Denúncia ambiental grave em Macaíba

Há mais de 10 dias, a comunidade rural indígena Lagoa do Tapará, voltou ser atingida pelas queimadas na fazendo de cana-de-açúcar que tem na comunidade.

Sem se saber de quem é a fazenda, um conjunto de trabalhadores da empresa de cana-de-açúcar da região, vive constantemente colocando fogo no seu canavial.

Comunidade indígena prejudicada tanto na sua fauna e flora, como também a população nativa que é afetada diretamente.

Muitos questionamentos precisam ser construídos a partir deste quadro, entre eles podemos apresentar:

A empresa tem alvará para fazer esse tipo de atuação?

O Ministério Público já tem relatório sobre tal fato, tendo em vista que tem se repetido por diversas vezes, desde o ano de 2020?

Os órgãos públicos já realizaram fiscalização no local para identificar de quem é tal prática? Nome da empresa? E se tal ação econômica está seguindo os padrões permitidos?

A Comunidade Indígena vai reagir como diante de tal fato?

Apenas procurar denunciar nas redes sociais? Ou vai enfrentar o empresariado para buscar acabar com essa prática negativa para o meio ambiente e para o seu povo?

Confira na íntegra AQUI

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *