67 alunos dos cursos de graduação da EAJ-UFRN foram beneficiados com Auxílio de Inclusão Digital


O Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão (CONSEPE) da UFRN aprovou a criação do Período Letivo Suplementar Excepcional (PLSE) 2020.5. O conselho que instituiu a criação do período com aulas remotas também estabeleceu o pagamento de um benefício para que os alunos prioritários, com interesse em cursar alguma disciplina no período, pudessem contratar pacotes de internet para participação nas aulas.

O Processo Seletivo Simplificado para concessão desse benefício foi regulamentado pela Pró-Reitoria de Assistência Estudantil (Proae), através de edital publicado no dia 16 de Junho. O documento estabeleceu o pagamento de R$ 150 para custear despesas com dados de internet, a ser pago em uma única parcela.

O auxílio foi concedido aos alunos em situação de vulnerabilidade socioeconômica e que participam, como alunos prioritários, do Cadastro Único. Além disso, os estudantes tinham que estar matriculados em disciplinas no PLSE 2020.5. Na Escola Agrícola de Jundiaí (EAJ-UFRN), 67 alunos da graduação solicitaram o benefício. Desses, apenas cinco não foram aprovados, seja por não estarem matriculados em disciplinas ou por pendências na documentação do Cadastro Único. O edital previa recurso, mas não foi solicitado.

Um dos alunos selecionados é Henrique, do curso de Engenharia Florestal. Ele é morador do interior do Estado, onde a internet ainda é deficitária, o que demonstra a importância do pagamento do benefício. “O auxílio está sendo muito importante, pois, com ele, posso melhorar a internet. Até porque a internet do interior não é das melhores”, disse. Henrique disse que tem gostado do período remoto. Ele contou que os professores estão bastante motivados, o que acaba contagiando os estudantes também. Perguntado se teria se matriculado nos PLSE mesmo sem a ajuda do auxílio, o estudante que “Sim. Porém, iria ser muito ruim, porque a internet é fraca e isso dificulta na videoconferência e as avaliações”.

Já para os alunos da pós-graduação, o processo para a concessão do benefício ainda está em andamento. Ele foi regulamentado pela Proae e pela Pró-reitoria de Pós-graduação (PPG) e terá duas etapas. A primeira vai de 22 de junho a 1 de julho. Uma segunda etapa acontece de 13 a 17 de julho. Isso acontece porque há flexibilização nas matrículas da pós-graduação. Além de se encaixarem nos mesmos requisitos da graduação, os alunos não podem ser bolsistas de mestrado, doutorado ou de qualquer bolsa de pesquisa; precisam estar matriculados em componentes curriculares oferecidos de forma remota; possuir matrícula nas atividades acadêmicas do programa de pós-graduação e apresentar Termo de Ciência e concordância do coordenador do Programa de Pós-graduação no qual está matriculado. Em relação ao valor do auxílio, ele poderá ser de R$ 150, para disciplinas com tempo de quatro a seis semanas, ou de R$ 300, para disciplinas com duração de sete a nove semanas.

Por João Mário Costa – Comunicação EAJ

Wordpress Social Share Plugin powered by Ultimatelysocial