EAJ-UFRN realiza estudo a partir da influência do manejo na diversificação da produção de produtos apícolas

O projeto de pesquisa “Influência do manejo na diversificação da produção de produtos apícolas no apiário”, é realizado na Escola Agrícola de Jundiaí (EAJ-UFRN) e busca proporcionar apoio à participação de produtores de mel em grupos produtivos nas comunidades rurais e geração de emprego e renda através da produção rural. Além disso, possibilita a atuação do agricultor como agente na sustentabilidade familiar, melhoria da qualidade de vida das famílias do campo e fomenta a preservação ambiental. O projeto envolve estudantes dos cursos técnicos e de graduação com apicultores, pesquisadores e técnicos da área, no intuito de adquirir subsídios para o seu aprendizado sobre a atividade e vivenciar a prática docente estimulando o espírito investigativo dos alunos sobre as questões pertinentes à qualidade e ao desenvolvimento sustentável de sistemas de produção e aumento da produtividade, explorando a atividade de forma racional, minimizando o impacto ambiental dessa atividade.

O projeto, que é coordenado pela Professora Gunthinéia Alves de Lira, coordenadora do Setor de Apicultura e Meliponicultura da EAJ-UFRN, surgiu a partir de demandas vindas de apicultores referente à necessidade de melhorar a produtividade mantendo o contato direto com professores estudantes no que diz respeito a inovações e capacitações. O projeto conta com a presença de discentes e a participação se dá a partir de visitas técnicas à propriedade, identificando necessidades e buscando alternativas que melhorem a produtividade.

O objetivo é realizar pesquisas no âmbito de avaliação dos potenciais produtivos e a possibilidade de diversificação na produção apícola da microrregião da Escola Agrícola de Jundiaí, em Macaíba-RN, utilizando alimentação alternativa e que contribua com o aumento da produtividade de mel e outros produtos da colmeia. Os produtos são coletados, seguem para a unidade de processamento e nela se dá o processamento de acordo com a especificidade do produto.

Acerca da influência do manejo na diversificação dessa produção, a coordenadora fala do trabalho com melhor qualidade e da importância dessa diversificação. “Trabalhando com qualidade, identificando a necessidade das abelhas e melhorando/adaptando as técnicas de manejo, conseguimos uma maior produção, em menos tempo e com qualidade”, diz. “Se o produtor conhecer bem sua atividade pode explorar diversos produtos, de acordo com o potencial de sua região e de seus enxames, agregando valor à atividade e gerando renda”, complementa.

Diversos produtos apícolas são explorados no setor de apicultura e meliponicultura da EAJ. “No setor, trabalhamos com abelhas africanizadas (com ferrão) nas quais exploramos o mel e a própolis, que também são comercializados. A cera de abelhas usada no próprio manejo do apiário, o pólen e a apitoxina são explorados em pesquisas”, comenta Gunthinéia. No Agroindústria é trabalhado todo o processamento dos produtos. “Além de elaborar derivados como barra de cereal enriquecida com produtos das abelhas, biscoitos, pães, temos na linha de cosméticos sabonetes, cremes, gel esfoliante, hidratantes à base de mel e própolis, e no artesanato, velas temáticas e aromáticas, e artesanatos temáticos usando biscuit, caixa de madeira e materiais recicláveis”, finaliza.

A importância de se fazer esse projeto de pesquisa é ajudar ao produtor a identificar possíveis problemas em sua produção e trazer uma oportunidade de melhoria, além de levar o estudante a vivenciar a atividade, despertar para a pesquisa e encontrar técnicas de manejo ou produtos que agreguem valor a essa atividade. E quanto às perspectivas do mesmo, é trabalhar novos produtos, desenvolver novas tecnologias, levar esse conhecimento a novos grupos de produtores, além de conscientizar a sociedade do trabalho das abelhas para o meio ambiente e para sobrevivência dos seres humanos.

Por Matheus Henrique – Com supervisão da Comunicação EAJ

Compartilhar