Macaíba: palmeira que foi ceifada por 20 anos, mas permanece viva


Antes de iniciar este artigo, trago um pouco sobre a explicação do conceito de analogia. A definição de analogia remete à semelhança entre coisas ou fatos, e pode ser usada em vários contextos, como jurídico, científico, linguístico e filosófico (desde que tenha por base a ideia de relação de semelhança).

Moro em Macaíba desde o meu nascimento, final de maio e início de junho de 1999. Por aqui não só nasci, mas me criei, fiz amigos e no presente crio minha família. Entre os muitos amigos que fiz, perdi vários para a criminalidade; uns foram assassinados, outros encarcerados, e alguns outros ainda trabalham a favor do crime.

Fazendo analogia a uma planta, a macaíba – ou coité –, que por muitos anos teve todos os seus nutrientes ceifados por uma má gestão, acredito que esse grande número de assassinatos é consequência  do aumento da criminalidade, que é fruto de uma cidade que ficou parada durante 20 anos, consequência de um desgoverno que pouco investiu na educação, que pouco investiu no lazer, que pouco investiu no esporte, no lazer e menos ainda na segurança pública.

Esses assassinatos são frutos de uma gestão melindrosa que conseguiu fazer Macaíba descer ladeira abaixo no ranking do IDEB, que como por exemplo, fez funcionar uma escola em baias de cavalos e entregou merenda vencida para consumo dos estudantes.

Ainda na mesma analogia, é fato informar que o atual prefeito Emídio Jr. assumiu uma imensa responsabilidade e encontrou a palmeira Macaíba repleta de frutos podres, galhos frágeis, secos e escassa de nutrientes. O processo de muda e restauração é árduo. Não dá para revitalizar uma planta que passou 20 anos tendo seus nutrientes ceifados por maus governantes, em pouco mais de 90 dias.

Por fim, parabenizo o prefeito Emídio Jr, por ter assumido a difícil missão de restaurar esta cidade e mais ainda por acreditar que ainda existe vida nesta planta que fora encontrada seca, mas não morta.

Dias melhores virão.

Por Bob Viturino

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *