EAJ abre inscrições para curso gratuito de Eletricista de Sistemas de Energias Renováveis

Foto: Senadinho

A Escola Agrícola de Jundiaí (EAJ-UFRN) está com inscrições abertas para o Curso de Formação Inicial e Continuada (FIC) de Eletricista de Sistemas de Energias Renováveis (Instalador de Sistemas Fotovoltaicos), do programa Desenvolvimento em Energias Renováveis e Eficiência Energética na Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica – Programa EnergIF.

O curso é presencial, gratuito, possui um total de 200 horas e as primeiras turmas iniciarão as aulas no dia 30 de maio. Nesta oferta, a formação será realizada em cinco municípios do Rio Grande do Norte: Natal, Santa Cruz, Currais Novos, Caicó e Mossoró. O curso visa formar profissionais que analisam, quantificam e realizam instalação, reparação e manutenção elétrica de sistemas de geração de energia residencial e comercial através de painéis solares fotovoltaicos e/ou pequenos aerogeradores.

A duração média é de 3 meses e, a depender do polo e turma escolhidos, as aulas iniciam ainda no mês de maio. Cada turma tem capacidade para atender até 30 estudantes e há polos com mais de uma turma. Além disso, o programa ofertará para os alunos selecionados um auxílio de ajuda ao custo de transporte e alimentação, que será pago ao longo da formação. Para se inscrever, basta ter 18 anos ou mais, ter cursado o 5º ano do ensino fundamental e não ter matrículas ativas em outros cursos financiados pelo Programa Bolsa Formação.

Perfil profissional e Mercado de Trabalho

O profissional da área é responsável por instalar e manter os sistemas fotovoltaicos de acordo com as normas e procedimentos técnicos, como forma de garantir qualidade e segurança na instalação, com o melhor aproveitamento da conversão da irradiação solar em energia elétrica, respeitando as normas de meio ambiente. Atualmente, residências, pequenos comércios e indústrias instalam usinas de produção de energia solar, e o mercado de instalação e manutenção desses sistemas obteve crescimento nos últimos anos.

O ano de 2012 marcou o início do mercado de energia solar distribuída no Brasil, apesar de já existirem consumidores deste tipo de tecnologia, a regulamentação só foi realizada através da Resolução Normativa 482 de 2012. Em 2021, foram gerados mais de 3,5 GW de potência instalada em residências, fachadas e pequenos terrenos, segundo a Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL). O número fez o Brasil entrar para o grupo de 15 países líderes em capacidade instalada de energia solar no mundo.

O telhado de uma casa ou comércio pode se transformar numa usina fotovoltaica para produzir energia elétrica suficiente para atender toda a necessidade de consumo de eletricidade. Assim, a instalação da placa de energia solar, equipamento utilizado para captar a energia solar e iniciar o processo de transformação em energia elétrica, está cada vez mais acessível, aumentando o número na geração de empregos na área.

De acordo com os cálculos feitos pelo Canal Solar, com base em levantamento da Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (ABSOLAR), o Brasil criou 153 mil empregos no setor de energia solar em 2021, o que correspondeu a uma média de 419 contratações por dia. O número é um aumento de 77,9% em relação aos empregos acumulados pelo setor em 2020. Desde sua regulamentação, a fonte solar foi responsável por gerar mais de 390 mil admissões em todo Brasil.

As inscrições permanecerão abertas até o dia 27 de maio e são realizadas no endereço https://novoscaminhos.ufrn.br/pages/inscricao.

Spread the love