RN registra aumento de suicídios em 2020; pandemia pode ser fator agravante

Foto: Ricardo Wolffenbuttel

O Rio Grande do Norte registrou um aumento de quase 10% nos casos de suicídio de janeiro a agosto de 2020 na comparação com o mesmo período do ano passado. No total, foram 166 casos de suicídio contra 151 em 2019. Os dados são da Secretaria de Estado da Segurança Pública e Defesa Social (Sesed/RN) e demonstram ainda que 131 ocorrências foram dentro de casa.

De acordo com a psicóloga Emanuelle Camelo, conselheira do Conselho Regional de Psicologia do estado (CRP-RN), os números refletem diretamente problemas gerados pela pandemia da Covid-19 e exigem atenção, já que, com a atual situação brasileira, há o favorecimento ao aumento de sofrimento psíquico advindo do isolamento social, desemprego, luto e diversas outras situações.

“É importante apontar que o suicídio é multifatorial, algo único para cada indivíduo. A maior parte dos casos de suicídio já não ocorrem mais por uma questão psiquiátrica ou um transtorno mental em si. Pessoas vítimas de violência, perdas pessoais, o luto, a pressão social, o bullying e a privação de liberdade, por exemplo, são fatores a serem considerados e em todos é importante buscar fortalecer os vínculos com a família e amigos”, afirmou Emanuelle.

Apesar da depressão ser reconhecida como “mal do século”, e comumente associada ao problema, o CRP-RN alerta que os fatores que levam ao suicídio vão além da questão psíquica dos indivíduos, dependendo também de fatores externos e das condições em que vivem, tal como o clima de incertezas gerados pelo atual momento.

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), o Brasil ocupa o 8ª lugar entre os países com mais casos. Cerca de 32 pessoas tiram a própria vida por dia, uma a cada 45 minutos.

Rede de Apoio

Para o CRP, o estado e os municípios precisam estar mais atento à temática e agir com políticas públicas pensadas a curto e longo prazo, para que haja a diminuição de casos. “É preciso promover e ampliar as políticas públicas que garantam os direitos humanos e as necessidades básicas como alimentação, geração de renda, moradia, segurança, estudo, saúde, entre outras”, disse a conselheira.

O Conselho lembra que é importante que as pessoas busquem as redes de apoio para o cuidado em saúde mental no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS), como as Unidades Básicas de Saúde (UBS), as unidades especializadas como os Centro de Apoio Psicossocial (CAPS) e para as situações mais críticas, a rede de Urgência e Emergência (SAMU) e as Unidades de Pronto-Atendimento (UPAS).

O órgão lembra ainda que a população pode procurar por serviços psicológicos online durante a pandemia, muitos também ocorrem de forma voluntária. Outro ponto importante é a procura da Assistência Social.

“A assistência social atua para prevenir e reparar violações de direitos que causam potencial adoecimento mental, e que podem levar ao ato suicida. E sobretudo, atua para prover as necessidades alimentares básicas por meio dos programas já existentes, que contribuem para minimizar o sofrimento em face das condições socioeconômicas que estão precarizadas”, afirma Rafael Ribeiro, presidente do CRP-RN e psicólogo atuante na Secretaria Municipal de Trabalho e Assistência Social (SEMTAS).

O CVV também oferece escuta 24h por dia através do telefone 188 ou pelo site.

Setembro Amarelo

Apesar de vitimar cada vez mais pessoas, o tema suicídio ainda é considerado um tabu pela sociedade. Neste sentido, o CRP-RN reforça que a campanha do Setembro Amarelo torna-se uma oportunidade para trazer a discussão sobre um tema “complexo e sensível” e que deve ser investido esforços e mudanças de forma sistemática e permanente.

Para discutir o Setembro Amarelo, o CRP-RN convoca a categoria e a sociedade. Nesta quinta-feira 10 às 19h, Dia Mundial de Prevenção ao Suicídio, a instituição realiza o lançamento da campanha “Prevenção do suicídio se faz com Garantia de Direitos e Atuação Profissional Qualificada”, no perfil de Instagram do órgão.

No dia 16, uma mesa-redonda no YouTube da instituição abordará o tema “Suicídio: Desafios e possibilidades para atuação da psicóloga(o)”, voltada aos profissionais. Já no dia 23 de setembro, também no Youtube, o CRP-RN realiza uma live aberta a sociedade com o tema “Prevenção do suicídio: Você conhece a rede de apoio?”.

“É dever do CRP abordar tal pauta para o fortalecimento de ações que visem dar suporte a prevenção ao suicídio e o cuidado à saúde mental como um todo. Não é possível pensar em saúde mental, em cuidado e acolhimento ao sofrimento psíquico sem pensar na importância da Psicologia”, assegurou a conselheira Emanuelle Camello.

Do Agora RN

Compartilhar