Deputado pede ao Governo para regulamentar lei aprovada há mais de um ano

O deputado Kelps Lima (SDD) lembrou, na sessão desta quarta-feira (27), na Assembleia Legislativa, do assassinato ocorrido na terça-feira (26), do sargento da reserva da Polícia Militar Genival Quirino de Oliveira Jr., de 56 anos. O policial estava dentro de casa no bairro Cidade da Esperança, de onde tentou evitar um assalto a uma mulher por uma dupla em moto. Ao atirar no bandido e errar o alvo, o sargento foi atingido por um tiro na cabeça e perdeu a vida.

“Uma vez eu fui questionado porque apresentei voto de bravura para um policial que matou um bandido e eu respondi que era porque eu não queria apresentar um voto de pesar pela morte de um policial, e hoje eu apresento um voto de pesar”, justificou Kelps, afirmando que policial é policial 24 horas por dia.

O presidente da Assembleia Legislativa, Ezequiel Ferreira (PSDB), que presidia a sessão, se solidarizou às palavras do deputado Kelps Lima em relação à morte do Sargento Quirino. “Me solidarizo pela perda do policial que estava em sua casa, mas em defesa da sociedade tentou reagir e teve a vida ceifada”, disse Ezequiel.

O deputado Kelps Lima aproveitou o discurso para solicitar ao Governo do Estado assistência à família do policial morto, e mais uma vez, à governadora Fátima Bezerra, a regulamentação da lei de sua autoria, que dispensa o policial de pagar ICMS na compra de uma arma. “Peço pelo amor de Deus que a governadora regulamente a lei aprovada por esta Casa há mais de um ano”, disse o deputado, afirmando que em três meses de Governo esse já é o terceiro pronunciamento que faz cobrando a regulamentação da lei que beneficia policiais militares, civis, bombeiros e agentes penitenciários.

Compartilhar