sexta-feira, julho 12, 2024
Rio Grande do Norte

Cristiane Dantas propõe instituir Semana de Conscientização e Combate ao Capacitismo

A campanha de combate ao Capacitismo, lançada nesta quarta-feira (12) pela Assembleia Legislativa, pautou o pronunciamento da deputada Cristiane Dantas (SDD) durante a sessão plenária de hoje. A parlamentar enalteceu a iniciativa da Casa e anunciou o encaminhamento de Projeto de Lei propondo a instituição da Semana Estadual de Conscientização e Combate ao Capacitismo, a ser celebrada em torno do dia 21 de setembro.

“Precisamos promover e difundir o conhecimento desse tema extremamente importante para todas as pessoas, em especial às pessoas com deficiência, ao passo em que são expostas diariamente com a discriminação, inferiorização e estigmas, mesmo que de forma involuntária e sem intenção”, disse Cristiane

A escolha da data, segundo a deputada, se dá em razão do Dia nacional de Luta da Pessoa com Deficiência. Ela explica que o capacitismo “está amplamente presente na sociedade nas mais diversas expressões, manifestações, comparações sem sentido, comentários sem ofensa aparente, comumente praticados e realizados no dia a dia”.

De acordo com o Projeto de Lei, a Semana Estadual de Conscientização e Combate ao Capacitismo tem por objetivos alertar, informar, difundir e compartilhar conhecimento relativo ao conjunto de termos, expressões, manifestações comportamentais capacitistas na sociedade, desestimulando os estigmas, a inferiorização e a discriminação sobre as pessoas com deficiência.

A proposta busca instituir a ação no Calendário Oficial de Eventos do Estado, prevendo o desenvolvimento das seguintes atividades: palestras; debates; seminários; audiências públicas; propagandas publicitárias; distribuição de folhetos, cartilhas, informativos; campanhas de conscientização, entre outras.

“Para superar barreiras atitudinais, é fundamental promover a conscientização e a educação sobre diversidade, inclusão e igualdade, incentivando atitudes de respeito, empatia e compreensão mútua. Além disso, a implementação de políticas e práticas inclusivas pode ajudar a criar ambientes mais acolhedores e justos para todos”, concluiu Cristiane.

ALRN

Spread the love