Categoria: Educação

Foto: Marcello Casal Jr

Agência Brasil – O Ministério da Educação (MEC) informou que foi prorrogado por mais dois dias o prazo de inscrições para o Fundo de Financiamento Estudantil (Fies). Com a prorrogação, os estudantes interessados em participar do programa de financiamento do ensino superior em universidades privadas terão até as 23h59 de sexta-feira (14) para fazer a inscrição. O prazo inicial terminaria ontem (12).

Segundo o MEC, a data final foi estendida para dar mais prazo para os estudantes se inscreverem. Em todo o país, serão ofertadas 70 mil vagas em instituições privadas.

Os demais prazos do cronograma do Fies foram mantidos. A divulgação dos resultados será no dia 26 de fevereiro. A complementação dos inscritos pré-selecionados ocorrerá entre 27 de fevereiro
e às 23h59 de 2 de março. A convocação da lista de espera será de 28 de fevereiro até as 23h59 de 31 de março.

Os estudantes interessados podem acessar o site do Fies.

A Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) informa o novo calendário da segunda chamada do Sistema de Seleção Unificada (Sisu). A convocação dos candidatos será divulgada nesta quinta-feira, 13, e o cadastramento acontecerá nos dias 15, 17, 18 e 19 na Escola de Ciências e Tecnologia (ECT), do campus central, para os aprovados e suplentes de cursos dos campi de Natal e Macaíba.

Os convocados para o campus Caicó serão recebidos de 17 a 19 de fevereiro no Centro Regional de Ensino Superior de Caicó (CERES-Caicó), enquanto os novos alunos dos campi de Currais Novos e Santa Cruz serão atendidos nos dias 17 e 18 no CERES-Currais Novos e na Faculdade de Ciências da Saúde do Trairi (Facisa), respectivamente.

O cadastramento acontecerá das 8h às 11h30 e das 13h30 às 17h, dividido de acordo com os cursos, conforme cronograma definido em edital. Os candidatos deverão realizar o envio eletrônico prévio da documentação entre os dias 13 e 18, por meio do Portal do Candidato, onde também estão disponíveis o edital retificado, o cronograma de convocações, quadro de vagas, entre outras informações do Sisu na UFRN.

As alterações no calendário da segunda chamada ocorreram em virtude do atraso no recebimento da Lista de Espera da UFRN, que seria enviada pelo Ministério da Educação (MEC) no último dia 6 de fevereiro, e foi disponibilizada apenas na tarde da última segunda-feira, 10.

Vagas

A UFRN oferece o total de 6.933 vagas pelo Sisu para 107 cursos de graduação nos campi de Natal, Macaíba, Currais Novos, Caicó e Santa Cruz, sendo 4.649 para o primeiro semestre e 2.284 para o segundo período letivo. Mais de 4.900 vagas foram preenchidas no cadastramento dos aprovados na primeira chamada, restando cerca de 2 mil vagas remanescentes para ocupação dos candidatos inscritos na lista de espera.

Marina Gadelha – Ascom Reitoria

Foto: Marcello Casal Jr

Começam hoje (5) e vão até o dia 12 as inscrições para o Fundo de Financiamento Estudantil (Fies), programa do Ministério da Educação (MEC) destinado a financiar cursos superiores em universidades privadas para estudantes de baixa renda. Em 2020, a oferta do programa é de 100 mil vagas.

As inscrições podem ser feitas por meio do site do programa, a partir de um cadastro vinculado ao CPF.

Há duas modalidades de financiamento no atual modelo do Fies, que possibilitam juro zero a quem mais precisa e uma escala que varia conforme a renda familiar do candidato.

A oferta de vagas a juro zero é destinada a estudantes com renda familiar per capita mensal de até três salários mínimos, que tenham realizado qualquer edição do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) desde 2010 e obtido pelo menos 450 pontos de nota média. O candidato não pode ter tirado zero na redação.

P-Fies

A outra modalidade, denominada P-Fies, é destinada a estudantes com renda per capita mensal familiar de até cinco salários mínimos. Nesse caso, as condições do financiamento são negociadas com algum agente financeiro que fica responsável pelo contrato.

Para se inscrever no P-Fies, o estudante ainda precisa atender aos mesmos critérios do Fies juro zero: nota mínima de 450 pontos nas provas do Enem e não ter zerado a redação.Pelo calendário do MEC, o resultado da primeira pré-seleção do Fies será divulgado em 26 de fevereiro.

Quem não for pré-selecionado ainda pode ter uma segunda chance, ficando em lista de espera para o caso de algum estudante não confirmar a inscrição.A classificação é feita com base na nota do Enem, sendo dada preferência a quem nunca cursou nenhum curso superior. O candidato pode selecionar até três cursos de seu interesse que tenham vagas no Fies. Ler mais…

Foto: Tânia Rêgo

Terminam neste sábado (1º) as inscrições para o Programa Universidade para Todos (Prouni). Estudantes de todo o país têm até as 23h59 garantir sua inscrição. Neste semestre, serão oferecidas 251.139 bolsas.

O ProUni oferta bolsas de estudo integrais (100%) ou de 50% a estudantes de cursos de graduação e de cursos sequenciais de formação específica, em instituições privadas de educação superior. O programa tem dois critérios de avaliação: desempenho no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) e renda.

O programa é voltado para estudantes egressos do ensino médio da rede pública ou da rede particular na condição de bolsistas integrais. A iniciativa tem sistema informatizado e impessoal para garantir transparência e segurança no processo.

Regras

Para concorrer às bolsas integrais, o estudante deve comprovar renda familiar bruta mensal, por pessoa, de até um salário mínimo e meio. Para as bolsas parciais (50%), a renda familiar bruta mensal deve ser de até três salários mínimos por pessoa.

Podem se inscrever no Prouni o estudante que não tenha diploma de curso superior e que tenha participado do Enem mais recente com, no mínimo, 450 pontos de média das notas. Além disso, o estudante não pode ter tirado zero na redação.

Agência Brasil

Uma redescoberta do Brasil por meio da Educação a Distância. Na última terça-feira (28), representantes da Universidade Aberta (UAb) de Portugal assistiram às apresentações orais do professor Henrique Rocha de Medeiros, da Escola Agrícola de Jundiaí (EAJ), e da Coordenadora Pedagógica de EaD da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), Lilian Giotto Zaros de Medeiros.

O evento, realizado na sede da UAb/PT, em Lisboa, marcou o encerramento de um período de 3 meses de capacitação, dos dois docentes, na universidade portuguesa. Lilian Medeiros falou sobre a expertise da UFRN e a contribuição histórica da Secretaria de Educação a Distância para o fortalecimento da EaD no Rio Grande do Norte e no território brasileiro.

Já o professor Henrique Medeiros abordou as possibilidades de parcerias na área de pós-graduação. De acordo com ele, essa experiência serviu para identificar oportunidades de qualificação profissional, conhecer novas equipes e construir um caminho para o pós- doutorado.

Além disso, o professor da EAJ destacou que durante a capacitação pôde discutir com professores portugueses a articulação de projetos relacionados às áreas de bioestatística, sustentabilidade e desenvolvimento de aplicativos para o setor do agronegócio. A Universidade Aberta de Portugal será uma importante parceira para a execução dessas iniciativas.

Fundada em 1988, a Universidade Aberta (UAb) é a única instituição de ensino superior público a distância que atua em Portugal. Vários professores do Departamento de Ciências e Tecnologia da UAb/PT prestigiaram esse momento de fechamento de um ciclo de consolidação das relações entre educadores brasileiros e portugueses.

Entre os presentes, estavam Teresa Oliveira, Coordenadora do Departamento, Amílcar Oliveira e o professor Vitor Rocio, responsável por recepcionar durante esses meses os professores da Universidade Federal do Rio Grande do Norte.

Fonte: Bruno Cássio – Setor de Mídias da SEDIS/UFRN.

Foto: Igor Jácome

Quatro instituições de ensino superior do Rio Grande do Norte que utilizam o Sistema de Seleção Unificada (Sisu) divulgaram o calendário para os processos de cadastro e matrículas. Os resultados do Sisu foram liberados pelo Ministério da Educação no começo da noite desta terça (28). Ao total, 13.351 vagas foram disponibilizadas no estado.

A classificação dos estudantes no Sisu só ficou disponível depois de o presidente do Superior Tribunal de Justiça (STJ), ministro João Otávio de Noronha, atender um recurso do governo federal contra uma decisão da Justiça de São Paulo que vetava a divulgação dos dados. Antes de obter sucesso no STJ, um outro recurso do MEC junto ao Tribunal Regional Federal da 3ª Região (TRF-3) foi negado.

A Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) informou que o edital para ingresso nos seus cursos foi mantido, com início do cadastramento nesta quinta-feira (30). De acordo com a UFRN, os candidatos aprovados já podiam realizar o envio eletrônico prévio da documentação na quarta (29).

Segundo a Universidade Federal do Rio Grande do Norte, o procedimento do envio eletrônico da documentação vai consistir apenas na primeira etapa de cadastramento e matrícula. Os estudantes serão obrigados a fazer o cadastramento presencial e apresentar a versão original dos documentos enviados para a conclusão do cadastro.

Foram 6.933 vagas ofertadas para 107 cursos de graduação nos campi de Natal, Macaíba, Currais Novos, Caicó e Santa Cruz. Destas, 4.649 vagas são para o primeiro semestre e 2.284 para o segundo período letivo.

A Universidade Federal Rural do Semi-Árido (Ufersa) começou nesta quarta (29) o cronograma de entrega da documentação. Segundo a Ufersa, os selecionados devem comparecer no campus no qual está ofertado o curso, conforme o dia e horários estabelecidos na programação prevista no edital. Ler mais…

Os pesquisadores Elson Longo e Valéria Longo iniciaram uma série de visitas e reuniões no estado na manhã desta segunda-feira, 27, quando conheceram o projeto do Parque Científico Tecnológico do Rio Grande do Norte Augusto Severo (PAX). A assessora especial do gabinete da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) que coordena o projeto do Parque, ngela Maria Paiva Cruz, e o diretor da Agência de Inovação (AGIR), Daniel de Lima Pontes, defenderam que a conjunção de fatores como os projetos estratégicos definidos pela UFRN para o próximo decênio, a infraestrutura construída disponível e a qualificação dos docentes são diferenciais.

Angela Paiva detalhou ainda que a ideia é que o Parque Científico e Tecnológico esteja voltado principalmente para as áreas de Energias, Reabilitação em Saúde e Indústria 4.0. Durante a exposição, na Sala de Reuniões da Secretaria de Relações Internacionais (SRI), Daniel Pontes pontuou que já existe uma área construída de 15 mil metros quadrados, que será adaptada para este tipo de projeto de fomento ao desenvolvimento de inovação, com a integração entre o setor produtivo e a universidade. No local, haverá centro de inovação, incubadora multissetorial, aceleradora, agência de inovação e um Health Tech Lab. Além disso, as empresas que se instalarem na área vão contar com incentivos fiscais, relacionamento com os pesquisadores e outras condições adequadas ao desenvolvimento tecnológico.

Doutor em Físico-Química pelo Instituto de Física da USP-São Carlos, Elson Longo publicou mais de mil artigos em revistas internacionais e gerou mais de 850 trabalhos em congressos. Atualmente, é Diretor do Centro para o Desenvolvimento de Materiais Funcionais da Fapesp e mantém forte intercâmbio com instituições nacionais e internacionais de pesquisa na Espanha, França, EUA e Itália. “É interessante termos o cultivo ao empreendedorismo inserido neste projeto, por isso a importância das startups”, colocou. Ambos pesquisadores são vinculados à Universidade Federal de São Carlos (UFSCar) e serão recebidos pela governadora Fátima Bezerra na manhã desta terça-feira, 28, logo após visita às instalações do PAX. Além disso, na quinta-feira e na sexta-feira, 30 e 31 respectivamente, proferem palestras para os alunos e docentes dos programas de Química e de Ciência e Engenharia de Materiais e também para os alunos de Ciências Farmacêuticas e Desenvolvimento e Inovação em Medicamentos.

Parque Científico e Tecnológico do Rio Grande do Norte Augusto Severo (PAX)

Localizado na cidade de Macaíba/RN e com uma área prevista de 50 hectares, o Parque Científico e Tecnológico do Rio Grande do Norte Augusto Severo (PAX) está inserido em um ambiente de inovação proveniente da parceria entre Instituições Científicas, Tecnológicas e de Inovação/ICTs, Governo do Estado do Rio Grande do Norte, Federação das Indústrias, Federação do Comércio, Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas e prefeituras da Região Metropolitana de Natal. O Parque Científico e Tecnológico Augusto Severo contará também, em seu ecossistema, com incubadora e aceleradora de empresas, oferta de serviços de propriedade intelectual por meio da Agência de Inovação da UFRN e de diversos laboratórios de pesquisa e inovação das ICTs associadas.

Wilson Galvão de Ascom AGIR

As transformações que ocorrem causadas pelo advento da automação, sobretudo neste século XXI, muitas vezes não estão visíveis para grande parte das pessoas que não convivem no ambiente de fábricas e indústrias, apesar de ser uma tendência perceptivel na crescente automatização dos bancos, do comércio e das empresas em geral. Uma tecnologia desenvolvida na Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), denominada Controlador PID não linear por modelo de referência, permite aumentar a eficiência de processos como esses, desde a agricultura, passando pelas empresas de alta tecnologia, indústria aeroespacial, automotiva, alimentar, têxtil e indústria médico hospitalar, até pequenas atividades da comodidade urbana como a automação residencial e principalmente nas atividades do futuro, como a Internet das Coisas (IoT) e a indústria 4.0.

Um dos cientistas autores da invenção, Samaherni Morais Dias, explica que o controlador PID não linear por modelo de referência é um sistema de controle automático para atuar no controle de processos industriais. Diferenciando do atualmente existente, o professor da UFRN coloca que o controlador possui estrutura semelhante ao mais amplamente utilizado na indústria, porém com a vantagem de reduzir a complexidade do cálculo dos parâmetros utilizados e pelo fato de ser mais resistente às oscilações dos processos industriais.

“Não necessitar do conhecimento dos parâmetros do processo é também um grande avanço. O conhecimento exato dos parâmetros do processo é necessário para que se possa calcular os parâmetros do controlador PID tradicional. Porém, esse conhecimento exato é quase impossível, o que obriga realizar ajustes nos parâmetros do controlador tradicional de forma empírica e totalmente dependente da experiência do projetista. Utilizando a abordagem tradicional, raramente o controlador fica em seu melhor ajuste, o que implica em perdas nos processos industriais. Para além disso, muitos desses parâmetros se alteram com o tempo, o que obriga as indústrias operarem com os controladores desregulados ou mantendo operadores para constantemente ajustar os parâmetros dos controladores PID tradicionais”, pontuou Samaherni Dias que, ao lado dos cientistas Kurios Iuri Pinheiro de Melo Queiroz e Aldayr Dantas de Araújo, desenvolveu o invento no âmbito do Programa de Pós-Graduação em Engenharia Mecatrônica da UFRN.

Os pesquisadores citaram como exemplos de aplicação situações conexas ao controle de dispositivos hidráulicos, dispositivos pneumáticos e da manufatura, bem como, no controle de pistão pneumático ou hidráulico nas linhas de montagem das mais diversas indústrias. A pesquisa resultou em um depósito de pedido de patente no mês de dezembro de 2019, o 31º da UFRN no ano, o que o igualou aos anos de 2017 e 2015 como períodos recordistas neste aspecto, segundo relatório da Agência de Inovação (AGIR) da UFRN.

De acordo com o diretor da Agência, Daniel de Lima Pontes, o invento passou por uma análise no que diz respeito a aspectos como novidade, capacidade inventiva, aplicação industrial e suficiência descritiva, necessários para a solicitação de patenteteabilidade. As orientações e explicações a respeito dos aspectos para patentear uma determinada invenção são dadas na própria AGIR, unidade localizada no prédio da Reitoria, ou através do e-mail patente@agir.ufrn.br. Daniel Pontes frisou que o depósito já permite que a tecnologia esteja disponível para o setor produtivo aproveitá-la para melhorar seus processos e fluxos de trabalho. “Inclusive com a reestruturação da AGIR, temos um setor especificamente para facilitar a transferência das tecnologias, o qual realiza atividades de planejamento e promoção de ações para estimular o licenciamentos de tecnologias da UFRN”, afirmou o diretor.

ASCOM – Agência de Inovação/UFRN

Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom

O Ministério da Educação informou hoje (21) que o processo que pontua as redações do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) é diferente da correção das questões objetivas. Por isso, de acordo com o ministério, as notas dos textos não serão prejudicadas pelas inconsistências na correção das provas objetivas. O MEC informa também que cinco mil avaliadores são responsáveis pela correção manual das redações.

Todas as redações são avaliadas por dois professores em plataforma online, com texto sem identificação. Um professor não tem acesso a nota atribuída pelo outro. Quando a discrepância das notas é superior a 100 pontos, no total, ou 80 pontos em uma das cinco competências avaliadas, um terceiro professor faz a correção. A nota final é a média aritmética das duas notas totais que mais se aproximam.

Caso a inconsistência persista após a análise do terceiro professor, a redação é corrigida por uma banca de professores especializados. Eles têm poder decisório para definir a nota final.

A redação do Enem 2019 avaliou cinco competências: domínio da escrita formal; desenvolvimento do tema em estilo dissertativo-argumentativo; relacionar, organizar e interpretar informações e argumentos em defesa de uma opinião; conhecimento de mecanismos linguísticos para construir a argumentação; e elaboração de proposta de intervenção para o problema proposto, com respeito aos direitos humanos.

A nota máxima prevista é mil. Textos com até sete linhas ou que fugiram ao tema estão entre os critérios para zerar a redação. Os participantes que tiverem dúvidas em relação às notas das questões objetivas, podem entrar em conato com o Inep, pela central 0800-616161.

Agência Brasil
*Com informações do Ministério da Educação

Foto: Divulgação

SEEC/ASSECOM – Professores da rede pública de ensino interessados em cursar licenciaturas na área em que atuam podem cadastrar seus dados na plataforma da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) até o dia 31 deste mês.

O processo de cadastro é destinado somente aos educadores em exercício e deve ser realizado na Plataforma CAPES de Educação Básica. O objetivo da ação é mapear, em todo território nacional, os educadores que necessitam adequar sua formação ao que está determinado pela Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (LDB).

As informações prestadas pelos professores irão orientar o planejamento dos programas de formação inicial de professores da educação básica, previstos a serem implementados este ano. Além disso, o processo também pretende identificar aqueles educadores que possuem interesse em cursar uma especialização.

A análise e validação das informações apresentadas no preenchimento do cadastro – que consiste em formulários sobre formação e atuação profissional – será realizada pelas Secretarias de Educação às quais os professores participantes estão vinculados.

A validação das informações dadas pelas Secretarias e a manifestação de interesse dos participantes ainda não garantem a oferta dos cursos. Contudo, a ação serve como norte para o atendimento gradual das demandas identificadas com o mapeamento.

Para mais informações sobre o processo confira o Manual do Usuário ou o Tutorial para registrar interesse.

O Sistema de Seleção Unificada (Sisu) abre amanhã (21) o calendário dos processos seletivos federais que usam o Enem como critério de seleção. Neste semestre, o Sisu vai ofertar 237 mil vagas em 128 instituições de ensino superior públicas. O prazo para se inscrever vai até sexta-feira (24).

Para participar do Sisu, é preciso ter feito o Enem 2019 e ter tirado nota acima de zero na prova de redação. Na hora da inscrição no processo seletivo é preciso informar o número de inscrição do Enem e a senha atual cadastrada na Página do Participante.

A nota do Enem está disponível desde sexta-feira (17) tanto no aplicativo, quanto na própria Página do Participante. É preciso informar o CPF e a senha cadastrada na hora da inscrição. Caso o candidato tenha esquecido a senha, pelo próprio sistema é possível recuperá-la.

É essa senha que deve ser usada na hora da inscrição no Sisu. O número de inscrição, que é solicitado também para participar da seleção, está disponível para cada estudante na Página do Participante. Ler mais…

Hoje (17), os quase 4 milhões de participantes do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2019 poderão consultar os resultados das provas. Os estudantes terão acesso à nota da redação e à pontuação de cada uma das quatro áreas de conhecimento: linguagens, ciências humanas, ciências da natureza e matemática.

As notas estarão disponíveis na Página do Participante e no aplicativo do Enem. É preciso fazer o login com o CPF e a senha cadastrada. Quem esqueceu a senha, pode recuperá-la pelo próprio sistema. Saiba como recuperar a senha.

Agora os estudantes terão acesso apenas à nota que obtiveram na redação. O espelho da prova, que contém detalhes da correção dos textos, será divulgado em março, 60 dias após a divulgação do resultado individual. As notam não cabem recurso.

Os chamados treineiros, aqueles que fizeram o exame apenas para testar os conhecimentos, terão que esperar mais um pouco, as notas desses participantes serão divulgadas também em março. Esses candidatos não poderão usar o Enem para concorrer a vagas no ensino superior pelos programas federais.

Agência Brasil

Foto: Marcello Casal Jr

Amanhã (17), os quase 4 milhões de participantes do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2019 terão acesso às notas que obtiveram na avaliação. Para acessar os resultados é preciso informar, na Página do Participante o CPF e a senha cadastrados na hora da inscrição no exame.

Desde já, os estudantes podem se preparar para conferir as notas. Aqueles que não lembram a senha, podem recuperá-la no próprio sistema. É possível acessar o resultado também pelo aplicativo do Enem.

Para acessar as notas na Página do Participante, o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), responsável pela aplicação do exame, divulgou um passo a passo:

Ao entrar na página, logo aparece a Nanda, uma personagem digital com uma pergunta. Para avançar, é preciso responder ao desafio. Isso é feito para evitar o acesso de robôs.

Em seguida, os estudantes devem informar o CPF e inserir a senha. Caso não se lembrem da senha, basta clicar no link “Esqueci minha senha”, que está logo abaixo do campo de preenchimento.

O sistema vai, então, pedir para o usuário escolher se a senha cadastrada será enviada para o e-mail registrado durante a inscrição ou se quer alterar o e-mail. O sistema dá uma pista para que o participante se lembre de qual e-mail foi cadastrado durante a inscrição. Ler mais…

Um novo combustível, com emissões mais limpas quando comparado com o diesel mineral, desenvolvido através de um processo de formulação que requer um curto tempo de preparação e que utiliza materiais de baixo custo, é o resultado da pesquisa desenvolvida na Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) pelos pesquisadores Tereza Neuma de Castro Dantas, Manoel Reginaldo Fernandes, Eduardo Lins de Barros Neto, Igor Micael Alves Uchoa e Afonso Avelino Dantas Neto. Com o título de Formulação de Combustíveis Microemulsionados a Base de Diesel Glicerina, o estudo resultou também na obtenção da 21º carta-patente da UFRN, no mês de dezembro. Um dos cientistas responsáveis pela descoberta, Igor Micael Alves Uchoa, explica que a eficiência enérgita similar, com ganho da lubricidade e das emissões, são atrativos para a utilização da nova formulação.

“A patente consiste em uma nova formulação de um combustível diesel, com a inserção de glicerina, fruto de resíduo do atual processo de formulação. Em linhas gerais, ao parar em um posto de combustível, um ônibus ou caminhão, por exemplo, abastece com um combustível que é formado por 90% de diesel mineral e 10% do biodiesel. O biodiesel, no seu processo de produção, após a reação entre um óleo ou uma gordura de origem vegetal ou animal, gera o biodiesel em si e a glicerina, normalmente também em uma proporção de 90% e 10%. Então, com a nossa formulação, há uma destinação para esse resíduo, pois devolvemos a glicerina para ser aproveitada, sem descarte”, explicou Igor Uchoa, que desenvolveu a pesquisa durante o Mestrado em Engenharia Química na UFRN e que recentemente concluiu o doutorado no mesmo Programa de Pós-Graduação em Engenharia Química. Ele deu outros detalhes em vídeo disponibilizado no endereço https://www.instagram.com/tv/B7GP38FgzD6/.

Atualmente lecionando no Instituto Federal da Bahia, ele pontuou que o mercado já não consegue absorver essa glicerina fruto do processo, apesar de aplicação na indústria de cosméticos e alimentícia. Para ele, a pesquisa se encaixa justamente em dois pontos: dar um destino à glicerina e melhorar o combustível mineral, no caso o diesel. Igor Uchoa acrescentou que as indústrias automobilísticas e distribuidoras de combustível são potencialmente interessados neste processo, haja vista que, de acordo com a nova legislação, até 2023, o percentual de biodiesel no diesel terá incremento de 50% em relação aos números atuais. “Portanto, haverá um grande crescimento da demanda, sobretudo na hipótese concomitante de crescimento econômico. Solucionando os inconvenientes no descarte do excesso de glicerina gerada na produção do biodiesel, casado com o aumento da qualidade lubrificante e emissão de poluentes menor, há condição de puxar o preço para baixo com a utilização destes outros componentes”, colocou.

Em função dos resultados promissores da nova tecnologia, o diretor da Agência de Inovação (AGIR) da UFRN, Daniel Pontes, pontuou que a equipe da unidade buscará transformar a tecnologia em produto rentável, disponibilizando-o para uso e benefício da sociedade, através do investimento da iniciativa privada. Sobre o procedimento para o processo de patentear, o diretor acrescentou que podem ser patenteados invenções que atendam requisitos de novidade, atividade inventiva e aplicação industrial, bem como modelos de utilidade que sejam objeto de uso prático, ou parte deste, e que seja suscetível de aplicação industrial. Ler mais…