Parcela de R$ 400 do Auxílio Brasil será paga dia 10, diz ministro

Foto: Adriano Abreu

A primeira parcela do Auxílio Brasil de R$ 400 será paga a partir do dia 10 dezembro, segundo informou João Roma Neto, ministro da Cidadania, em entrevista à TRIBUNA DO NORTE na sexta-feira (3). Roma disse ainda que todos os beneficiários receberão os valores até o Natal. O Auxílio Brasil é o novo programa de transferência de renda do Governo Federal, que substitui o Bolsa Família. De acordo com o Ministério da Cidadania, as famílias que sacaram o Bolsa Família em outubro serão incluídas automaticamente no novo auxílio, que tem 366.585 potiguares cadastrados.

“Nós estamos empenhados hoje para viabilizar o pagamento de no mínimo R$ 400 a todos os beneficiários no calendário que começa já no dia 10 de dezembro”, afirmou o ministro João Roma. Ele também garantiu que todos os favorecidos receberão a primeira rodada do Auxílio Brasil até o período natalino. “Vamos passar o Natal com um programa mais robusto, viabilizando, portanto, melhor qualidade de vida para as famílias mais necessitadas do nosso Brasil”, completou.

O governo pretendia pagar a parcela do Auxílio Brasil retroativa a novembro, com a diferença de R$ 400 que não foi paga no mês passado, mas a ideia foi descartada. “Não há mais tempo hábil de executar esse retroativo”, disse Roma. A primeira parcela do Auxílio Brasil foi paga em novembro com os valores do antigo Bolsa Família (R$ 217 em média). Na última quinta-feira (2), o Senado aprovou a PEC dos Precatórios, principal aposta do governo para abrir espaço no teto de gastos e bancar o Auxílio Brasil.

Ainda na quinta, João Roma participou da assinatura do decreto, juntamente ao presidente Jair Bolsonaro (PL), que institucionalizou o Auxílio-Gás, também chamado de “Gás dos Brasileiros”. O projeto de lei que criou o benefício prevê o pagamento de 50% do preço médio do botijão de gás de cozinha de 13 quilos a cada dois meses. A ideia é aliviar os efeitos da alta do preço do combustível sobre o orçamento das famílias de baixa renda. O pagamento será feito para as famílias com até meio salário mínimo e para grupos familiares com integrante que recebe o benefício de prestação continuada (BPC).

“Ontem [quinta-feira] foi assinado pelo presidente Bolsonaro o auxílio-gás, que vai fazer chegar aos mais necessitados o valor correspondente ao valor médio de meio botijão de gás a cada dois meses aos mais necessitados do nosso Brasil. Estamos desenvolvendo justamente essa operação para poder chegar também o auxílio-gás aos mais necessitados”, disse o ministro da Cidadania João Roma Neto. Os programas são vistos como uma estratégia do governo na campanha pela reeleição.

O programa poderá beneficiar 1,6 milhão de potiguares. Segundo o Ministério da Cidadania, em nota, o governo federal pretende regulamentar, até janeiro, os critérios sobre quem deverá ter acesso ao benefício. Segundo a última pesquisa de preços divulgada pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), o preço médio do botijão de gás de cozinha é de R$ 107,9 no Rio Grande do Norte. A inflação acumulada nos últimos 12 meses supera os 40%.

Tribuna do Norte

Spread the love