Com novas parcelas, previsão de gasto com Auxílio Emergencial chega a R$ 322 bilhões

Foto: Aloísio Maurício/Foto Arena/Estadão Conteúdo

Com mais quatro parcelas de R$ 300 do auxílio emergencial até o final do ano, a previsão de gasto do governo federal com o pagamento do benefício chegou a R$ 322 bilhões. O valor é mais que o dobro do orçamento inicial, em abril, de R$ 152,6 bilhões para três parcelas de R$ 600. Depois passou para R$ 254,4 bilhões, com a quarta e quinta parcelas.

O orçamento das medidas provisórias (MP) editadas para enfrentar os impactos da crise provocada pela pandemia de coronavírus prevê R$ 570,7 bilhões para todas as ações. Até o momento foram gastos R$ 379,7 bilhões. Desse total, quase 60% (R$ 212,8 bilhões) foram para o auxílio emergencial a trabalhadores informais e população de baixa renda.

Os números são do Monitoramento dos Gastos da União com Combate à Covid-19, atualizados diariamente, no Portal Tesouro Transparente, da Secretaria do Tesouro Nacional, ligada ao Ministério da Economia.

O Ministério da Cidadania, responsável pelo pagamento do auxílio, foi o principal beneficiado por essas medidas provisórias. Até esta segunda-feira (22), 67,2 milhões de pessoas haviam recebido uma parte das parcelas, num total de R$ 194,6 bilhões. De três parcelas iniciais, o benefício passou para cinco de R$ 600 cada. Agora mais quatro de R$ 300 até dezembro.

Outros gastos

Em segundo lugar, entre os gastos efetivados até agora no combate ao coronavírus, estão estados e municípios, que têm previsão de receber R$ 79 bilhões, mas até agora foram executados R$ 55,1 bilhões, pela MP 939. O Ministério da Saúde, com previsão de gastos de R$ 52,9 bilhões, teve a terceira maior despesa executada, com R$ 32,3 bilhões destinados à produção de medicamentos, estruturação e operacionalização de centrais analíticas para diagnóstico da doença. O valor também é utilizado para kits de teste da covid-19

Comparação

O valor gasto até agora com o auxílio, por exemplo, já é 40% maior que o orçamento total para a Educação do próximo ano, de R$ 144,5 bilhões previstos no Projeto de Lei Orçamentária (PLOA) encaminhado nesta segunda-feira (31) ao Congresso Nacional.

R7

Compartilhar