Óbitos por Covid-19 no RN sobem para 267; outros 60 estão em investigação

Foto: reprodução/internet

O Rio Grande do Norte tem até o momento 267 óbitos por Covid-19, dos quais 7 foram registrados nas últimas 24h. São 6.463 casos confirmados da infecção, 14.905 supeitos e 12.552 descartados. Há 60 mortes em investigação. Os dados foram divulgados pela Secretaria Estadual de Saúde Pública (Sesap) em coletiva de imprensa realizada nesta sexta-feira (29).

No estado, há 530 pessoas internadas por causa da doença, das quais 259 estão em leitos críticos, e as demais, em leitos clínicos. O número de pacientes à espera de regulação (internação) é de 90. Desse total, 4 são prioridade “1”; já os classificados como prioridade “2” são 26. Os demais (60), são prioridades “3” e “4”, as mais leves.

Leitos

A taxa de ocupação de leitos destinados a tratar o novo coronavírus em todo o RN está distribuída da seguinte maneira:

Região Oeste: 97%
Grande Natal: 97%
Pau dos Ferros: 75%
Seridó: 40,9%

Lacen

Durante a coletiva de imprensa na manhã desta sexta, o diretor administrativo do Laboratório Central de Natal (Lacen), que é responsável pelos testes para detecção de Covid-19, afirmou que há 300 amostras à espera de análise e que esperar zerar esta lista ainda neste final de semana.

Segundo ele, o Lacen enfrenta diversas dificuldades para dar agilidade aos processos durante a pandemia. Dentre essas dificuldades, ele citou a precariedade da estrutura do laboratório e a falta de equipamentos. O diretor administrativo disse que o ideal seria a construção de uma nova sede, algo já pleiteado desde 2007.

Derley afirmou também que faltam cabines de extração para coleta de material para realização do exame que detecta a infecção pelo novo coronavírus. Outro problema citado pelo diretor administrativo é a baixa quantidade de kits para os testes de Covid-19. O Lacen contabiliza, no momento, 22 kits, que somam um total de 2.192 testes, suficientes apenas para os próximos 9 dias.

A previsão para chegada de novos testes é julho. Até lá, segundo Derley, os exames devem voltar a ser feitos manualmente, o que tornará lenta a divulgação dos resultados.

Do Agora RN

Compartilhar