Morre Marie Fredriksson, vocalista do Roxette, aos 61 anos

Foto: TT NEWS AGENCY / via REUTERS

Vocalista da dupla Roxette , a cantora sueca Marie Fredriksson morreu aos 61 anos. A informação foi confirmada pelo agente da artista. Há 17 anos, a cantora travava uma longa batalha contra o câncer.

“Você foi a amiga mais maravilhosa por mais de 40 anos. As coisas nunca mais serão as mesmas”, lamentou o guitarrista Per Gessle , seu colega no duo autor de hits como “Listen to you heart”, “Spending my time” e “It must have been love”.

O parceiro ainda escreveu sobre a perda no Twitter: ”

“O tempo passa tão rápido. Não faz tanto tempo, passávamos dias e noites no meu pequeno aparatamento compartilhando sonhos impossíveis. E que sonho nós eventualmente pudemos dividir! Eu tive a honra de conhecer o seu talento e generosidade. Todo o meu amor vai para você e sua família”, escreveu.

Per Gessle e Marie Fredriksson criaram o Roxette em 1986. Com o segundo disco, “Look sharp”, a dupla alcançou sucesso para além da Suécia. Durante os anos 1980 e 1990, a dupla virou um fenômeno graças a suas baladas românticas.

Em 2002, Marie foi diagnosticada com um tumor no cérebro após desmaiar dentro de casa. Desde então, ela lutava contra o câncer, o que a fez ficar mais distante dos holofotes. A cantora, no entanto, continuou a criar e se apresentou nos casamentos das princesas suecas Victoria, em 2010, e Madeleine, em 2013.

Em 2016, o Roxette lançou seu último disco, “Good Karma”, que obteve bons resultados comerciais. No mesmo ano, a dupla chegou a se reunir para uma turnê em comemoração aos seus 30 anos, mas parte dos shows teve que ser cancelado por causa da saúde da vocalista.

Em um comunicado oficial, os agentes da cantora detalharam a longa batalha travada por Marie:

“Em 2002, Marie foi diagnosticada com um severo tumor, recebendo um tratamento agressivo, mas que foi bem-sucedido. Graças ao seu espírito extremamente forte, em 2009 Marie foi capaz de fazer um retorno gradual aos palcos. O improvável retorno do Roxette resultou em novos discos e turnês que colocou a dupla novamente diante de plateias que sorriam, gritavam e choravam ao redor do mundo. Durante esses anos Marie foi uma incrível guerreira, superando as adversidades das turnês para se reencontrar com seus fãs nos palcos. Mas em 2016, o show finalmente acabou quando os médicos de Marie a aconselharam a parar de fazer turnês e se concentrar na sua saúde.

Marie nos deixa um grande legado musical. Sua voz incrível — forte e sensível ao mesmo tempo — e suas performances mágicas ao vivo serão lembradas por todos nós que tivemos a sorte de presenciá-las. Mas nós também vamos lembrar da pessoa maravilhosa que tinha um grande apetite pela vida, e uma mulher com um coração enorme que se importava com todo mundo que conhecia”.

Fredriksson e Gessle também se dedicaram a trabalhos solo: o último disco da cantora foi “Nu!” (2013), enquanto o guitarrista lançou este ano “Mind Control”.

O Globo

Compartilhar