Empresas do Parque Metrópole oferecem soluções para setor produtivo driblar dificuldades do isolamento social


Tecnologias são direcionadas para áreas tão diversas como educação, saúde, comércio e esportes

Em virtude do isolamento social, principal medida preventiva contra o novo Coronavírus (Covid-19), empresas recorrem às novas tecnologias para manter seus negócios funcionando. Em Natal, startups vinculadas ao Parque Tecnológico Metrópole Digital, do Instituto Metrópole Digital (IMD/UFRN), se empenham na oferta de diferentes soluções para ajudar negócios de áreas como saúde, educação, comércio e esportes.

Um exemplo disso é a ESIG, spin-off da UFRN especializada em softwares. Durante a quarentena, a startup vem aprimorando o seu Sistema Integrado de Gestão da Educação (SIGEduc) – ferramenta utilizada por mais de mil escolas só da rede estadual do RN e do Amapá – de modo que o ensino a distância seja uma alternativa para os tempos de crise.

Além disso, foi criado um módulo de videoconferência, modalidade que permitirá encontros online com um grande número de participantes. A solução também é aplicada ao Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas (SIGAA), o que possibilita a realização de aulas a distância também para universidades.

Saúde

Área afetada diretamente pela pandemia, a saúde também é um campo que demanda por inovação tecnológica. Atualmente, com a criação de aplicativos especializados e sistemas de telemedicina, muitas pessoas têm enxergado nisso a solução para uma série de demandas assistenciais.

“Percebemos que, com a pandemia, as pessoas estão tendo que usar mais aplicativos e sites para resolverem problemas ou conseguirem algum benefício. Da mesma maneira acontece com a saúde: enquanto alguns resistiam à inovação, hoje essas ferramentas se tornam essenciais”, comenta Rilton Campos, CEO da Bomédico, startup vinculada à Inova Metrópole, incubadora do Parque Tecnológico.

Com um aplicativo de mesmo nome, a Bomédico desenvolveu uma plataforma para marcação de consultas online. Durante a quarentena do Covid-19, a ferramenta tem se mostrado útil para evitar a aglomeração de pessoas em hospitais e clínicas, além de permitir ao paciente a comodidade de marcar seus atendimentos por meio do celular.

Além disso, a empresa também está investindo em mecanismos de teleatendimento e de emissão de receitas médicas online com assinatura digital, de maneira que toda a assistência médica possa ser feita à distância.

Outra solução que tem beneficiado cada vez mais empresas no atendimento hospitalar é o QuarkClinic, sistema online da ESIG que lançou, recentemente, um módulo de telemedicina integrado ao prontuário. Com ele, é possível que profissionais de saúde adotem medidas mais restritivas em relação à pandemia.

A ferramenta também faz uso das assinaturas digitais – medida aprovada recentemente pelo Conselho Regional de Medicina (CRM) que permite ao paciente comprar medicamentos em farmácias sem a tradicional receita médica escrita em papel.

Comércio

Muitos estabelecimentos do comércio local também estão sendo afetadas pela pandemia, dado o isolamento social que restringe a operacionalização de vendas e atendimentos presenciais. Neste quesito, empresas como a Lua4, especializada em sistemas online para negócios de venda de automóveis, têm sido especialmente demandadas.

“No início, pensávamos que nosso seguimento seria mais afetado, mas nos enganamos. Os clientes não sumiram, só estão em casa”, comenta Danilo Praxedes, diretor da Lua4, que afirma ter aumentado o fluxo de treinamento de suas empresas clientes para melhorar suas atuações em tempos de crise.

Ainda segundo Praxedes, a pandemia “abriu os olhos de muitas empresas para as vendas online. É possível vender e atrair mais clientes sem interação física, mas, para isso, sair do tradicional e usar a tecnologia a seu favor é essencial”, afirma ele.

Para auxiliar esse segmento, a empresa oferece sistemas de gestão simplificados, que permitem ao usuário fazer todo o gerenciamento comercial e operacional de sua loja de veículos. Além disso, os colaboradores da Lua4 ensinam seus clientes a como potencializar sua tecnologia em áreas como atendimento ao público, distribuição de conteúdo online, organização de estoque, entre outros.

Esportes

Outra área que tem buscado se reinventar nesses tempos de crise é a de esportes. Com eventos cancelados ou adiados, muitas empresas e clubes de futebol se deparam com a necessidade de inovar seus modelos de negócio para continuar firmes no mercado.

Para ajudar nessa demanda, a Futebol Interativo, startup especializa em educação e marketing para futebol, oferece, durante a quarentena, 11 cursos gratuitos em sua plataforma, reunindo formações online de temas como preparação física, análise de desempenho, tática para treinadores, entre outros.

Além disso, há duas semanas, a empresa promoveu um evento online que reuniu diversos nomes do futebol nordestino para discutir o futuro da modalidade esportiva diante da pandemia. Participaram da iniciativa treinadores, analistas de desempenho, jogadores e gestores de clubes.

Compartilhar