Polícia Civil prende nove suspeitos, dentre eles, chefe do novo cangaço Potiguar


PC/ASSECOM – Policiais Civis da Divisão Especializada em Investigação e Combate ao Crime Organizado (DEICOR) deflagraram, nesta terça-feira (06) e concluíram nesta quarta-feira (07), após seis meses de investigação, a 3ª fase da Operação “1814”, que resultou nas prisões de nove pessoas; sendo três delas, de foragidos das Justiças do Acre e do RN. As diligências foram realizadas em: Natal, Parnamirim, São José de Mipibu e Pipa. Ao longo da operação, apreenderam, no município de São José de Mipibu, drogas, divididas entre “crack”, no valor de R$ 450mil, e maconha R$ 850mil, totalizando um milhão e trezentos mil reais. Na oportunidade, foi desarticulada uma organização criminosa especializada em roubo a banco, na modalidade “novo cangaço”, homicídios e tráfico de drogas, com atuação no Estado do RN.

Ao longo da operação, dois foragidos da Justiça foram presos pela DEICOR, cada um possui três mandados de prisão em aberto, sendo um deles o Erasmo Carlos da Silva Fernandes, mais conhecido como “Palmeirense”, suspeito de participar das ações do “novo cangaço”, que ocorreram: no município de Umarizal, no dia 31 de janeiro deste ano, Campo Grande, 28 de fevereiro deste ano, e Coremas (PB), 16 de setembro deste ano. Ele é egresso do Sistema Penitenciário Federal e encontrava-se foragido há mais de quatro anos.

Na ocasião, também foi presa a esposa chefe do “novo cangaço”, Patricia Silva dos Santos, 35 anos, natural de Rio Branco (AC), que está sendo investigada por resgatar o marido, “Palmeirense”, em Coremas(PB), após ele empreender fuga de uma cerco policial. Além disso, o filho dela, Keulen Wendell dos Santos Diniz, mais conhecido como “Galalau”, 20 anos, natural de Rio Branco/AC. Em desfavor de “Galalau”, havia três mandados de prisão em aberto, todos por homicídios e roubo, oriundos do Estado do Paraná.

Durante a operação, foram presos em flagrante: Mikael Diego Silva da Costa, mais conhecido como “Gudan”, 34 anos, Cleidson Cavalcanti de Lima, mais conhecido como “Uber”, 31 anos, Adonilson Ionaci de Medeiros, mais conhecido como “DOM”, 44 anos, Micheline Mendes de Medeiros, 41 anos, esposa de Adonilson. Com eles, foram apreendidos: 122 tabletes de maconha, 19kg de crack, balanças de precisão, um revólver calibre 38 com 18 munições e cinco veículos. Todo o material foi apreendido em uma granja, em Taborda, São José de Mipibu (RN).

A droga apreendida, que está avaliada em R$ 1.350.000,00 (um milhão, trezentos e cinquenta mil reais), veio de outro Estado do país. Ainda durante as diligências, foi identificado um casal que fazia parte dessa organização criminosa. Eles estavam em uma pousada, na praia de Pipa, no município de Tibau do Sul, e, do local, administravam a distribuição de entorpecentes na Grande Natal.

Na pousada, foram presos: Glenda Natalie Albuquerque de Lima, 30 anos, em desfavor dela, havia um mandado de prisão expedido, e Francisco Hugo Pereira Brandão, mais conhecido como “Hugo”, 23 anos, namorado de Glenda e também suspeito de integrar a organização criminosa. Ao longo das investigações, foi sinalizado que Glenda Natalie, “Patroa/Galega/Abençoada”, era responsável por chefiar a venda das drogas. Todos foram autuados por tráfico de drogas, associação ao tráfico, organização criminosa, posse ilegal de arma de fogo e uso de documento falso.

Eles foram conduzidos até a delegacia e encaminhados ao sistema prisional, onde permanecerão à disposição da Justiça. A Polícia Civil solicita que a população continue enviando informações de forma anônima através do Disque Denúncia 181 ou Disque DEICOR, no número: (84) 3232-2862 ou, por meio do aplicativo WhatsApp, no número: (84) 98135-6796.

Compartilhar