Escola Agrícola de Jundiaí regulamenta retorno do período letivo das aulas do Ensino Técnico no modelo remoto


A Escola Agrícola de Jundiaí (EAJ-UFRN) aprovou, através da resolução 06/2020 (Disponível em https://bit.ly/DocsResolucao) do Conselho da Unidade Acadêmica (CONSUA), a retomada das aulas para os estudantes do ensino técnico integrado e subsequente. Diferente da graduação, a volta não se dará por meio da criação de um semestre suplementar, mas da volta do período letivo, que acontecerá de forma remota. Dessa forma, todos os estudantes dessa modalidade de ensino deverão retornar às aulas no dia 27 de Julho.

A assessora acadêmica do ensino Técnico, Professora Viviane da Silva Medeiros, conta que a EAJ discutiu muito o processo de retorno das aulas. “Não é possível montar calendários, estudar, formar professores, estudantes de outra forma que não seja colaborativa. Por isso a EAJ passou muitos dias pensando sobre como seria um retorno às atividades diante da pandemia. A partir da resolução da UFRN que possibilitou o ensino remoto, as unidades acadêmicas tiveram a oportunidade de organizar como voltariam às atividades acadêmicas de forma remota. Assim, com ampla discussão com todos os professores, de todos os cursos técnicos da EAJ, montamos uma proposta seriada e que contempla poucos componentes por vez (3 a 5), possibilitando aos estudantes organizarem seus horários de estudo da melhor forma possível”, afirmou.

Além disso, a professora lembra as medidas que alguns professores tiveram que tomar para se adaptarem ao ‘novo normal’. “Muitos de nós, professores acima dos 40 anos, que não somos nativos digitais, tivemos que acelerar no processo digital. O que nos fez entrar nesse processo? A necessidade de estar junto aos nossos estudantes, de auxiliá-los no processo educativo, possibilitando que aprendam conteúdos regulares, mas mais que isso, aprender que nas adversidades temos que nos unir para atravessarmos os desafios. Estamos, enquanto UFRN, estimulando os colegas a se prepararem com minicursos, oficinas sobre ensino remoto e também aos estudantes com capacitações ao uso dessa tecnologia”, disse.

Resolução

O documento dispõe de várias medidas a serem adotadas pela unidade para que todos os alunos tenham acesso aos conteúdos que serão ministrados pelos professores.

Em relação aos estudantes que não têm acesso às tecnologias necessárias para o acompanhamento das aulas, caberá a direção da Unidade Acadêmica Especializada em Ciências Agrárias (EAJ-UFRN), a logística necessária para o repasse dos materiais produzidos pelos professores aos discentes.

Em reunião virtual, realizada no último dia 08, o diretor da EAJ, o professor Ivan Max, ressaltou o cuidado da escola para atender a todos estudantes. “A escola pública brasileira precisa ser inclusiva, por isso temos um olhar especial para com os estudantes que ainda possuem algum tipo de dificuldade. Não podemos acentuar, ainda mais, as desigualdades sociais existentes”, disse.

Dentre as medidas previstas pela EAJ estão a distribuição de kits com os materiais disponibilizados pelos professores, na residência dos estudantes, e a realização, apenas, de atividades assíncronas nas turmas em que algum aluno não puder acompanhar a aula no momento em que ela acontece.

O professor Ivan lembrou ainda que, buscando ter um panorama sobre as condições dos estudantes para o acompanhamento das aulas remotas, a EAJ aplicou um questionário online. Entre os questionamentos, buscou-se informações sobre acesso à internet, equipamento e distância dos alunos entre a residência e a Unidade. 100% dos alunos dos cursos técnico integrado responderam ao formulário. No ensino técnico subsequente, apenas 40 estudantes não responderam aos questionamentos. Para os alunos que não conseguiram responder de forma online, a escola entrou em contato através de ligações telefônicas.

Assim como na graduação, a resolução instituiu o pagamento do Auxílio de Inclusão Digital, que será pago aos estudantes que apresentam situação de vulnerabilidade socioeconômica, que estejam regularmente matriculados e façam parte do Cadastro Único da UFRN, de forma prioritária.

Para cumprir o calendário letivo, o período de aulas remotas contará com cinco módulos, com 32 dias cada, ficando com a seguinte configuração:

1° módulo: 27 de julho a 9 de setembro;

2° módulo:14 de setembro a 10 de outubro;

3° módulo: 5 de novembro a 18 de dezembro;

4° módulo: 7 de janeiro a 26 de fevereiro; e

5° módulo: 3 de março a 19 de abril.

Dependendo das condições da pandemia, a resolução prevê a alteração desse calendário. A retomada em modo remoto acontece devido a pandemia de Covid-19, que já dura quatro meses.

Por João Mário Costa – Comunicação EAJ

Wordpress Social Share Plugin powered by Ultimatelysocial