Projeto de extensão promove interação da Escola Agrícola da UFRN com comunidades de agricultores


A ideia é auxiliar comunidades rurais e periferias urbanas afetadas pela pandemia


Por Matheus Henrique – Comunicação EAJ

Coordenado pelo professor Tarcísio Gonçalves, o projeto de extensão “Interação EAJ e agricultura familiar: geração e ou incremento de renda com base sustentável” tem como objetivo promover uma maior interação da Escola Agrícola de Jundiaí (EAJ-UFRN) com as comunidades de agricultores familiares, possibilitando melhorar o processo de formação dos discentes a partir da troca de experiências. O projeto conta com a colaboração de Karina Ribeiro, Eduardo de Magalhães, Márcio Dias, Julie Cavignac, Cibele Soares, Aline Daniely, Gabriela da Silva, Ingrid Conceição, José Reinaldo Alves e Ana Paula Cavalheiro.

O projeto incentivará ações de comercialização direta entre produtores e consumidores, através de circuitos mais curtos e mais justos, buscando contribuir para gerar e incrementar a renda dos agricultores. Ao mesmo tempo, apoiar ações voltadas para a recuperação e revitalização de áreas alteradas, incentivando a discussão sobre formas mais saudáveis de produção e consumo de alimentos e quais os impactos sociais, ambientais e econômicos que este processo pode causar. Além disso, o projeto também vai abordar questões relacionadas ao processamento de alimentos e o quanto isso pode agregar valor na produção de alimentos.

Serão inseridos estudantes de diferentes áreas e cursos, desde o Técnico até a Pós-graduação, possibilitando a interação entre os discentes e os produtores. E segundo o coordenador do projeto, as ações colaborativas são importantes pois promovem conhecimento e contribuem no processo de formação. “Acredito que a implementação de ações colaborativas que propiciem a interação da academia com as comunidades locais, em parceria com movimentos sociais e a iniciativa privada, podem contribuir para a construção do conhecimento e a melhoria no processo de formação e aperfeiçoamento de recursos humanos, além de benefícios potenciais para a cadeia produtiva de alimentos e para a sociedade”, explica.

A pandemia causou diversos impactos nos âmbitos sociais, econômicos e ambientais, e várias comunidades foram afetadas, principalmente comunidades rurais e periferias urbanas, aumentando a situação de vulnerabilidade social dessas populações. Analisando esse contexto e pensando na perspectiva da EAJ-UFRN em contribuir socialmente para minimizar os impactos da COVID-19 nas comunidades em vulnerabilidade social e nas proximidades, o projeto de extensão foi idealizado.

O projeto será desenvolvido de forma participativa e colaborativa entre a EAJ-UFRN, o Departamento de Antropologia da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), Programa de Pós Graduação em Desenvolvimento e Meio Ambiente (PRODEMA) da UFRN, a empresa Júnior 59MIL da UFRN, o Departamento de Gastronomia da Universidade Federal da Paraíba (UFPB), a Central de Comercialização de Alimentos da Agricultura Familiar (CECAFES), o movimento social Banquetaço, a empresa privada Veritas Grupo e o Assentamento Quilombo dos Palmares. Outras parcerias estão sendo construídas com a Universidade Federal de Goiás (UFG) e o Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Goiás (IFG).

Os parceiros do projeto trabalharam em conjunto para o planejamento e execução da “Feira Solidária”, projeto de arrecadação de alimentos para comunidades carentes. Com a experiência adquirida, querem contribuir para o aprofundamento dos conteúdos abordados com a intenção de propiciar benefícios que podem contribuir para melhorar o cenário de desigualdade social, gerando possibilidades de trabalho e renda com bases sustentáveis.

Dentre os resultados esperados, está a elaboração de estudo socioambiental do Assentamento Quilombo dos Palmares, que servirá para orientar ações para estimular a produção de base agroecológica e recuperação de possíveis áreas degradadas. Além disso, é esperado que durante as atividades online, como lives no Instagram e no Youtube, sejam debatidas ações de comercialização que aproximem o produtor e consumidor e os benefícios que pode trazer para ambos, além de discutir temas que possam despertar o interesse dos produtores para o processamento de alimentos e o quanto isso pode agregar valor à produção. Espera-se ainda, promover a interação e cooperação da EAJ-UFRN com o Assentamento Quilombo dos Palmares, atendendo em torno de 47 famílias e contribuindo para o ensino-aprendizagem dos estudantes de Curso Técnicos, Graduação e pós Graduação e para a adoção de práticas de produção sustentável.

Compartilhar