Categoria: Saúde

Foto: REUTERS/Amanda Perobelli

G1 RN – A governadora do Rio Grande do Norte, Fátima Bezerra, afirmou neste sábado (23) que o estado vai receber cerca de 30 mil doses da vacina contra Covid-19 de Oxford/AstraZeneca, produzidas no Instituto Serum, na Índia. Em publicação em uma rede social, ela contou que está “aguardando agora a confirmação do horário de aterrissagem” e destacou que a “logística, mais uma vez, já está toda pronta para o recebimento das doses”.

Fátima Bezerra destacou que este lote de imunizantes de Oxford vai “contemplar os profissionais da saúde que ainda não foram vacinados”.

“Esse lote será totalmente utilizado, já que o intervalo para a segunda dosagem da vacina deste laboratório é de 12 semanas e o Ministério da Saúde nos garantiu o envio de um novo lote até lá”, comentou.

A carga com 2 milhões de doses da vacina de Oxford chegou ao Brasil nesta sexta-feira (22). De acordo com o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) será a responsável por “preparar toda a etiquetagem e a conferência do material recebido”. A expectativa é que ainda neste sábado (23) seja iniciado o transporte para todos os estados do país.

Voluntários do RN são imunizados
No Rio Grande do Norte, mais de 750 voluntários que tomaram placebo na terceira fase da pesquisa da vacina de Oxford em parceria com a AstraZeneca começaram a ser imunizados no estado. No total, 1.523 potiguares participaram da fase de testes no método duplo cego – em que nem participantes e nem os pesquisadores sabem inicialmente quais foram os escolhidos para receber o imunizante contra a Covid-19 ou o placebo.

A revelação para os pacientes começou a ser feita na quinta-feira (21) após a autorização da Anvisa para o uso emergencial da vacina, no domingo passado, e liberação das demais instâncias regulatórias da pesquisa. “Nós quebramos o cego de 80 participantes e foi uma alegria, uma emoção muito grande. As pessoas que já estavam vacinadas ficaram muito emocionadas”, explicou a infectologista e professora do departamento de infectologia da UFRN, Eveline Pipolo, que é investigadora principal do estudo da vacina de Oxford no Rio Grande do Norte.

Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil

As 2 milhões de doses da vacina Oxford-AstraZeneca, desenvolvida em parceria com a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), começarão a seguir para os estados na tarde deste sábado (23). Depois de chegar em voo da Emirates no Aeroporto de Guarulhos, às 17h20 dessa sexta-feira (22), a carga foi transportada em um avião da Azul até a Base Aérea do Galeão, onde chegou às 22h.

O avião foi recebido na pista por um batismo simbólico, com jatos de água lançados em forma de arco pelos bombeiros do Aeroporto Rio-Galeão.

As vacinas prontas foram fabricadas pelo Instituto Serum, na Índia, e eram aguardadas desde sábado (16), mas tiverem atraso no envio por questões internas da Índia.

Chegada das vacinas da AstraZeneca/Oxford contra Covid-19 produzidas pelo Instituto Serum, na Índia, à base aérea do Galeão para serem encaminhadas à Fiocruz.

O ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, recebeu o lote em solo brasileiro, ao lado dos ministros das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, e das Comunicações, Fábio Faria. Também estavam presentes o embaixador da Índia, Suresh Reddy, e a presidente da Fiocruz, Nisia Trindade. Esta última se juntou ao grupo no Rio de Janeiro.

“A encomenda tecnológica prevê 100 milhões de doses para o primeiro semestre. Essas 2 milhões de doses são apenas o início. É o começo do processo. O objetivo do Ministério da Saúde é a vacinação em massa do povo brasileiro. E isso vai nos colocar, rapidamente, no topo da lista do número de vacinados. Com 8 milhões de doses, nós passaremos a ser o segundo país do ocidente que mais vacinou”, disse Pazuello, em pronunciamento à imprensa na Base Aérea.

O ministro Ernesto Araújo ressaltou a cooperação e a relação diplomática com a Índia. “Isto aqui é o começo de uma parceria tanto na área farmacêutica quanto em muitas outras áreas com a Índia. País pelo qual temos uma admiração imensa, uma amizade imensa, que agora se consolida ainda mais”, disse Araújo.

O embaixador indiano classificou o momento como um dia histórico entre os dois países. “Este dia traz sorrisos e otimismo a muitas pessoas. O Brasil é o primeiro país a receber esta carga e nós estamos muito orgulhosos de fazer parte deste processo. A Índia assegurará vacinas para todos os países e todos os povos”, disse Suresh Reddy.

Para a presidente da Fiocruz, a chegada da vacina é uma vitória da ciência. “Neste momento de perdas, ter a vacina é uma esperança que vem da ciência, que vem do Sistema Único de Saúde. É uma vacina com 70% de eficácia e que poderá ser administrada no intervalo de 12 semanas. Isto será muito importante para o nosso sistema de saúde”, ressaltou Nísia Trindade.

Agência Brasil

Foto: Assecom-RN

Macaíba já vacinou 207 pessoas, segundo Portal RN Mais Vacina. Ainda segundo dados da secretaria estadual de Saúde, 6207 moradores da cidade já fizeram seu cadastro no portal.

Macaíba foi contemplada com 572 doses da vacina Coronavac, onde 22 idosos que moram no Abrigo Deus e Caridade e alguns profissionais da Saúde que estão na linha de frente no combate ao coronavírus já receberam a primeira dose.

Os 2 milhões de doses da AstraZeneca contra a covid-19 que devem chegar da Índia nesta sexta-feira (22) serão distribuídas aos estados a partir da tarde de sábado (23). Segundo o presidente Jair Bolsonaro, a Força Aérea Brasileira está à disposição para agilizar a distribuição da vacina pelo país.

“Pode ter certeza que a Aeronáutica está aí para servir o Brasil e essa vacina, se chegar hoje à noite, amanhã começa a chegar a seus destinos”, disse Bolsonaro.

Bolsonaro falou com a imprensa ao deixar o Palácio da Alvorada, após café da manhã com parlamentares na residência oficial. Ele reafirmou que a vacinação não será obrigatória e recomendou que as pessoas leiam os estudos dos imunizantes.

“Ela tem que ser voluntária, afinal de contas não está nada comprovado cientificamente com essa vacina ainda. E peço que o pessoal leia o contrato com a empresa para tomar pé de onde chegaram as pesquisa e porque não se concluiu ainda dizendo que uma vacina é perfeitamente eficaz. Pelo que tudo indica, segundo a Anvisa, ela vai ajudar que casos graves não ocorram no Brasil, para quem for vacinado”, afirmou. Ler mais…

Uma revisão de onze pesquisas sobre a eficácia da ivermectina, realizada pela Universidade de Liverpool, mostrou que o vermífugo foi associado a uma redução dos níveis de inflamação e a uma eliminação do coronavírus, além de redução da mortalidade e do tempo de internação.

O estudo de Liverpool é o que os cientistas chamam de meta-análise – uma revisão de estudos sobre o assunto, não um estudo original.

O autor, doutor Andrew Hill, diz que nenhum dos estudos analisados é individualmente robusto o suficiente para que se estabeleça um nível de eficácia. Mas, combinados, eles podem indicar se o medicamento é eficaz.

De qualquer forma, o estudo não recomenda a aprovação do uso da ivermectina até que mais estudos sejam realizados.

“Muitos ensaios incluídos [no estudo] ainda não foram publicados ou passaram por revisão científica e meta-análises são sujeitas a confusão. Além disso, há uma grande variação nos padrões entre os ensaios, diferenças entre doses de ivermectina e a duração dos tratamentos foi heterogênea. A ivermectina deve ser validada em estudos maiores randomizados antes que os resultados sejam suficientes para revisão pelas autoridades reguladoras”, diz o estudo.

Os resultados da análise mostram uma redução do tempo até a eliminação do vírus, redução do tempo de hospitalização, uma taxa de recuperação clínica 43% superior e taxas de sobrevivência 83% maiores.

Os estudos analisados foram realizados nos seguintes países: Espanha, Argentina, Egito, Irã, Índia, Bangladesh, Nigéria, Paquistão, Turquia, Argentina, Iraque.

A ivermectina é um vermífugo usado para promover a eliminação pelo corpo de vários parasitas. É um medicamente aprovado para o tratamento oncocercose, elefantíase, pediculose, ascaridíase e escabiose.

Um estudo australiano publicado em abril de 2020 descreve o efeito da ivermectina no SARS-Cov-2 em ambiente de laboratório. A análise foi realizada in vitro.

De acordo com a agência regulatória norte-americana, o FDA, esse tipo de estudo laboratorial é comumente usado em um estágio inicial de desenvolvimento de medicamentos.

A agência adverte que testes adicionais são necessários para determinar se a ivermectina pode ser apropriada para prevenir ou tratar a Covid-19.

Por isso, a agência, que é referência global na análise de medicamentos, não recomenda a utilização da ivermectina para esta finalidade.

Fonte: CNN

As vacinas contra a covid-19 desenvolvidas em parceria entre a AstraZeneca e a Universidade de Oxford devem chegar ao Brasil, vindas da Índia, nesta sexta-feira (22). A informação foi dada pelo Ministério das Comunicações por meio de nota oficial na tarde de hoje (21).

As doses serão enviadas por meio de um voo comercial da companhia aérea Emirates. A previsão é que a carga chegue ao Rio de Janeiro no fim da tarde de amanhã. O voo da Emirates primeiro pousa no Aeroporto Internacional de Guarulhos, e em seguida a carga será embarcada em outro avião que segue para o Aeroporto Internacional do Galeão.

Foram contratadas duas milhões de doses, fabricadas pelo laboratório indiano Serum.

O governo brasileiro tenta desde a semana passada trazer a carga de imunizantes do país asiático. A previsão inicial era que elas estariam aqui no domingo passado (17). Contudo, o governo da Índia recuou e as autoridades brasileiras passaram a dialogar para liberar a carga.

A Índia anunciou nesta semana a exportação de vacinas para seis países, sem incluir o Brasil. Na noite de ontem, o secretário de Relações Exteriores da Índia, Harsh Srhingla, confirmou à Agência Reuters a liberação da exportação.

O presidente Jair Bolsonaro publicou nas suas redes sociais sobre a liberação das exportações da vacina e cumprimentou o ministro das relações exteriores Ernesto Araújo e os servidores do Itamaraty pelo trabalho.

Agência Brasil


Visando a organização e a governança da Rede de Atenção à Saúde (RAS) no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS) do Rio Grande do Norte, a Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap) divulga o Edital do Processo Seletivo Simplificado para Contratação de Apoiadores Técnicos das Ações de Gestão, Planejamento e Regionalização.

Estão sendo disponibilizadas 08 (oito) vagas para a contratação de apoiadores institucionais para as oito regiões de saúde do RN, com o objetivo de atuarem como orientadores e suporte na elaboração dos instrumentos de gestão aos gestores e no fortalecimento da articulação interfederativa nas discussões das Comissões Intergestores Regionais (CIRs). A remuneração para os apoiadores contratados é de R$ 2.500,00, por prazo determinado de 12 meses podendo ser prorrogado por igual período, devendo cumprir carga horária semanal presencial de 30 horas, ou seja, 6 horas por dia.

É necessário que os candidatos atendam aos seguintes requisitos: graduação na área da saúde, preferencialmente, com pós-graduação em saúde pública/coletiva, gestão ou planejamento; resida de preferência na região de saúde que será apoiador e tenha disponibilidade para deslocar-se dentro da referida região; e, tenha afinidade com Tecnologia da Informação/Conhecimentos básicos de aprendizado em ambiente virtual.

As inscrições são realizadas exclusivamente via internet, no período das 00h do dia 19/01/2021 e se encerrará às 23h59m do dia 25/01/2021, horário local. Para isso, o candidato deve acessar o endereço eletrônico https://selecao.saude.rn.gov.br/selecao/, efetuar inscrição, ler as instruções, preencher eletronicamente o “Formulário de Inscrição” de forma completa e correta (incluindo seu nome completo), e anexar corretamente a documentação.

Todo processo de seleção será realizado online e em duas fases. A primeira fase eliminatória e classificatória consiste na Análise Documental, Prova de Títulos e Análise de Experiência/Qualificação Profissional. E, a segunda fase classificatória será realizada uma entrevista. Serão indicados para a etapa de entrevistas até 6 (seis) vezes o número de vagas por Região de Saúde.

O resultado final será homologado e publicado no Diário Oficial do Estado (DOE), disponível no endereço eletrônico http://www.diariooficial.rn.gov.br/, assim como disponibilizado no site http://www.saude.rn.gov.br/. Já a convocação será realizada através do DOE, podendo o total de convocados ser maior, havendo necessidade do serviço.

ASSECOM-RN / SESAP-RN


A primeira macaibense foi vacinada contra o novo coronavírus (Covid-19) em solenidade que deu início a vacinação contra a doença no Rio Grande do Norte, nesta terça-feira (19), na Escola de Governo do RN, em Natal. Antônia Pinheiro da Silva Araújo, 54, enfermeira da Estratégia de Saúde da Família e moradora da comunidade indígena Tapará recebeu a vacina, um momento histórico para Macaíba.

“Estou muito feliz por ter sido imunizada contra esse vírus da Covid-19 e vou ficar muito mais feliz quando todo mundo estiver imunizado”, declarou Antônia. O prefeito Emídio Jr esteve na solenidade que marca a campanha de vacinação no estado ao lado da secretária municipal de Saúde de Macaíba, Roberta Guilhermina. Cerimônia que também contou com a presença da governadora do RN, Fátima Bezerra, prefeitos da Região Metropolitana de Natal, do senador Jean-Paul Prates entre outras autoridades.

As 572 doses da vacina chegaram à Macaíba nesta terça (19) e, inicialmente o público vacinado é composto por trabalhadores de saúde e idosos que vivem em instituições de longa permanência, públicas ou particulares. A distribuição está sendo feita de acordo com cálculos do Ministério da Saúde e os outros grupos serão vacinados nas demais etapas do cronograma. As aplicações serão monitoradas por tablets do programa RN + Vacina, equipamento que servirá para cadastramento e controle das ações. O Plano Municipal de Vacinação será divulgado em breve pela Prefeitura.

Texto: Tadeu de Oliveira

Foto: Edeilson Morais

Assecom-PMM

Foto: Elisa Elsie

Oito pessoas. Oito profissionais da saúde pública, seis mulheres e dois homens que estão na primeira linha de combate à Covid-19 do Rio Grande do Norte.

Estes foram os escolhidos para iniciar a vacinação no Rio Grande do Norte na manhã desta terça-feira (19). O ato foi coordenado pelo Governo do Estado, através da Secretaria de Estado da Saúde Pública, em parceria com seis municípios, que indicaram os profissionais para abrir a imunização: Natal, Parnamirim, Macaíba, São Gonçalo do Amarante, Extremoz e Ceará-Mirim.

O início da campanha traz consigo um momento de alívio e esperança para o início da erradicação da doença em solo potiguar. A primeira pessoa a ser imunizada no RN foi a técnica de enfermagem Maria das Graças Pereira de Oliveira, de 57 anos. Há 35 anos ela atua no Hospital Giselda Trigueiro, referência estadual para o tratamento de doenças infectocontagiosas e, hoje, central no combate à Covid-19.

“Estou muito feliz, depois de ver tanto sofrimento. A vacina era um sonho e agora há a esperança de que tudo vai dar certo”, afirmou ela, que apesar de ter comorbidade resolveu não se afastar do trabalho neste período de pandemia.

Em seguida, a também técnica de enfermagem Edilma Pereira da Silva, que atua no Hospital de Campanha de São Gonçalo do Amarante e trabalha na área da saúde há mais de 20 anos, recebeu a primeira dose da CoronaVac. “Estou me sentindo privilegiada”, disse ela. A segunda dose deverá ser aplicada nos próximos 28 dias.

A médica obstetra Geny Souza de Santana foi outra das mulheres imunizada. Aos 67 anos de idade e diabética, ela também poderia ter se afastado de suas atividades na Maternidade Divino Amor, em Parnamirim, por estar enquadrada nos grupos de risco. Porém, Geny escolheu continuar trabalhando. Sobre ser uma das primeiras a receber a vacina, disse que “é uma sensação de alívio e de alegria. Estou muito emocionada”, comentou.

“Eu não tive Covid-19, mas amigos e colegas já se contaminaram. Tenho filho e isso me preocupa bastante”, revelou o técnico de enfermagem Renato Oliveira, 37 anos e há 10 anos no Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) Metropolitano. Ele também deu início ao seu processo de imunização recebendo a primeira dose da vacina na manhã de hoje.

Maria de Lourdes do Nascimento é enfermeira, 54 anos, e natural de Ceará-Mirim. Está atuando na saúde pública há 23 anos. Apesar do privilégio de ter sido uma das primeiras norte-rio-grandenses a ser vacinada, ela é consciente de que ainda há muito o que se fazer. “Isso é só o início. Precisamos continuar cumprindo todos os protocolos para vencer de vez o coronavírus”, completou. Ler mais…


O primeiro lote de vacinas contra a COVID-19 do tipo Coronavac chegou até a Secretaria Municipal de Saúde de Macaíba no início da tarde desta terça-feira (19/01). Inicialmente, a cidade foi contemplada com uma quantia de 572 doses.

Segundo informações oriundas da Secretaria de Estado da Saúde Pública (SESAP/RN), a quantidade de doses enviadas para cada município teve com base um cálculo feito pelo Ministério da Saúde, tendo em conta em estimativa de população, com distribuição proporcional ao número de habitantes compondo os grupos de risco.

Em Macaíba, a priori, os grupos a serem vacinados neste primeiro momento são: trabalhadores da saúde e idosos que vivem em instituições de longa permanência públicas ou privadas. Os demais grupos prioritários serão imunizados nas próximas etapas.

Foto: Edeilson Morais

Assecom-PMM

FOTO: ELISA ELSIE

Ato simbólico do início da campanha de vacinação no estado será realizado nesta terça-feira (19), às 10h, na Escola de Governo

O primeiro lote de vacina contra a Covid-19 – a CoronaVac, desenvolvida pelo Instituto Butantan junto à Sinovac – chegou ao Rio Grande do Norte na madrugada desta terça-feira (19). O esperado voo com as doses do imunizante desembarcou no Aeroporto Internacional de São Gonçalo do Amarante por volta de 1h. Do aeroporto, as 82.440 doses foram transportadas para a Central de armazenamento e distribuição instalada na Unicat (Unidade Central de Agentes Terapêuticos), em Natal.

Este primeiro lote vai atender 39.258 potiguares com duas doses da vacina, aplicadas entre um intervalo de 28 dias, priorizando os grupos prioritários: trabalhadores de saúde e pessoas idosas residentes em instituições de longa permanência (institucionalizadas).

A secretária adjunta de Estado da Saúde Pública (Sesap), Maura Sobreira, explicou que, a partir de orientações do Governo Federal, foram estabelecidos critérios priorização para a aplicação das doses. “Nesse primeiro momento, receberão a vacina os idosos que estão institucionalizados, ou seja, aqueles que moram em abrigos. Com relação aos profissionais de saúde, também houve uma necessidade de escalonamento. Como prioridade, primeiramente, serão os próprios vacinadores, além dos profissionais que estão atuando na linha de frente, seja em urgências e emergências, seja em Upa’s, Samus, unidades hospitalares, hospitais de campanha, Centros Covid e profissionais da atenção primária”, disse.

Nas próximas horas, a Sesap vai separar os lotes que serão enviados às seis centrais de distribuição instaladas nas Regionais de Saúde nos municípios de Mossoró, Caicó, Pau dos Ferros, Santa Cruz, São José de Mipibu e João Câmara, além de Natal e cinco municípios da Região Metropolitana – Parnamirim, Macaíba, São Gonçalo do Amarante, Extremoz e Ceará-Mirim. O tempo de espera entre a chegada das vacinas à Unicat e sua saída para distribuição é estimado em 3 horas. A estas centrais, os secretários municipais de saúde devem enviar as equipes de saúde para receber os lotes de cada município. Estão previstas mais de 12 mil doses para a Natal, já a quantidade de doses a serem encaminhadas aos demais municípios não será divulgada de forma antecipada por motivos de segurança.

A expectativa é de que todas as doses de vacinas recebidas pelo Estado sejam distribuídas em até 12 horas para os locais de imunização e que a primeira vacina seja aplicada em até 72 horas. “A gente estima que até o final do dia todas as regionais de saúde já estejam devidamente abastecidas”, destacou Maura Sobreira ao afirmar que o Estado garantiu toda a logística em relação aos insumos necessários, como as seringas que serão enviadas junto com as vacinas.

“Cabe destacar que a chegada da vacina não marca o fim da pandemia, a gente continua tendo o desafio que é garantir todos os cuidados sanitários: o uso da máscara, a higienização das mãos, evitar aglomerações, porque estamos, inclusive, num cenário de expansão de casos. Contudo, com a chegada da vacina, há um processo de controle desse cenário”, acrescentou. Ler mais…

Foto: Sesap-RN/Divulgação

A Sesap reuniu todas as regionais de saúde durante este domingo (17) para alinhamento da execução do Plano Estadual de Operacionalização e o início da Vacinação no Rio Grande do Norte. Participaram, em quatro momentos diferentes, 254 pessoas, envolvendo secretários municipais de saúde, coordenadores de Atenção Primária dos municípios, coordenadores de vigilância/imunização dos municípios, profissionais vacinadores, Cosems, gerentes de URSAP e equipes técnicas – rede de frio.

A Sesap conduziu a reunião com representantes da Coordenadoria de Vigilância em Saúde, Suboordenadoria de Vigilância Epidemiológica, Subsecretaria de Planejamento e Gestão da Sesap, além do secretário de saúde Cipriano Maia e a secretária adjunta Maura Vanessa Sobreira.

A reunião teve como alicerce informações essenciais para a preparação de todos os profissionais para a vacina da maneira mais eficaz e correta. A previsão é que o estado receba as doses do Instituo Butantan, com previsão da aplicação de 239 mil doses na primeira fase. Na ocasião foi apresentado o plano e as estratégias da distribuição e manejo dos imunizadores. A previsão é que as vacinas cheguem em solo potiguar na manhã desta segunda-feira (18), passe por conferência e armazenamento, preparação das remessas, distribuição para as centrais regionais até a retirada nas centrais, num prazo de até 72 horas.

Os imunobiológicos serão distribuídos com apoio do Corpo de Bombeiros e a escolta será realizada pela Política Militar e Polícia Rodoviária Federal. No ato da distribuição para as regionais todos serão comunicados do horário a ser agendado para a retirada as doses nas regionais, para que a distribuição ocorra da maneira mais célere possível.

RN Mais Vacina

Criado pelo Laís em parceria com a Sesap a plataforma “Rn Mais Vacina”, permite maior controle sobre as doses das vacinas, reduzindo desperdícios e ampliando a governança dos processos, centrado na experiência do profissional de saúde e do cidadão. O sistema é integrado e permite o rastreio da vacina desde o seu recebimento na Central Estadual da Rede de Frio, até a aplicação na sala de vacina, com uma interface web intuitiva e acessível.

Para o controle, a Sesap fez a distribuição de mil tablets em todas as salas de vacina, facilitando o acesso de todos. O sistema proporciona o cruzamento de dados que identifica incidentes e gera alertas e relatórios centrados na experiência do cidadão e do profissional de saúde.

Capacitação

A Secretaria de Estado da Saúde Pública, em parceria com as Universidades Estadual e Federal do Rio Grande do Norte, o Laboratório de Inovação Tecnológica em Saúde (LAIS/UFRN) e com o apoio logístico do Município de São Gonçalo do Amarante, produziu uma capacitação inédita aos vacinadores que atuarão nas 711 salas de vacinação espalhadas pelo Estado.

O objetivo é atualizar esses profissionais de saúde sobre as rotinas, organização, materiais a serem utilizados e, especialmente, a forma correta de aplicação do imunizante. O conteúdo, construído de forma inédita no Brasil, está disponível através do AvaSUS, plataforma que oferece cursos online na área da saúde.

Wordpress Social Share Plugin powered by Ultimatelysocial