Polícia Civil prende casal suspeito de ser o mentor de assalto que terminou com PM de Santa Catarina morta em Natal

Um casal suspeito de participação, como autores intelectuais, do assalto que terminou com a morte da soldado Caroline Pletsch, de 32 anos, da Polícia Militar de Santa Catarina – em março de 2018, em uma pizzaria na Zona Norte de Natal, foi preso nesta quinta-feira(28) por policiais civis da Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP). De acordo com reportagem do portal G1-RN, os presos foram identificados como Raissa Torres Lima de Souza e Wewerton Lenário Gomes da Silva, já indiciados pelos crimes de latrocínio consumado (roubo seguido de morte) e latrocínio tentado, já que o marido da catarinense sobreviveu.

A reportagem ainda destaca que outros envolvidos no crime são João Victor da Silva Pereira, hoje com 19 anos, que foi preso no dia 11 de abril, uma adolescente de 16, e ainda Mateus da Silva Régis, de 17 anos, que morreu no dia 15 de agosto do ano passado ao trocar tiros com policiais militares durante o sequestro do filho do ex-prefeito de Lajes e hoje deputado federal Benes Leocádio, crime também ocorrido na Zona Norte de Natal. No confronto, o filho do parlamentar, Benes Leocádio Júnior, de 16 anos, também acabou morto.

A soldado Caroline Pletsch e o sargento Marcos Paulo da Cruz residiam na cidade de Chapecó, em Santa Catarina, e estavam de férias em Natal. Eles lanchavam em uma pizzaria no conjunto Parque das Dunas, na Zona Norte da cidade, quando foram surpreendidos por dois assaltantes. Houve luta corporal e o sargento acabou baleado duas vezes(passou 19 dias internado na capital potiguar até o retorno a sua cidade no sul do país). Já Caroline, levou um tiro no peito ao tentar separar a briga.

Segundo as investigações, os dois criminosos teriam fugido com a ajuda de Raissa e Wewerton.

“O casal, e mais a adolescente de 16 anos, estavam em um carro estacionado próximo da pizzaria, e foram eles que planejaram o assalto. Por isso consideramos que eles são os mentores, os autores intelectuais do crime”, explicou o delegado Rysklyft Factore, que presidiu o inquérito.

Com acréscimo de informações do G1-RN

Do BG

Compartilhar