Dona de casa está há cerca de 20 horas sem contato com a família após cerco policial para prender Lázaro: ‘Coração doendo’

Foto: Guilherme Rodrigues/G1

A dona de casa Fabrina Mariellen, de 40 anos, está há cerca de 20h sem conseguir contato com a filha de 3 anos e o marido depois que a polícia fechou a estrada que dá acesso a região de chácaras onde ela mora e onde acontece um cerco que busca por Lázaro Barbosa há 17 dias, no distrito de Girassol, em Cocalzinho de Goiás.

“Ainda não consegui [entrar]. Estou esperando abrir. Coração doendo. Muito preocupada, mas com fé em Deus estão todos bem”, disse.

Fabrina tinha saído com o filho em uma moto para buscar milho para as galinhas na quinta-feira (24) e na volta para a chácara foi surpreendida pela barreira. Até a manhã desta sexta-fera (25) ela ainda não havia conseguido chegar em casa. Com isso, ela precisou dormir na casa de uma tia.

“Tem que acabar logo com isso. A gente está sofrendo. Tem que prender logo”, disse.
A dona de casa disse ao G1 que a família tem apenas um telefone, que está com ela. Por isso, a moradora não consegue contato com os familiares.

“Lá na chácara não tem telefone. A gente só tem um celular, que está comigo. Estou tentando achar um comandante [polícia] para me ajudar”, contou.

Buscas

A força-tarefa que procura por Lázaro Barbosa entrou no 17º dia consecutivo de trabalho nesta sexta-feira (25) após duas pessoas serem presas suspeitas de ajudar o criminoso a fugir. A identidade deles não foi divulgada, mas informações de membros da operação indicam que são um fazendeiro e um caseiro.

Lázaro é suspeito de uma chacina em Ceilândia (DF) e outros sete crimes, segundo a Secretaria de Segurança Pública de Goiás (SSP-GO) – veja aqui sobre crimes e fuga do investigado. A operação que procura pelo criminoso tem mais de 270 policiais empenhados e conta com ajuda de helicópteros e cães farejadores.

G1

Spread the love