CÂMARA MUNICIPAL SOLICITA AO GOVERNO DO ESTADO QUE MACAIBA ASSUMA O ENSINO FUNDAMENTAL DAS ESCOLAS ESTADUAIS

Em reunião realizada na Secretaria de Estado da Educação e da Cultura (SEEC), dia 28 de março de 2019, entre a Comissão de Educação da Câmara Municipal de Macaíba e o secretário Getúlio Marques Ferreira, foram discutidos vários pontos relacionados às escolas estaduais no Município.

Um dos temas da reunião foi a proposta de pacto entre a SEEC e o município de Macaíba para absorção dos alunos do Ensino Fundamental, que ainda estão sob a responsabilidade do Estado. A comissão entregou um documento requerendo a assimilação. O objetivo da absorção é fazer surgir novas vagas para o Ensino Médio no Município, uma vez que, segundo informações, mais de 500 alunos dessa modalidade estão fora das salas de aula, por não terem conseguido vagas nas escolas da rede estadual de ensino.

Os outros pontos da pauta dizem respeito à situação de algumas escolas. Na Escola Estadual em Tempo Integral Alfredo Mesquita Filho, foi mencionado problemas com as rotas do Transporte Escolar, o término da manutenção e reparos por parte da empresa Murano, bem como uma revisão na instalação elétrica da unidade de ensino para poder receber 12 aparelhos de ar condicionado. Já na EE Dr. Severiano, foi pleiteado a questão da fossa, que fica na frente da escola, e que sempre precisa ser esvaziada; e a unidade de ensino também está necessitando de pequenos reparos.

Outra escola que também foi incluída na pauta foi a centenária Escola Estadual Auta de Souza, que está prestes a ser contemplada com uma ampla reforma com previsão para iniciar este mês. O problema está sendo encontrar um espaço para alocar os estudantes nos três turnos que a unidade de ensino oferta à sua clientela.

Na reunião com o secretário Getúlio Marques estavam presentes: os vereadores Ismarleide Fernandes Duarte, Antônio França Sobrinho e Dadaia; secretário municipal de Educação, Domingos Sávio, e as técnicas Josiane e Betinha; Magnólia Margarida dos Santos Morais, coordenadora de Órgãos Regionais de Educação (CORE); e Joás Ferreira de Andrade, diretor da 1ª Diretoria Regional de Educação e da Cultura (1ª DIREC).

Por Assessoria

Compartilhar