Categoria: Política

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) só vai se debruçar sobre a intenção do partido em disputar a prefeitura de São Paulo nas eleições de 2020 depois do Congresso Nacional do PT, marcado para os dias 22, 23 e 24 de novembro na capital paulista.

“Não tem nada ainda. Agora só depois do Congresso”, disse ao Congresso em Foco a presidente nacional da legenda, Gleisi Hoffmann, ao negar que Lula tenha manifestado opinião sobre o pleito do ano que vem.

Possuem a intenção de estar na cadeira hoje ocupada por Bruno Covas (PSDB), os deputados federais petistas Carlos Zarattini, Eduardo Suplicy, Alexandre Padilha, Jilmar Tatto e Paulo Teixeira.

“Estamos combinando aqui no PT da capital um processo de debates e eventualmente uma prévia para março/abril do ano que vem”, disse Zarattini ao site.

O deputado prega um debate com os partidos de oposição a Bolsonaro nas eleições da cidade. “Estamos conversando com Psol, PC do B, PDT e PSB um processo de unidade. Se não conseguirmos unidade na negociação eu estou propondo para o PT e para os outros a realização de uma primária. Acho que fortaleceria muito a oposição. A proposta de primárias é do Suplicy e tem o meu apoio e do Paulo Teixeira”, afirmou.

Lula ficou preso por 580 dias na Superintendência da Polícia Federal em Curitiba. Após ser solto no último sábado (8), beneficiado por decisão do Supremo Tribunal Federal que proibiu prisão em segunda instância, o petista foi à São Bernardo do Campo (SP), onde mantém residência atualmente.

Congresso em Foco

O presidente da Bolívia, Evo Morales, anunciou hoje (10), em um pronunciamento transmitido a partir da cidade de Cochabamba, sua renúncia ao cargo, em meio à escalada dos protestos que se seguiram à eleição de 20 de outubro no país.

Ao lado de Morales, o vice-presidente Alvaro García Linera também anunciou que deixa seu posto. Posteriormente, o ex-presidente boliviano falou sobre o assunto em suas redes sociais.

“Queremos preservar a vida dos bolivianos”, disse Morales no pronunciamento. Ele disse que decidiu deixar o cargo “para que não continuem maltratando parentes de líderes sindicais, prejudicando a gente mais humilde. Estou renunciando e lamento muito esse golpe”.

Imagens de TV mostraram oposicionistas comemorando nas ruas de La Paz. A pressão sobre Morales aumentou depois que o comandante das Forças Armadas bolivianas, William Kaiman, sugeriu, na tarde deste domingo, que Morales renunciasse para permitir a “pacificação e a manutenção da estabilidade, pelo bem da nossa Bolívia”. Ler mais…

Foto: Roney Domingos/G1

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva discursou na tarde deste sábado (9) em São Bernardo do Campo, no ABC Paulista, e disse que Jair Bolsonaro foi eleito para governar para o povo brasileiro e não para os milicianos do Rio. Lula fez um discurso agressivo e atacou o ministro da Economia, Paulo Guedes, o ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, o procurador da República Deltan Dallagnol e a Operação Lava Jato.

“Ele [Bolsonaro] foi eleito. Democraticamente nós aceitamos o resultado da eleição. Esse cara tem um mandato de 4 anos. Agora, ele foi eleito para governar para o povo basileiro, e não para governar para os milicianos do Rio de Janeiro” , disse Lula.
Lula diz que Bolsonaro foi eleito para governar para o povo, e não para milicianos

“Eu duvido que o Moro durma com a consciência tranquila que eu durmo. Eu duvido que o tal do Dallagnol durma com a consciência tranquila que eu durmo. Aliás, eu duvido que o seu Bolsonaro durma com a consciência tranquila que eu durmo. Eu duvido que o ministro demolidor de sonhos, destruidor de empregos, destruidor de empresas públicas brasileiras, chamado Guedes, durma com a consciência tranquila que eu durmo. E eu quero dizer pra eles, eu estou de volta”.

“Eu poderia ter ido a uma embaixada, eu poderia ter ido a um outro país, mas eu tomei a decisão de ir lá [ser preso]. Porque eu preciso provar que o juiz Moro não era juiz, era um canalha que estava me julgando” , disse o ex-presidente.

Lula foi solto nesta sexta-feira (8) após decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) e 580 dias preso. O ex-presidente passou a noite em Curitiba e embarcou em um avião fretado na manhã deste sábado rumo a São Paulo.

Em São Bernardo do Campo, estavam presentes Fernando Haddad, Marcelo Freixo, Guilherme Boulos, Gleisi Hoffmann e outras lideranças do Partido dos Trabalhadores (PT). A fala do ex-presidente durou cerca de 1 hora. Lula disse que o Brasil já foi “respeitado no mundo inteiro”.

“Não adianta ficar preocupado com as ameaças que eles fazem na televisão. Que vai ter miliciano, que vai ter o AI-5 outra vez. A gente tem que ter a seguinte decisão: esse país é de 210 milhões de habitantes e a gente não pode permitir que os milicianos acabem com esse país que nós construímos”, disse em ataque ao governo de Jair Bolsonaro.

“Se as pessoas tiverem onde trabalhar, se as pessoas tiverem salário, se as pessoas tiverem onde estudar, se as pessoas tiverem acesso à cultura, a violência vai cair. Nós temos que dizer contra a distribuição de armas do Bolsonaro. Nós vamos distribuir livros”. Ler mais…

O PSDB Mulher do Rio Grande do Norte reuniu nesta sexta-feira (25) , prefeitas, vice-prefeitas, presidentes de Câmaras Municipais, vereadoras, pré-candidatas, militantes e simpatizantes do partido para debater formas de fortalecimento da presença feminina nas eleições. O evento foi realizado no auditório da Assembleia Legislativa e contou com a presença da presidente nacional do PSDB Mulher, a ex-deputada federal Yeda Crusius, que foi governadora do Rio Grande do Sul e ministra do Planejamento, no Governo Itamar Franco.

O encontro teve como objetivo reforçar a importância da presença das mulheres no processo político. Segundo Yeda Crusius, o PSDB espera oferecer candidaturas que estejam antenadas com as necessidades da sociedade brasileira. Yeda também ressaltou a iniciativa do diretório potiguar, ao convocar as mulheres para debater o futuro das nossas cidades. “Este momento é de grande importância, por abrir as portas do partido para que as mulheres possam perceber o quanto podem contribuir com o crescimento dos nossos municípios, Estados e do país”, disse Yeda.

Para a presidente do PSDB Mulher no RN, a ex-deputada Larissa Rosado, o evento foi uma oportunidade para mostrar ao Estado que a legenda espera não apenas cumprir a cota de participação feminina nas eleições, mas oferecer candidaturas qualificadas e com capacidade de contribuir com o crescimento dos municípios potiguares. “Inclusive esperamos, com a maior participação feminina, ampliar o debate sobre assuntos de importância para a sociedade nas eleições do próximo ano”, disse.

Além da presença da presidente nacional do PSDB Mulher, Yeda Crusius, o evento contou com a coordenadora regional do PSDB Mulher no Nordeste, a ex-deputada Iraê Lucena. Por fim, também foi realizado um curso sobre o “Uso de Redes Sociais e Campanha Eleitoral”, sob o comando da jornalista Anna Ruth Dantas. Na oportunidade, foi anunciado o nome de Adriana Trindade para o secretariado do PSDB Mulher em Natal.

Também estiveram presentes no evento a ex-deputada federal e vereadora de Mossoró, Sandra Rosado, prefeitas e vice-prefeitas, vereadoras e lideranças de várias regiões do Estado. O presidente do PSDB Jovem no RN, Geyson Barbosa, também participou do encontro.

O PDT (Partido Democrático Trabalhista) cearamirinense em convenção realizada na tarde desta quinta-feira (24), homologou os nomes do engenheiro agrônomo Marcílio Dantas, prefeito, e do comerciante Evilásio Lima, vice-prefeito, para disputar a eleição suplementar que irá acontecer em Ceará-Mirim no próximo dia primeiro de dezembro.

Presentes muitos filiados e simpatizantes que lotaram as dependências do parlamento municipal. Também se fez presente o presidente estadual da sigla, ex-prefeito de Natal, Carlos Eduardo Alves.

Escolha do vice: Dr. Marcilio vinha conversando com setores do comércio, CDL, e alguns comerciantes há mais de 2 meses buscando a construção de uma aliança com um representante do setor produtivo da cidade. No entanto, 03 nomes do grupo despontavam como prováveis vices e estavam dispostos a enfrentar o desafio. Eram eles: Sula (presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais) Sheila Varela (médica e filha do ex-prefeito Roberto Varela) e Edinaldo Moura (presidente da Associação de Clubes Amadores e radialista), no entanto, vendo a necessidade da aglutinação e trazendo um representante do setor produtivo da cidade, todos abriram mão da disputa em prol do fortalecimento de uma nova alternativa pro Município. Tudo discutido entre os envolvidos de forma clara, transparente e democrática, sem qualquer dissidência. O grupo seguiu unido e fortalecido.

O evento será no auditório da Assembleia Legislativa a partir das 14h com a presença de Yeda Crusius do PSDB Nacional

Com o objetivo de fortalecer a participação feminina nas eleições, o PSDB Mulher do Rio Grande do Norte realizará nesta sexta-feira (25) um encontro estadual. O evento será no auditório da Assembleia Legislativa e começará às 14 horas. Na oportunidade, será apresentado o nome da secretária do PSDB Mulher em Natal.

“Nosso objetivo é contribuir para a qualificação das mulheres que têm interesse em participar de alguma forma da política. Estamos a menos de um ano das próximas eleições municipais, e o PSDB tem a preocupação em atrair mais mulheres para a política, como forma inclusive de amplificar o debate sobre assuntos de importância para a sociedade atual”, disse a presidente estadual do PSDB Mulher, a ex-deputada Larissa Rosado.

Ainda de acordo com Larissa, o foco do partido é buscar bons nomes para compor chapas no processo eleitoral de 2020. “O PSDB não pensa apenas em cumprir uma cota, como manda a legislação. É muito mais do que isso. Nosso trabalho é atrair mulheres que desejem se dedicar a política e, de alguma forma, contribuir com a sua cidade ou o nosso Estado”, completou Larissa.

Na programação do encontro, está prevista a abertura com a presidente nacional do PSDB Mulher, a deputada federal Yeda Crusius, e a coordenadora regional do PSDB Mulher no Nordeste, Iraê Lucena. Depois, será realizado um curso sobre “Uso de Redes Sociais e Campanha Eleitoral”, sob o comando da jornalista Anna Ruth Dantas.

De acordo com Larissa Rosado, o evento é aberto ao público e as simpatizantes do PSDB, inclusive para as mulheres que trabalham como assessoras de mandatos políticos.

Foto: Roberto Lucena/MDB

O MDB no RN está fechado com o projeto de reeleição do prefeito de Natal, Álvaro Dias (MDB). Quem afirma é o novo presidente estadual do partido, deputado federal Walter Alves, eleito nesta segunda-feira (21) para mandato de dois anos (2019 – 2021) à frente da legenda.

Ele substitui seu pai, o ex-senador Garibaldi Alves Filho (MDB), que assumiu a presidência após o afastamento, em 2017, do então presidente estadual, Henrique Eduardo Alves. O ex-ministro do Turismo foi preso pela Lava jato em junho daquele ano, por suspeitas de corrupção.

Essa é a segunda vez que o MDB não elege Henrique Eduardo Alves para presidente estadual da legenda. De acordo com Walter Alves, tudo isso faz parte de um movimento de renovação pelo qual o partido está passando. E que nãos e restringe apenas o RN.

Ele cita como exemplo a eleição do novo presidente nacional, o deputado federal Baleia Rossi, que tem apenas 44 anos. “O partido precisa se reciclar, principalmente nessa parte de redes sociais”, diz.

Segundo ele, nesse processo de renovação contará com apoio da Fundação Ulisses Guimarães, que é do MDB. A ideia é se atrair mais jovens ao partido e divulgar as ações da legenda, afastando o máximo possível a imagem que o partido ainda possui.

Dentro desse movimento de renovação, o MDB promoverá dia 7 de novembro um outro evento voltado somente a filiações. Nessa data será oficializada, entre outras, a chegada do prefeito de Caicó, Robson Araújo, o “Batata”.

Ao todo, no RN, o MDB deverá ficar com 51 prefeitos. Atualmente são 48: cinco novos chegarão, mas dois devem deixar a legenda. Com relação a 2020, a ideia é lançar candidatos no maior número de cidades possíveis. Ler mais…

Foto: Geraldo Magela/Agência Senado

A Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ) do Senado rejeitou nesta terça-feira (1º) três destaques apresentados por partidos de oposição ao relatório sobre a reforma da Previdência proposto pelo senador Tasso Jereissati (PSDB-CE). O texto foi aprovado no início da tarde por 17 votos a 9 depois de mais de duas horas de debates. A proposta deve ser analisada pelo plenário da Casa ainda nesta terça-feira e para ser seguir sua tramitação, precisa do apoio de 49 dos 81 senadores.

Ao todo, partidos de oposição apresentaram seis destaques, dos quais três foram rejeitados. Entre eles, os que tratavam do abono salarial, da aposentadoria por invalidez e do modelo de cálculo do benefício. Os demais foram retirados de pauta.

O senador Paulo Paim (PT-RS) também apresentou um voto em separado com alterações mais profundas no texto da Proposta de Emenda à Constituição. Caso fosse aprovado seu relatório, o texto teria que obrigatoriamente que retornar para análise da Câmara dos Deputados. No entanto, a proposta não chegou a ser avaliada pelos senadores.

Das 77 emendas apresentadas, o relator acatou apenas uma supressiva, para não prejudicar o acesso à aposentadoria integral de quem recebe vantagens variáveis vinculadas a desempenho no serviço público e corrigiu a redação do trecho que inclui os informais entre os trabalhadores de baixa renda que terão acesso ao sistema especial de inclusão previdenciária, com alíquotas favoráveis. O texto mantém o impacto fiscal de R$ 876,6 bilhões em 10 anos. Ler mais…

O vereador Ronaldo Venâncio (PV), presidente da Câmara Municipal de Ceará-Mirim, é pré-candidato a prefeito do município. Ele disse nesta quarta-feira (31), em entrevista ao Hora Extra da Notícia (91.9 FM) que se o cenário político no ano que vem estiver propício para uma possível candidatura a prefeito, ele estará pronto para o desafio.

O presidente da Câmara disse que vem fazendo “um trabalho bem planejado”, procurando estar mais próximo ao povo e destacou sua história política no município, sendo ele um vereador já no quinto mandato na casa legislativa em Ceará-Mirim.

“Estaremos, sim, aptos, se for requisitado. Mas trabalho incessantemente na direção de estabelecer e corresponder àquela expectativa que o povo depositou. Se o cenário puder, evidentemente, aspirar algum tipo de expectativa no sentido do Executivo eu estarei pronto”, disse em entrevista na 91.9 FM de Natal.

Atualmente o prefeito de Ceará-Mirim, Marconi Barreto, tem sua posição à frente da prefeitura ameaçada após o Tribunal Regional Eleitoral (TRE-RN) cassar seu mandato por 7 votos a 0. Ele recorreu ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e aguarda uma data para o julgamento do recurso pelo plenário da corte superior.

O presidente Jair Bolsonaro vai exonerar ministros que detêm mandatos na Câmara dos Deputados para que possam votar a reforma da Previdência, que deve ir a plenário, em primeiro turno, ainda nesta semana. A informação foi confirmada hoje (8) pelo Palácio do Planalto. Atualmente, quatro ministros do governo são deputados federais: o chefe da Casa Civil, Onyx Lorezoni (DEM-RS); a titular da Agricultura, Tereza Cristina (DEM-MS); o ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio (PSL-MG) e o titular da pasta da Cidadania, Osmar Terra (MDB-RS).

“Os ministros que têm mandato já estão liberados para participarem da votação. O senhor presidente entende que a presença deles em plenário há de reforçar a presença do governo em plenário, no sentido que a Nova Previdência é essencial para o futuro do nosso país”, disse o porta-voz do governo, Otávio Rêgo Barros, em entrevista a jornalistas.

O suplente de Onyx é o deputado Marcelo Brum (PSL-RS); a suplente de Tereza Cristina é a deputada Bia Cavassa (PSDB-MS); o suplente de Álvaro Antônio é Enéias Reis (PSL-MG); e o suplente de Osmar Terra é Darcísio Perondi (MDB-RS). O governo não informou se vai exonerar todos os quatro ministros para votarem a reforma.

Confiança

O porta-voz da Presidência da República disse que o governo está confiante na aprovação da reforma da Previdência e ressaltou que os dois turnos da votação da medida – uma exigência para propostas de emenda constitucional – podem ser votados ainda essa semana.

“O deputado Rodrigo Maia também está esperançoso, e ele inclui nessa esperança a possibilidade de votar os dois turnos da Nova Previdência ainda essa semana. Então, é um sinal de que o esforço conjunto entre o Poder Executivo e o Poder Legislativo, na pessoa do presidente da República e seus representantes, os ministros Onyx e o ministro Ramos, e na pessoa do deputado Rodrigo Maia, estão se mostrando adequados”, afirmou. Ler mais…

O Ministério da Justiça afirmou na última sexta-feira, 5, não ter repassado ao presidente Jair Bolsonaro informações sigilosas de investigação da Polícia Federal sobre candidaturas laranjas no PSL. O caso envolve o ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio (PSL), que teve um auxiliar e dois ex-assessores presos na semana passada, em um desdobramento do inquérito.

A versão do ministério contradiz o próprio presidente, que em entrevista no sábado passado, no Japão, onde participava de reunião do G-20, afirmou ter recebido do ministro da Justiça, Sérgio Moro, uma “cópia do que foi investigado”. “Ele (Moro) mandou cópia do que foi investigado pela Polícia Federal para mim. Mandei um assessor meu ler porque eu não tive tempo de ler”, afirmou na ocasião.

Quando questionados, separadamente, o Ministério da Justiça e o Palácio do Planalto, se Bolsonaro recebeu cópia do inquérito da PF, que está sob sigilo. Os dois órgãos responderam com a mesma nota, que nega acesso privilegiado às informações ao presidente e diz apenas que ele foi informado sobre o caso.

“As notícias e informações sobre investigações e prisões temporárias do assessor do Ministro do Turismo foram amplamente divulgadas pela imprensa logo após as diligências. O Presidente da República foi igualmente informado dos fatos, não sendo verdadeira a afirmação de que o Ministro da Justiça e Segurança Pública teria ‘vazado’ a operação ou fornecido dados sigilosos ao Presidente. Ressalta-se que as informações repassadas não interferem no trâmite das investigações, que correm com total independência na Polícia Federal”, diz a nota. Ler mais…

Ocorreu na tarde desta quarta, 03 de julho, a filiação partidária de Hailton Mangabeira ao partido Rede Sustentabilidade. Na ocasião, com Viviane Oliveira e Eliú Oliveira, porta-vozes do partido no estado.

Um dos grandes diferenciais do partido Rede Sustentabilidade é a autonomia aos representantes, pois estatutariamente, é assegurada a não interferência nas decisões locais, no caso dos municípios, de esferas superiores.

O presidente da comissão especial da reforma da Previdência (PEC 6/19) na Câmara dos Deputados, Marcelo Ramos (PL-AM), disse hoje (3) que o relator Samuel Moreira (PSDB-SP) pode apresentar ajustes na redação de alguns pontos do voto complementar lido ontem (2). Uma nova reunião do colegiado foi convocada para esta tarde.

Segundo Ramos, ainda há artigos no relatório que fazem menção a servidores estaduais e municipais. “Isso tem gerado muita insatisfação. A ideia é retirar tudo referente a estados e municípios para só discutir no plenário.”

A expectativa é colocar em votação os cinco requerimentos de adiamento de votação do relatório na comissão especial. Também terão que ser apreciados 109 destaques com sugestões de mudança no texto, sendo 85 individuais e 24 das bancadas partidárias.

Voto complementar

O fim da isenção da contribuição previdenciária a exportadores rurais permitirá manter a economia com a reforma da Previdência acima de R$ 1 trilhão em dez anos. Segundo o relator da proposta na comissão especial da Câmara, deputado Samuel Moreira (PSDB-SP), o impacto fiscal corresponderá a R$ 1,074 trilhão no período.

Agência Brasil

A Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu hoje (25) negar pedido feito pela defesa de Luiz Inácio da Silva para soltar o ex-presidente. O caso envolve a condenação no caso do triplex do Guarujá, um dos processos oriundos da Operação Lava Jato.

Esta foi a primeira decisão de hoje envolvendo o ex-presidente. Em seguida, o colegiado vai julgar outro pedido de habeas corpus.

Por 4 votos a 1, a turma decidiu manter a decisão individual do ministro Edson Fachin, relator do caso, que rejeitou o pedido de anulação do processo e a concessão de liberdade ao ex-presidente.

Acompanharam o relator os ministros Gilmar Mendes, Celso de Mello e Cármen Lúcia. Ricardo Lewandowski entendeu que os advogados de Lula não conseguiram apresentar sua defesa corretamente e determinou o julgamento do recurso pelo colegiado do STJ.

No habeas corpus, os advogados alegaram suposta imparcialidade do então juiz Sergio Moro para julgar o caso do tríplex do Guarujá e ilegalidades na decisão do ministro Félix Fischer, do Superior Tribunal de Justiça (STJ), que também rejeitou o pedido de revisão da pena.

Lula está preso desde 7 de abril do ano passado na Superintendência da Polícia Federal em Curitiba, após ter sua condenação confirmada pelo Tribunal Regional Federal 4ª Região (TRF4), que impôs pena de 12 anos e um mês de prisão pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro no caso do triplex do Guarujá (SP). Em abril, a pena foi reduzida pelo STJ para oito anos e dez meses de prisão.

Agência Brasil