Comitê Científico do Nordeste recomenda ‘lockdown’ em Natal e Mossoró


Foto: ilustrativa/Redes sociais/Reprodução 


O Comitê Científico do Nordeste divulgou um boletim recomendando a determinação de ‘lockdown’ para Natal e Mossoró e outras quatro cidades da região. O grupo tem sido fonte de consulta para a governadora Fátima Bezerra (PT) realizar ações de combate ao novo coronavírus, conforme dito em entrevista para o Jornal 96 no dia 29 de abril.

“A sinalização quem vai me dar é o comitê científico. Eu não vacilo, nunca vacilarei. Em primeiro lugar está a saúde, preservar a vida do povo do Rio Grande do Norte”, afirmou a governadora na ocasião.

De acordo com o Comitê, cidades de quatro estados do Nordeste estão em condições para adotar restrições mais rígidas, conforme observado nas capitais de São Luiz (MA), Fortaleza (CE) e na área metropolitana do Recife (PE). A indicação de medidas mais restritivas é vista como necessária também em João Pessoa e Campina Grande (Paraíba), além de Arapiraca e São Miguel dos Campos (Alagoas), cidades com curvas ascendentes de casos e mais de 80% de ocupação dos leitos de UTIs e enfermaria. Salvador (Bahia) está no limite de ocupação que gera a recomendação, ou seja, 80% dos leitos de UTIs ocupados.

“O Comitê julga que as condições para o lockdown, já utilizado em diferentes formatos em São Luiz, Fortaleza e na área metropolitana do Recife, também já se fazem presentes na área metropolitana de João Pessoa (83-88% de ocupação de leitos de UTI nas últimas 48h) e em Campina Grande (83% de ocupação de leitos de UTI), no estado da Paraíba, nas cidades de Mossoró e Natal, no estado do Rio Grande do Norte e nas cidades de Arapiraca (85-92% dos leitos de enfermaria ocupadas nas últimas 48h) e São Miguel dos Campos (91% dos leitos de enfermaria ocupados) no estado de Alagoas. Salvador, na Bahia, chegou no limite ao atingir 80% dos leitos de UTI ocupados no dia 20 de maio. Esta é uma recomendação científica para os governadores e prefeitos dos estados e cidades supracitados, cabendo a esses gestores decidir pela sua implementação ou não”, destaca o boletim.

Fonte: Portal Nominuto.com

Confira matéria AQUI

Compartilhar