OMS desaconselha uso de máscaras com válvula


Foto: Reprodução/Pixabay


A OMS (Organização Mundial de Saúde) emitiu nesta quarta-feira (2) novas recomendações sobre o uso de máscaras durante a pandemia da covid-19, que entre outras coisas, desaconselham o uso daquelas que contam com válvulas.

De acordo com o nova guia sobre a utilização do item, o usuário, seja funcionário da saúde ou integrante da população em geral, poderia exalar um ar não suficientemente filtrado.

A OMS, dessa forma, mantém a recomendação para que médicos, enfermeiros, entre outros, sigam usando as máscaras específicas, com maior capacidade de proteção e risco de contágio aéreo, como N95, FFP2, FFP3, por exemplo, em áreas de atendimento a pacientes com sintomas da covid-19.

Para o público em geral, em áreas de transmissão comunitária do novo coronavírus, a agência recomenda o uso de máscaras não médicas (por exemplo, máscaras de pano) em áreas internas como lojas, escritórios ou escolas, se uma distância física de pelo menos um metro entre os presentes não puder ser garantida.

As máscaras médicas são recomendadas, principalmente, para grupos de risco, como idosos e pessoas com doenças pulmonares crônicas, câncer, diabetes ou problemas cardiovasculares, em contextos onde a distância física de pelo menos um metro não possa ser garantida.

Finalmente, a OMS não recomenda o uso de máscaras para crianças menores de cinco anos de idade, enquanto para aquelas entre seis e 11, as decisões devem ser tomadas levando em conta diferentes fatores, como a transmissão do vírus na comunidade, capacidade das crianças de usar o aparato, ambiente social e cultural.

As mesmas recomendações são aplicadas para crianças acima de 12 anos de idade e a adultos, conclui a OMS.

Nas máscaras de pano, a organização mantém a orientação de que, idealmente, sejam feitas com três camadas: uma exterior impermeável, uma interior que permita a passagem de umidade e uma camada filtrante intermediária.

Fonte: R7

Wordpress Social Share Plugin powered by Ultimatelysocial