Com isolamento de apenas 40%, Governo pede colaboração da população


Inovação Tecnológica em Saúde (LAIS), da UFRN. O número é considerado preocupante porque está muito abaixo do ideal, que seria de 60%. Diante disso, o Governo do Estado e as autoridades da saúde pública fazem um apelo à população para quem puder permanecer em casa, a fim de que se evite uma rápida proliferação do contágio pelo novo coronavírus, o que sobrecarregaria ainda mais a rede de saúde.

Diante do agravamento do quadro, a subcoordenadora de Vigilância Epidemiológica da Sesap, Alessandra Lucchesi, ressaltou, mais uma vez, a importância do distanciamento social. “Essa é a principal ferramenta que pode auxiliar nesse processo de reduzir a transmissão”, disse ela durante entrevista coletiva realizada nesta quinta-feira, 21, na Escola de Governo.

Os dados do Rio Grande do Norte apontam que a maioria dos infectados está na faixa etária dos 20 aos 49 anos de idade. “Isso nos permite inferir que são as pessoas que ainda continuam circulando, em sua maioria”, disse Alessandra. Apesar disso, ela esclareceu também que o perfil de óbitos segue o esperado. “As pessoas com comorbidades tendem a ter maior chance de agravamento, assim como os idosos”, afirmou.

As taxas de notificações estão melhorando em todos os municípios do Rio Grande do Norte. As regiões mais importantes do ponto de vista epidemiológico são Mossoró, Assú e Região Metropolitana de Natal, onde continua crescendo o número de casos confirmados. “Esse processo é de corresponsabilização e coparticipação para que possamos ter dados ainda melhores e garantir ainda mais uma saúde de qualidade à população potiguar”, afirmou.

A subcoodenadora também orientou a população sobre como deve proceder no caso de apresentar qualquer sintoma gripal. “Nesses casos, é imprescindível que o indivíduo se coloque em isolamento de imediato”, destacou.

Saiba mais AQUI 

Compartilhar