Superlotada, UPA de Parnamirim amanhece fechada por não conseguir receber mais pacientes, diz direção

Foto: Quézia Oliveira

A Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Nova Esperança, no município de Parnamirim, na Região Metropolitana de Natal, amanheceu com as portas fechadas neste domingo (31) por conta da superlotação. Um aviso na porta trancada da unidade alertava aos que chegavam que “devido à alta demanda, a UPA se encontra impossibilitada de receber novos pacientes”.

De acordo o diretor da UPA de Nova Esperança, Henrique Costa, atualmente 26 pessoas estão internadas no local – a unidade tem capacidade para atender 19. Desse total de internados, 22 são casos suspeitos ou confirmados do novo coronavírus.

“Nesse momento nós tivemos que restringir o atendimento à população tendo em vista nós estarmos acima da nossa capacidade instalada. Nós temos capacidade instalada para atendermos aproximadamente 19 pacientes e hoje nós estamos com 26 internados”, disse o diretor.

“E 22 deles são casos confirmados ou suspeitos de Covid-19. Hoje viramos efetivamente um ambiente exclusivo para Covid-19”.

O diretor explicou ainda que não há mais balões de oxigênio na unidade, o que dificulta, além da chegada de novos pacientes, o tratamento caso algum caso dos que já estão internados tenha uma piora no estado de saúde.

De acordo com o Henrique Costa, os únicos casos que serão recebidos neste domingo na unidade são os de pediatria. Os demais pacientes que procuraram a UPA de Nova Esperança nesta manhã foram orientados a se dirigirem para o Hospital Márcio Marinho, em Pirangi do Norte, e para a UPA Nova Parnamirim.

Segundo o diretor, no entanto, a UPA de Nova Esperança deve ser reaberta para novos atendimentos já na manhã desta segunda-feira (1). Isso porque o Hospital de Campanha de Parnamirim será inaugurado e os pacientes de enfermaria da UPA serão transferidos para lá, abrindo novos leitos.

“A partir de amanhã (segunda-feira), o município estará abrindo o Hospital de Campanha, esse sim que vai nos desafogar, porque todos os pacientes que estão aqui com sintomas leves da Covid-19 serão transferidos para esse ambiente”, explicou Henrique Costa.

G1 RN

Compartilhar