Índice de isolamento cai para 40% e faz contaminação continuar aumentando



“Os casos de contaminação pelo novo coronavírus crescem e estão espalhados por todo o Estado. Isto é um reflexo das aglomerações nas ruas nos últimos dias. Hoje talvez seja o pior dia até agora, pelos números e pelo cenário que se avizinha. A situação é de muito risco. Me desculpem por estas afirmações, mas todos precisam saber disso”. A declaração é do médico Petrônio Spinelli, secretário adjunto da Saúde Pública do Governo do Estado ao anunciar os números da pandemia no RN, em entrevista coletiva, nesta quarta-feira, 06.

Diante da gravidade da situação, Spinelli lembrou declaração do coordenador do Comitê Cientifico do Nordeste, cientista Miguel Nicolelis, que alertou para as consequências do crescimento da pandemia. “Devido às aglomerações nas ruas estamos entrando numa fase extremamente perigosa. Fortaleza já entrou em lockdown, Maceió, Recife e Manaus estão próximo disso. Criou-se a ilusão de que seria possível flexibilizar. Ainda não. E o uso da máscara não é garantia para ir às ruas com segurança. Estamos mais perto do lockdown do que da flexibilização”, afirmou.

Os casos suspeitos são 5.503; foram confirmados 1.644 e descartados 4.943. Outros 662 se recuperam e tiveram alta hospitalar, 72 foram a óbito e há 25 mortes em investigação. A estatística mostra que hoje estão internados 52 pacientes em leitos críticos nos Hospitais do Estado. A taxa de ocupação destes leitos é maior que 40%. O índice do isolamento social chegou a percentual muito baixo, em torno de 40%. É preciso pelo menos 60%.

Os óbitos confirmados em consequência da Covid-19 registrados na terça-feira, 05, ocorreram em municípios de pequenos e médios portes. Cidades maiores, como Natal e Mossoró, não tiveram óbitos por Covid pelo segundo dia consecutivo, o que constata a difusão da doença pelo interior. Os óbitos desta terça-feira ocorreram em Tabuleiro Grande (que não havia ainda registrado nenhum caso suspeito), Ipanguassu, Serra Negra e Areia Branca. Entre os 25 óbitos em investigação, dois aconteceram em Mossoró e quatro em Natal. A maioria ocorreu nas cidades médias e pequenas.

Analisando este quadro, Petrônio Spinelli alertou para três pontos de vista que considera ilusórios: “O primeiro é que não há cidade protegida por que não há casos. Veja Tabuleiro Grande que não tinha nenhum caso e já apareceu com um óbito. O segundo é que o vírus circula e quando analisamos os óbitos no interior e nas áreas periferias, volta a ser mais letal junto às pessoas idosas e com comorbidades, retornando ao seu perfil inicial. A terceira ilusão é acreditar que o vírus poderá ser vencido de forma isolada. Ilusões podem ser fatais. Os municípios precisam, através dos planos de contingências locais, informar as regionais de Saúde para que a Secretaria Estadual de Saúde execute da melhor forma possível o plano de assistência nas regiões”.

RESPIRADORES

As autoridades de saúde continuam enfrentando dificuldade para a instalação dos novos leitos de UTI. “Esta semana o RN deveria receber os 30 respiradores comprados através do Consórcio Nordeste. Mas estes respiradores só vão chegar na próxima semana. As UTIs que estão sendo montadas não contam com o respirador, neste momento”, informou Spinelli, acrescentando que outros 14 respiradores adquiridos pelo Estado tiveram a entrega bloqueada pelo Governo Federal e, embora o Estado tenha ganho junto à Justiça que o fabricante entregasse os equipamentos, isto não aconteceu até agora.

O secretário adjunto de Saúde solicitou que, caso algum órgão ou entidade tenha respirador sem funcionar, que procure a Secretaria de Saúde para que seja providenciado o funcionamento.



GERAR E ESPALHAR FAKE NEWS É CRIME

Delegada Geral da Polícia Civil, Ana Cláudia Saraiva, alertou para as implicações penais da propagação de fake news. A divulgação de notícia falsa é desinformação, causa prejuízos e ofende a honra. “Está no artigo 41 da Lei das Contravenções Penais que causar tumulto, alarme e pânico é crime e a polícia poderá instaurar procedimento para investigar autores e pessoas que propagam notícia falsa. Todos devem ter responsabilidade antes de divulgar, disseminar notícia através redes sociais ou mensagem de WhatsApp. Quem gera e quem espalha fake news respondem legalmente por diversos crimes, inclusive crimes contra a honra como calúnia, difamação e injúria”, explicou Ana Cláudia.

Hoje a Polícia Civil do RN investiga 81 denúncias. O cidadão pode denunciar pelo telefone 181. “Temos a delegacia de plantão, o núcleo de inteligência policial de combate a crimes cibernéticos e uma delegacia específica para casos de ofensa às medidas do decreto para contenção da Covid-19. A Polícia Civil pode autuar em flagrante os infratores, abrir inquérito policial ou termo circunstanciado de ocorrência para responsabilização civil e indenização pelo dano da conduta criminosa. As autoridades da segurança pública estaduais, federais e municipais estão unidas no combate às notícias falsas. O objetivo é proteger a saúde coletiva. O direito individual não se sobrepõe à saúde pública”.



DOAÇÕES E ENTREGAS

O Controlador Geral do Estado, Pedro Lopes, apresentou na entrevista coletiva aos veículos de comunicação as doações recebidas pelo Estado no período de 27 de abril a 5 de maio. Diversas empresas representadas pela Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) doaram 25 circuitos ventilatórios para UTIs; a Associação dos Defensores Públicos do Estado doou 450 cestas básicas (100 destinadas à Associação dos Pescadores da Vila de Ponta Negra); o Sindicato dos Auditores Fiscais doou 300 cestas básicas e materiais hospitalares em vários municípios; a Associação dos Supermercados recolheu e entregou 1,5 tonelada de alimentos, material de limpeza e higiene pessoal.

Pedro Lopes informou também a doação de uma pessoa física, o servidor público estadual Walter Bastos que, junto com sua família, fez a doação de 300 luvas, 50 protetores faciais, 150 máscaras comuns e 200 máscaras N95, de uso hospitalar, tudo no valor de R$ 3,2 mil reais.

Esta semana o Governo do RN fez a entrega de 770 cestas básicas a 770 famílias, 4 mil máscaras e 200 litros de álcool 70%. Hospitais receberam toalhas e lençóis já doados pela Coteminas, como o Hospital da Polícia Militar de Natal (300 toalhas) e o Hospital Regional de Assu, (400 toalhas e 200 lençóis). A Polícia Militar recebeu 700 protetores faciais com viseiras e 730 litros de álcool 70% foram entregues para a proteção das pessoas que trabalham na distribuição do Programa do Leite.

Ainda nesta quarta-feira, o Governo vai receber 900 mil máscaras entregues pelo grupo Guararapes que coordena a produção de 7 milhões de unidades junto a 78 oficinas de costura no interior. Amanhã será anunciado o plano de distribuição a todos os municípios.



TRANSPARÊNCIA

Pedro Lopes também confirmou a atualização no Portal da Transparência dos dados sobre as compras por dispensa de licitação para atender as demandas geradas pela pandemia. O Portal da Transparência também passa a disponibilizar a consolidação de todas as informações financeiras sobre o combate à Covid-19. “Agora em um só link está disponível todos os dados de receita e despesa da Covid. Está tudo no link www.transparenciarn.gov.br”, explicou.

Foto: Elisa Elsie.

Compartilhar