Política Arquivo


Em entrevista ao jornalista Diógenes Dantas, o deputado federal Felipe Maia (DEM), disse que a aprovação pela diferença de 11 votos a favor do parecer do relator da Comissão Especial do Impeachment, deputado Jovair Arantes (PTB-GO), foi um indicativo do que acontecerá na votação do Plenário da Câmara, prevista para o próximo domingo (17). Para o parlamentar, o placar de 38 votos a favor e 27 contra surpreendeu a base governista. “O governo já imaginava que iria perder, mas com uma margem de cinco votos. Foi surpreendido por mais do dobro”, disse.

Apesar da vitória da oposição na comissão e o prognóstico positivo da bancada na Câmara a favor do impedimento de Dilma, Felipe Maia acredita que ainda não há uma definição. Isso porque existe um número considerável de congressistas indecisos. “Esse jogo não está definido, não está jogado. Só será jogado no próximo domingo. É uma espécie de biruta. Alguns ficam esperando para que lado o vento vai sobrar para poder pular do barco ou continuar neste barco do governo”, avaliou.

O deputado estima que até o dia da votação, mais deputados se manifestem favoráveis ao processo contra a presidente Dilma. “O placar hoje é favorável ao processo de impeachment. Se nós avaliarmos ou pegarmos como referência o estudo que o jornal Estado de São Paulo vem fazendo, existem 299 votos favoráveis ao processo de impeachment, 123 votos contrários, 48 indecisos e 43 deputados que não quiseram responder. A tendência ao longo do tempo é de crescimento de votos favoráveis ao impeachment e uma constante no que se refere aos votos contrários”, afirmou Felipe.

Confira na íntegra no Nominuto.com

senadinho1

http://www.opotiguar.com.br/wp-content/uploads/2016/03/filia%C3%A7%C3%A3o-ezequiel-e-gustavo-3-740x518.jpg
Por Daniel Menezes – O Potiguar

O PSDB quer mais. Em conversa com um candidato do partido, este me disse que o novo grupo do presidente da Assembleia Ezequiel Ferreira de Souza se prepara para cobrar mais espaço do governo. Os tucanos, após a janela partidária, passaram a formar a maior bancada do poder legislativo com cinco deputados estaduais.

Não é segredo para ninguém que o deputado federal tucano, Rogério Marinho, começou a se aproximar da gestão de Robinson Faria, movimento que será intensificado com o ingresso na sigla pelo presidente da AL. Ezequiel e Robinson são parceiros e mantém interação bem afinada.

ANÁLISE: Robinson Faria precisará mexer no seu secretariado. A desproporção na forma como os aliados ocupam os cargos é sinônimo de desavenças futuras e o PSDB se tornou um partido de grande envergadura no RN. Nesse sentido, será uma organização fundamental à governabilidade da atual administração. É possível que o governador aproveite a desincompatibilização dos prefeitáveis de seu primeiro escalão para alojar o PSDB.

image

Heitor Gregório destaca que os bastidores da política potiguar apontam que a possibilidade da ex-governadora Wilma de Faria se filiar ao PR já está descartada. Bem como a filha-deputada Márcia Maia.

Na manhã desta terça-feira (15), Wilma recebeu João Maia em seu apartamento para mais uma conversa.

Conversa sem a confirmação de filiação ao PR.

Wilma e Márcia deverão acompanhar Ezequiel rumo ao PSDB ou PPS.Wilma e Márcia deverão acompanhar Ezequiel para o PSDB ou PPS.

O deputado estadual José Dias (PSD) confirmou agora ao Blog de Thaisa Galvão que vai deixar o partido do governador Robinson Faria, como já anunciado desde o começo do ano passado, para se filiar ao PSDB.

Dias afirmou que se o deputado federal Rogério Marinho (PSDB) for candidato a prefeito de Natal é ele que irá apoiar.

Mas, se Rogério não for candidato, seu voto será do provável candidato a prefeito, o deputado federal Rafael Motta.

Apesar de ser marido da tia do prefeito de Natal, Carlos Eduardo, Dias disse que não vota no prefeito.

Já Diúda Alves, sua mulher e tia do prefeito, deve votar.

Questionei se José Dias não se considerava tio afim do prefeito e ele disse que não, pois o prefeito nunca se considerou seu sobrinho afim.

temer_folha

O diretório estadual do PMBD está convocando os prefeitos, vice-prefeitos, vereadores e demais lideranças do partido no Rio Grande do Norte para uma reunião na próxima sexta-feira (29), no hotel Imirá Plaza, na Via Costeira. O encontro contará com as presenças do vice-presidente da República Michel Temer, ministro Henrique Alves, senador Garibaldi Filho, deputado federal Walter Alves, deputados estaduais da legenda e a alta cúpula da Executiva Nacional. A abertura do encontro será as 14h.

Então, fica claro que não só a ex-prefeita de Macaíba, Marília Dias, recebeu o convite. E sim todos (as) do partido no município.

Por Carlos Santos

A partir desta sexta-feira, entidades ou empresas que realizarem pesquisas de opinião pública sobre as eleições ou sobre os possíveis candidatos, para conhecimento público, ficam obrigadas a registrar cada pesquisa no Juízo Eleitoral ao qual compete fazer o registro dos candidatos, com os dados previstos em lei e nas resoluções expedidas pelo TSE. O registro da pesquisa deve ser feito com antecedência mínima de cinco dias de sua divulgação. Os responsáveis por divulgar pesquisa sem o prévio registro das informações obrigatórias ficam sujeitos a multa, que varia de R$ 53.205,00 a R$ 106.410,00. São esses alguns dos dispositivos da resolução do TSE que trata do assunto.

http://senadinhomacaiba.com.br/blog/wp-content/uploads/2015/04/Banner_Site_450x100px_Senadinho-copy.jpg

O Xerife destaca que o presidente estadual do PSDB, deputado federal Rogério Marinho, está se articulando para que a legenda dispute a prefeitura de Natal, em 2016. Seu nome, inclusive, é o mais provável para entrar no embate.

Segundo Marinho, o tucanato nacional orienta a formalização de candidaturas nas cidades com mais de 10 mil eleitores. O RN seria representando pela capital, Mossoró e Parnamirim. Contudo, PSDB tem cerca de 50 cidades potiguares com vistas às eleições do próximo ano.

IMG-20150413-WA0024

Xerife – A assessoria da presidente Dilma Rousseff (PT) agendou para hoje (19), em Brasília, encontro com os governadores do Nordeste, dentre Ezequiel Ferreira de Souza, que assume interinamente o cargo no Rio Grande do Norte.

O encontro era aguardado pelos gestores há algum tempo para tratar com a petista da estiagem que castiga a população nordestina. Ezequiel será acompanhado pelo secretário estadual de Recursos Hídricos, Mairton França.

Foi amplamente divulgado o suposto rompimento político entre o prefeito Kerginaldo Pinto de Macau e o ex-prefeito e seu mentor, Flavio Veras. Anunciaram troca de agremiação e tudo mais. Com o afastamento de Kerginaldo da prefeitura, após o Ministério Público denunciar irregularidades nos contratos de terceirização daquele poder público, ficou escancarada a artimanha.

Conforme o MP, Kerginaldo falsificou documento e coagiu servidores para que eles dessem declarações de que Flavio Veras estava impedido de ingressar na sede da prefeitura de Macau. A demonstração de distanciamento formal tinha o objetivo de apresentar que Flavio Veras não exercia qualquer tipo de influência sobre a viúva.

Com isso, Flavio Veras teve sua prisão relaxada pelo Tribunal de Justiça, que entendeu que o dito cujo, sem contato com o poder público, não oferecia perigo no sentido de colocar em práticas os crimes em que era acusado, nem coagiria testemunhas e muito menos destruiria provas.

A manobra foi descortinada pelo transcorrer dos acontecimentos. Os dois nunca romperam de fato. Foi apenas jogo para o Tribunal de Justiça e o Ministério Público, conforme este último poder.

Além disso, a encenação tinha outra intenção – dividir a oposição no pleito municipal de 2016 em Macau. A estratégia é clássica em eleições em que há apenas um turno apenas e o vencedor não necessidade obter maioria de 50% + 1. Kerginaldo sairia em busca de sua reeleição, Flavio, supostamente na oposição, lançaria outro concorrente. O outro grupo oposicionista também apresentaria um terceiro postulante. Com a força da máquina, Karginaldo precisaria atingir uma quantidade menor de votos, na medida em que os votos da oposição estariam divididos. Pelo jeito, em decorrência da alteração do cenário, não colou.

O Potiguar

Conferência de Juventude 1

Cumprindo agenda oficial, o governador em exercício, Ezequiel Ferreira de Souza, participou hoje (14) no final da manhã da 3ª Conferência Estadual de Juventude, no Auditório da Reitoria da UFRN. O evento foi organizado pela Secretaria Extraordinária de Juventude do RN (Sejurn) e definirá os 20 delegados que representarão o Estado na Conferência Nacional de Juventude, em Brasília (DF), que ocorrerá em dezembro. Em seu discurso, Ezequiel Ferreira de Souza, que também é o presidente da Assembleia Legislativa do RN, parabenizou o empenho da secretária da Juventude do Estado, Divaneide Basílio e afirmou que tanto o Governo, quanto a ALRN são parceiros da juventude, na conquista de seus direitos.

O Governo do Estado lançou no evento a cartilha “Participação, Autonomia e Juventude Vida”, por meio da Sejurn, em que constam as principais ações já realizadas pela Secretaria desde sua criação, no início de 2015, bem como o planejamento para os próximos anos.

Participaram do evento, que terá discussões em grupos de trabalho até amanhã (15), as quais resultarão na construção, dentre outros documentos, da Minuta do Conselho Estadual de Juventude que posteriormente será enviada à Assembleia Legislativa. “Essa será a melhor conferência de juventude que o Estado ja teve. Conseguimos mobilizar 23 segmentos da sociedade civil, e mais 23 instituições públicas, num claro esforço de unirmos forças e interesses em prol do que a juventude precisa”, disse Divaneide Basílio. Ler mais…

O deputado federal Rogério Marinho, presidente de honra do PSDB no Rio Grande do Norte, cumpre agenda neste sábado (05) em Mossoró. Na capital do Oeste, o parlamentar concedeu entrevista ao vivo à rádio Difusora. Na oportunidade, o parlamentar afirmou que a meta da legenda para 2016 no RN é lançar candidaturas próprias nas cidades com mais de 100 mil eleitores, casos de Natal, Mossoró e Parnamirim, obedecendo orientação nacional do partido.

Rogério revelou ainda que, apenas entre este sábado e domingo, tinha agenda reuniões com representantes de mais de 14 municípios potiguares, que estão dispostos a fortalecer o PSDB em suas regiões. Segundo o parlamentar, além das três maiores cidades, os tucanos deverão participar das eleições de 2016 com candidaturas majoritárias em cerca de 50 municípios do RN.

“Claro que essas candidaturas precisam ser construídas e não há ainda nenhuma definição, mas estamos trabalhando neste sentido. A população precisa ser consultada. Os eleitores estão cansados da política antiga, onde os candidatos se atacavam e dividiam os votos nesta ou naquela cor. Hoje todos nós queremos que os problemas das nossas cidades sejam resolvidos, que a mobilidade urbana melhore, que a saúde e a educação pública funcionem”, disse Rogério. Ler mais…

8e8cbf02bc454b5e573af48dd96f3384

O presidente da Assembleia Legislativa, deputado Ezequiel Ferreira de Souza, apresentou Projeto de Lei que dispõe sobre a inclusão dos conteúdos de cidadania, ética e política como temas complementares das disciplinas de Estudos Sociais e História na rede estadual de ensino.

“Toda criança e todo jovem têm o direito de aprender o sentido da cidadania na sua concepção mais ampla. É dever da escola ensinar e agir fundamentada nos princípios da democracia, ética, responsabilidade social, interesse coletivo, identidade nacional e da própria condição humana”, disse Ezequiel.

De acordo com o projeto, o ensino sobre Cidadania, Ética e Política deverá integrar as disciplinas do ensino médio da rede estadual de ensino público, de forma sistemática e permanente, como conteúdo curricular e não como disciplina.

Para Ezequiel Ferreira, com a inclusão de temas relacionados à Cidadania, Ética e Política no currículo das escolas públicas estaduais do Rio Grande do Norte, pretende-se estimular a reflexão do pensamento voltado aos valores éticos e cívicos, necessários ao convívio social.

z31-e1440442047226

O PSB/RN prospecta a apresentação de mais de 40 candidaturas majoritárias para as eleições do próximo ano. Esse foi o balanço que a dirigente do Rio Grande do Norte, Wilma de Faria, apresentou, nesta segunda-feira, 24, no Hotel Nacional, em Brasília, durante reunião do Conselho Nacional de Presidentes Estaduais do PSB.

“Temos nomes fortes nos nossos quadros e podemos e devemos conquistar prefeituras em cidades importantes do nosso estado. Já estamos colocando em prática algumas estratégias para fortalecermos nosso partido”, disse a líder pessebista.

Na pauta, foram analisadas as candidaturas nas capitais e cidades-pólo, uma vez que se apresentar como alternativa competitiva nos principais municípios do país é a estratégia definida pela legenda nacionalmente.

O presidente nacional do PSB, Carlos Siqueira, lembra que nas eleições de 2012 o partido elegeu o maior número de prefeitos de capitais entre todas as legendas: 445. “Ampliamos o número de prefeituras em 42,9%”, afirmou, lembrando que em 2008 tinham conquistado 310 cidades. Ler mais…


O ministro do Planejamento, Nelson Barbosa, anunciou hoje (24) que o governo vai reduzir o número de ministérios do governo, baixando de 39 para 29 o total de pastas. A medida faz parte de um pacote de reforma administrativa apresentado hoje (24) a ministros durante a reunião da coordenação política com a presidente Dilma Rousseff.

Os ministérios que serão extintos serão definidos até o fim de setembro por uma equipe do governo. “Nosso objetivo é chegar a uma meta de dez [ministérios]. Existem várias propostas possíveis para atingir essa meta. Precisamos ouvir todos os envolvidos, não tem nenhum ministério inicialmente apontado para ser extinto”, disse Barbosa.

A reforma também inclui cortes em estruturas internas de órgãos, ministérios e autarquias – com a redução de secretarias, por exemplo; a diminuição dos cargos comissionados no governo, os chamados DAS; o aperfeiçoamento de contratos da União com prestadoras de serviços, entre eles de limpeza e transporte; e a venda de imóveis da União e a regularização de terrenos. Ler mais…

Depois da aprovação pelo plenário da Câmara dos Deputados, na última semana, da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 171/93 que reduz, em alguns casos, a maioridade penal de 18 para 16 anos, a responsabilidade por levar a discussão adiante está com os senadores, que precisam submeter o texto a dois turnos de votação. A tarefa, no entanto, não será fácil. Após o resultado da Câmara, o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), voltou a dizer que pessoalmente é contrário a proposta.

“Eu não sou a favor, mas não significa que a matéria não vá tramitar no Senado Federal, que já votou a atualização do ECA [Estatuto da Criança e do Adolescente] que eu acho que, do ponto de vista da sociedade, é uma resposta mais consequente”, disse.

Renan se referia ao PLS 333/15, que altera o ECA, de autoria do senador José Serra (PSDB-SP), que teve o substitutivo do senador José Pimentel (PT-CE) aprovado pela Casa. O texto aumenta o tempo de internação de jovens infratores que tenham cometido crimes hediondos dos atuais três para até dez anos. Aprovada em julho pela Casa, a matéria seguiu para análise da Câmara.

O mesmo texto prevê uma alteração no Código Penal para agravar a pena do adulto que praticar crimes acompanhado de um menor de 18 anos ou que induzir o menor a praticá-lo. A pena do maior será de dois a cinco anos, mas poderá dobrar para os casos de crimes hediondos. Ler mais…

camara-federal

As discussões do projeto que modifica as regras de correção dos depósitos do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) e a votação, em segundo turno, da proposta de emenda à Constituição (PEC 171/93), que reduz a maioridade penal de 18 para 16 anos são os temas prioritários da semana na Câmara dos Deputados. Também constam das atividades da Casa depoimentos na Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Petrobras e reuniões para apresentação e discussão de planos de trabalho de outras CPIS.

A proposta de mudança nas regras de correção dos recursos do FGTS poderá ser o primeiro item da pauta de votações, embora na terça-feira (18), antes da ordem do dia, os líderes partidários vão se reunir com o presidente da Câmara, deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), para debater a pauta de votações da semana. Há resistência à aprovação do projeto do FGTS por parte do governo e de vários setores, porque isso poderá aumentar a taxa de financiamento de imóveis nos programas habitacionais de baixa renda.

Em sessão extraordinária, na noite de terça-feira, o plenário da Câmara deverá votar o segundo turno da PEC que reduz a maioridade penal. O tema é polêmico e deverá levar à Casa muitos manifestantes contrários à medida para pressionar os deputados a rejeitar a PEC. Se for aprovada, a proposta será encaminhada à discussão e votação no Senado. Para a aprovação da proposta são necessários os votos favoráveis de, no mínimo, 308 deputados. A proposta permite o julgamento de infratores entre 16 e 18 anos por crimes hediondos, tais como estupro e latrocínio, homicídio doloso ou lesão corporal seguida de morte.

http://www.robsonpiresxerife.com/wp-content/uploads/2015/04/temerdilma.jpg
O vice-presidente Michel Temer decidiu assumir na prática o papel de fiador da gestão Dilma Rousseff no governo federal. Segundo o O Estado de S. Paulo, em conversas recentes com empresários e aliados políticos, o peemedebista demonstrou estar convicto de que qualquer caminho de saída da crise passa necessariamente por ele e pelo partido que comanda.

A decisão de Temer é uma inflexão na maneira como ele vinha encarando o desenrolar da crise. Até meados do mês passado, o vice acreditava que Dilma tinha plenas condições de enfrentar sozinha o desgaste e não aceitava nem sequer falar sobre a possibilidade de um processo de impeachment dela. Em público, Temer continua refratário em relação à possibilidade de afastamento da presidente, mas, reservadamente, diz estar convencido de que o perigo é real e imediato e precisa ser combatido.

450x100px

A deterioração ainda maior e rápida do ambiente político está preocupando economistas, mas no cenário básico da maioria das instituições financeiras ainda não está prevista uma eventual ruptura política, como impeachment ou renúncia da presidente Dilma Rousseff. A própria velocidade do processo de piora da governabilidade dificulta a inserção dessa possibilidade nas análises e estimativas. Apesar de afirmarem que alguns eventos apontam nessa direção, os analistas consultados pelo Broadcast, serviço em tempo real da Agência Estado, não veem um rompimento no curto prazo.

O sentimento de agravamento foi percebido na semana passada no mercado, depois de declarações do vice-presidente, Michel Temer, e de dois partidos da base aliada do governo Dilma (PDT e PTB) anunciarem que não mais vão acompanhar o governo automaticamente nas votações. “É preciso que alguém tenha a capacidade de reunificar, reunir a todos e fazer este apelo e eu estou tomando esta liberdade de fazer este pedido porque, caso contrário, podemos entrar numa crise desagradável para o País”, disse Temer.

“O Temer já está convocando a Nação à unidade, mas até mesmo pela velocidade do processo de deterioração do cenário político não sei lidar com isso”, admitiu o ex-diretor de Assuntos Internacionais do BC, o economista e sócio da Schwartsman & Associados, Alexandre Schwartsman. Ele diz não ter imputado ainda uma ruptura política no seu cenário básico pelo simples fato de não saber como fazer essa incorporação.

Para o economista-chefe da Gradual Investimentos, André Perfeito a indicação de que o mercado está aguardando ainda para agosto um evento político de grande monta é a subida da parte longa da curva de juros. “Não dá para falar em impeachment, mas estou muito preocupado com os desdobramentos políticos sobre a economia no curto prazo”, disse o economista. O analista-chefe da CM Capital Markets, Marco Aurélio Barbosa, discorda. Na sua avaliação, o risco de mudanças drásticas no cenário político brasileiro não está precificado nos ativos e a pressão atual está mais associada à chance de perda do grau de investimento.

“O governo deve conseguir contornar a atual crise, mas com um custo muito maior, inclusive do ponto de vista fiscal”, ponderou. Barbosa estima que a valorização do dólar ante o real pode afastar um pouco o risco fiscal nos próximos meses por contribuir para a geração de superávit comercial. Ler mais…

0532a7ed-84cd-4a26-b28e-39ea31340953

O deputado estadual Nélter Queiroz (PMDB) fez pronunciamento na manhã desta terça-feira (4), sobre a necessidade de investimentos do governo federal em obras e nos municípios. Nélter destacou a situação das estradas que ligam os municípios potiguares e a falta de verbas para a manutenção dos equipamentos durante a sessão que marcou o retorno das atividades legislativas da Assembleia Legislativa.

“As estradas estão desse jeito porque vem de muito tempo. O atual governo pegou nessa situação. É o governador que não quer fazer? Não. É dinheiro que não tem”, enfatizou. O parlamentar ainda sugeriu que o Governo do Estado deveria utilizar a verba repassada para o Instituto de Previdência dos Servidores Estaduais (Ipern) para fazer essas ações de recuperação de estradas, saúde pública e segurança pública.

e8ad8540-b7a3-494a-bbc2-8e91801b0a82
A Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte expõe a partir desta terça-feira (4) a mostra fotográfica “Caminhos do Sertão”, de Ney Douglas Marques, repórter fotográfico. A mostra acontece até o dia 14 de agosto, das 8h às 15h, no salão nobre da instituição.

Para o presidente da Casa, deputado Ezequiel Ferreira (PMDB), esse é um momento de aplausos para o artista Ney Douglas. “A Casa Legislativa abre suas portas para incentivar os artistas locais. Por aqui já se passaram diversas exposições de artesanato, fotógrafos e pintores e hoje a Casa é presenteada pelos olhos da lente desse profissional, que em uma caminhada de vários quilômetros dá oportunidade para as pessoas conhecerem a realidade do interior do Rio Grande do Norte”, disse Ezequiel.

Durante os onze dias em que trilhou o extenso caminho, o fotográfico registrou a realidade do interior potiguar em mais de 3 mil imagens, buscando a beleza e o sentimento do sertão. A exposição é resultado dos 277 quilômetros percorridos a pé por Ney em uma viajem de Macaíba à Campo Grande, cidade natal dos pais do repórter fotográfico.

“A ideia surgiu em um momento delicado da minha vida e a busca por imagens e respostas tinha um destino certo, a cidade de Campo Grande, onde está enraizada grande parte de minha família. Além de imagens, captei a paz de um andarilho, além de resgatar valores da humanidade”, disse Ney.

casa da cultura

fa101949-cb9f-4a6e-af0a-fd302d8943eb

Na volta aos trabalhos legislativos, os deputados receberam esta manhã (4) o governador Robinson Faria (PSD), que foi à Casa entregar o relatório “O RN no caminho do Desenvolvimento”, referente aos seis primeiros meses de sua gestão. Robinson estava acompanhado do seu vice, Fábio Dantas (PC do B), do secretário de Planejamento, Gustavo Nogueira e da secretária chefe do Gabinete Civil, Tatiana Mendes Cunha.

O presidente da Assembleia Legislativa, deputado Ezequiel Ferreira (PMDB), afirmou que apesar da autonomia entre os poderes, há uma boa relação entre o Executivo e o Legislativo e a presença do governador para falar dos desafios e avanços foi uma demonstração dessa harmonia. “Existe uma relação de amizade e sobretudo de respeito”, afirmou o presidente, acrescentando que o trabalho dos parlamentares será voltado para os temas mais importantes para a sociedade, como a seca.

O relatório do Governo está dividido em três capítulos: Prioridade, Gestão e Participação Social. Um dos índices destacados pela publicação é a redução de 14% da violência, a promoção de 1.353 policiais militares e 809 civis, a convocação de 428 professores, as obras em curso, distribuição de sementes e a retomada das obras da Barragem de Oiticica.

Logomarca Madrecitta

03082015_Jantar_Presidencial01

Em conversa com o ministro do Turismo, Henrique Eduardo Alves, a presidenta da República, Dilma Rousseff, confirmou que as obras da transposição do São Francisco para o Rio Grande do Norte serão entregues no final de 2017. O ministro foi convidado para jantar com a presidenta na noite desta segunda-feira (3), no Palácio da Alvorada.

O ministro reafirmou a importância da obra para manter os reservatórios cheios, principalmente em períodos de estiagem prolongada, como ocorre atualmente. “São barragens e adutoras que abastecem a população, os rebanhos, as indústrias e os projetos de irrigação ao longo dos rios Apodi/Mossoró e Piranhas/Açu”, ressaltou o ministro.

José Dirceu é preso pela segunda vez por corrupção  (Foto: Adriano Lima / Brazil Photo Press / Folhapress)Vice-presidente do Partido dos Trabalhadores (PT), Gleide Andrade disse que o partido está vendo com “muita tristeza” e “grande injustiça” a prisão do ex-ministro José Dirceu (PT) em nova fase da Operação Lava Jato. “Mais uma vez a gente vê uma ação persecutória para cima do PT. Quero ver prisão de gente do PSDB, de gente do DEM, eu quero ver prisão que tenha provas. O Zé Dirceu está sendo condenado pela segunda vez sem provas. Isso é um crime de uma barbaridade sem tamanho”, afirmou a jornalistas, ressaltando que o político foi um dos “responsáveis pela democratização do Brasil”.

Questionada se as denúncias e prisões que envolvem o partido podem ter impacto negativo nas eleições de 2016, Gleide disse que não. “O que tinha que impactar, impactado está. Nós não temos essa preocupação, porque o eleitorado brasileiro quando escolheu a presidente Dilma Rousseff já sabia que nós somos o partido que fez as mudanças estruturais nesse País. O povo sabe a mídia (grande imprensa) perniciosa que temos. Não tem problema nenhum”, falou.

Para ela, o PT é um partido “vivo, que continua ativo, que irá se defender e que tem um governo que deixa a polícia investigar”. “Agora, não pode ser persecutório, isso não vamos aceitar. Nós vamos continuar mudando a história desse País, cada vez mais dando poder ao povo brasileiro”, completou. Ler mais…

O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB) eximiu a presidente Dilma Rousseff de responsabilidade direta nos escândalos de corrupção que levaram o governo à mais grave crise já enfrentara pelo PT desde sua chegada ao Planalto, em 2003.

Em entrevista à revista alemã “Capital”, o tucano diz que a petista é “honrada” e que a responsabilidade “política” pela situação atual é do antecessor dela, Luiz Inácio Lula da Silva.

Questionado se via envolvimento de Dilma no escândalo da Petrobras, FHC disse que não. “Não diretamente”. “O partido dela sim, naturalmente. O tesoureiro [João Vaccari Neto] está na cadeia”, disse.

“Eu a considero uma pessoa honrada”, disse FHC. “Não tenho nenhum ódio na política”, concluiu. Já sobre o envolvimento do ex-presidente Lula, o tucano disse não saber “em que medida” se poderia atribuir algo a ele, mas que “politicamente é responsável”.

“O escândalo começou no governo dele”, diz FHC, que lembra durante a entrevista o esquema do mensalão, descoberto em 2005, ainda no primeiro mandato de Lula. Ler mais…

Deu na Época :
ardo Della Coletta

Em conversas reservadas nos últimos dias, senadores do PT defenderam que a Secretaria de Relações Institucionais (SRI) volte a ter um titular e que a função seja entregue ao hoje ministro do Turismo, Henrique Eduardo Alves.

A avaliação é que o rompimento anunciado na semana passada pelo presidente da Câmara, Eduardo Cunha, vai demandar atenção redobrada para a pauta que tramitará na Casa com a volta do recesso – Alves comandou a Câmara no biênio 2013-14.

O rearranjo também seria uma forma de “amarrar” a base de apoio ao governo diante da grave crise política pela qual o País passa, pois abriria uma vaga na Esplanada para ser entregue a algum partido aliado.

A ideia de restaurar o cargo de ministro-chefe da SRI – antes rechaçada por Temer – já não é totalmente descartada por pessoas próximas ao peemedebista.

Até pode acontecer, mas o nome que circula no Palácio do Planalto como o mais cotado não é o de Henrique Alves, mas o do ex-vice-governador do Distrito Federal, Tadeu Filippelli, hoje chefe de gabinete da SRI.

Presidente da Câmara, Eduardo Cunha (Foto: Givaldo Barbosa / Agência O Globo)O Globo:

O presidente da Câmara, o deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), entrou nesta segunda-feira com um recurso no Supremo Tribunal Federal (STF) para afastar o juiz Sérgio Moro da condução de um dos processos da Operação Lava-Jato. Cunha foi citado nesse processo pelo consultor Júlio Camargo, que o acusou de pressioná-lo a pagar US$ 10 milhões em propinas referentes à contratação de navios-sonda pela Petrobras.

O presidente da Câmara alega que Moro usurpou uma prerrogativa do STF, que é o tribunal responsável por julgar parlamentares. Assim, ele pede que o caso seja encaminhado ao Supremo e que sejam anulados todos os atos do processo que tenham alguma ligação com ele.

Caso o pedido da defesa do presidente da Câmara prospere, o trecho do depoimento em que Júlio Camargo o cita não terá mais validade. O relator no STF é o ministro Teori Zavascki, que já conduz os inquéritos da Lava-Jato, entre eles um que tem Cunha como investigado. Como o Supremo está de recesso, o presidente do tribunal, ministro Ricardo Lewandowski, poderá decidir liminarmente sobre o caso.

O vice-presidente Michel Temer (PMDB-SP) afirmou que a ida do presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), para a oposição gera uma “crisezinha política”, mas não uma “instabilidade institucional”.

Também responsável pela articulação política do governo Dilma Rousseff (PT), Temer tentou minimizar as críticas tanto do deputado quanto do presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), ao governo de Dilma Rousseff.

Após palestra em Nova York nesta segunda-feira (20), o vice disse que eventual afastamento de Cunha da presidência da Câmara é “uma decisão do Congresso Nacional”.

“Quanto menos nós tivermos embaraços institucionais, melhor para o país”, complementou.

Ele não quis comentar a delação do consultor Júlio Camargo à Operação Lava Jato, em que afirmou ter pago US$ 5 milhões em propina a Cunha. “Não é prudente”, afirmou Temer. Ler mais…