Setores produtivos da economia potiguar cobram fim da insegurança jurídica

Reportagem da Tribuna do Norte deste domingo destaca que no Rio Grande do Norte, empresários representantes de Sindicatos e Associações do setor produtivo alertam para os riscos gerados pela insegurança jurídica e cobram integração dos órgãos de fiscalização e controle, de defesa dos interesses sociais e individuais, bem como do Poder Judiciário para que o Estado não perca, ainda mais, empreendimentos que podem gerar empregos, renda e desenvolvimento social e humano.

“A insegurança jurídica tem que acabar. O empresário tem uma licença na mão e amanhã, porque determinado agente público questionou e desconsiderou tudo o que foi feito de estudo e de análise pelo próprio Poder Público através de Idema, Semsur, Semurb…, trava a obra. A gente quer que as leis sejam claras. Onde pode, tem que poder. Onde não pode, não pode. Só isso. A população precisa de emprego e o governo precisa arrecadar. Onde for possível construir empreendimentos, é importante que se faça. E que as análises para liberação de licenças sejam mais céleres”, declara Sílvio Bezerra, presidente do Sindicato da Indústria da Construção Civil no Rio Grande do Norte (Sinduscon/RN).

Leia a reportagem completa na Tribuna do Norte.

Via blog do BG

Compartilhar