprojeto do relator, deputado Henrique Fontana (PT-RS), e do relatório final. Com isso, Fontana vai receber sugestões de emendas até o dia 13 de setembro e apresentar o parecer final no dia 21.

O grupo encerrou há pouco a reunião destinada a discutir o anteprojeto. O debate continuará amanhã, às 14h30, no Plenário 14.

Após serviço de saneamento realizado pela CAERN que duraram 60 dias. A prefeitura e CAERN não colocaram o asfalto na Rua Professor Caetano, uma das principais ruas do centro da cidade de Macaíba.

O serviço de recapeamento é de obrigação da CAERN, devido ter sido esta instituição que danificou a via para realizar obra de saneamento.

Entretanto, a prefeitura tem uma parcela de culpa, por ter liberado o tráfego de veículos e ter deixado a CAERN entregar a Rua Professor Caetano sem as mínimas condições.

A população macaibense quer saber até quando a Rua Professor Caetano irá continuar nestas péssimas condições?

Por: Cabo Heronides