Ação solidária da EAJ ajuda agricultores de Macaíba e comunidade carente de Natal


Por Enoleide Farias de Agecom


Uma ação conjunta entre a Escola Agrícola de Jundiaí (EAJ) e o Movimento Banquetaço, sob a coordenação do professor Tarcísio Gonçalves Júnior, resultou na arrecadação de 1,5 toneladas de alimentos adquiridos com os agricultores do assentamento Quilombo dos Palmares, em Macaíba. Esses alimentos, posteriormente, serão doados a moradores em situação de vulnerabilidade no bairro Nossa Senhora da Apresentação, em Natal. A ação Feira Solidária foi idealizada com o objetivo de ajudar os assentados que trabalham na agricultura familiar a escoar a produção dos últimos dias, que não estava sendo comercializada em decorrência do isolamento social causado pela pandemia da covid-19. Procurado, o professor Tarcísio Jr., com a coordenadora do Banquetaço, Gabriela Lopes, lançaram então uma campanha de doação voluntária no valor de R$20, cuja arrecadação, em dois dias, possibilitou a compra de 1,5 toneladas de alimentos hortifrutigranjeiros.

“Ficamos surpresos com a enorme solidariedade e participação das pessoas, que resultou no sucesso da nossa empreitada”, disse o professor. Ele replicou que a relação da EAJ com os assentados já existia, por causa do projeto de extensão Feira de Agricultura Familiar, desenvolvido na EAJ nos anos de 2018 e 2019.

Por meio de edital, dois assentamentos selecionados participavam do projeto, que realizava semanalmente uma feira nas dependências da Escola. Neste ano, porém, com a pandemia, o projeto não aconteceu, trazendo prejuízos aos assentados.

Colheita, embalagem e transporte

Sobre a ação, o professor explicou que depois do sucesso das doações, na etapa inicial, a preocupação dos organizadores se voltou para viabilizar a logística de retirada dos alimentos, de acordo com as recomendações da Organização Mundial da Saúde (OMS), e transporte dos gêneros de Macaíba para Natal.

Mais uma vez, os assentados demonstraram compromisso e, além da colheita, colaboraram com a embalagem dos alimentos e montagem das cestas de acordo com as recomendações sanitárias, no contexto de pandemia. Os produtos são banana, mamão, batata doce, macaxeira e coco.

Para o transporte dos produtos de Macaíba até o bairro de Nossa Senhora da Apresentação, na Zona Norte de Natal, os organizadores da Feira Solidária contaram com outro parceiro para a contratação do frete.

Agora, segundo o professor, os cuidados se voltam para a etapa final, a de distribuição dos alimentos, que será realizada, também, em parceria com uma outra entidade, para que os produtos cheguem aos destinatários finais. Essa etapa será acompanhada pelo professor Tarcísio Júnior, que pretende que todo o processo siga os cuidados e as recomendações dos agentes sanitários. Entre as orientações está a de evitar aglomerações e preservar o distanciamento recomendado no atual contexto.



Iniciativa pode ser ampliada

A iniciativa do professor Tarcísio Júnior pode ganhar novos adeptos e ser ampliada, inclusive, para fora do Rio Grande do Norte. Ele explicou que está em contato com outras entidades, o que pode levar a Feira Solidária para outros estados.

O Instituto Federal de Goiás (IFG) pretende replicar a ação, e outras instituições não governamentais, como o Banquetaço, pretendem levar a iniciativa a outros lugares do país. Formado em Gastronomia, o professor Tarcísio Gonçalves Júnior integra a coordenação do curso de Agroindústria da EAJ. O Movimento Banquetaço atua em defesa da agroecologia e da segurança alimentar.

Compartilhar