Escola Agrícola de Jundiaí trabalha para implantar modelo de gestão de resíduos orgânicos

Desde 2012, o Grupo de Estudos em Solos (GESOLO) vem trabalhando com a temática “Gestão de Resíduos Orgânicos”, iniciando as atividades a partir da implantação do Setor de Compostagem da Escola Agrícola de Jundiaí. Essa preocupação se deve, principalmente, em função de órgãos e entidades da administração pública federal direta e indireta terem como obrigatória a separação de resíduos recicláveis descartados, na fonte geradora, e a sua destinação às associações e cooperativas dos catadores de materiais recicláveis, a partir da Lei 12.305/2010 (Política Nacional de Resíduos Sólidos).

Dentre as várias formas de reciclagem dos resíduos orgânicos pode- se destacar o processo de compostagem como uma das mais eficientes em se obter o composto orgânico, produto final deste processo. A gestão de resíduos pode reduzir milhares de toneladas de lixo enviados para os lixões e/ou aterros sanitários, atenuando a poluição da água e do solo, efeito estufa, servindo como um exemplo para inspirar o pensamento ambiental consciente por parte da sociedade.

Destaca-se a oportunidade de a Universidade servir de exemplo, contribuindo com a gestão de resíduos fora do ambiente universitário, como Associações Comunitárias e Escolas de ensino fundamental e ensino médio. Portanto, o presente trabalho terá como objetivo ampliar, acompanhar e implantar a gestão de resíduos orgânicos em diferentes ambientes: Universitário (EAJ-UFRN), Comunitário (Associação de moradores) e Escolar (Escola Municipal Luiz Carlos Guimarães), por meio do processo de compostagem.

Sendo assim, o referido projeto busca viabilizar o gerenciamento de resíduos de maneira correta como determina a Lei 12.305/2010 (Política Nacional de Resíduos Sólidos) “a gestão de resíduos precisa assegurar o reaproveitamento e reciclagem máximos, bem como a redução dos rejeitos — que são os materiais que não apresentam viabilidade técnica e econômica para o processo de reciclagem. Cada gerador se responsabiliza pelos resíduos produzidos, os quais devem ser segregados na fonte.” E com isso, minimizar os efeitos negativos dos mesmos no meio ambiente.

O Projeto encontra- se em sua fase inicial, no levantamento de dados quantitativos e qualitativos dos resíduos gerados pelos diversos setores da EAJ-UFRN, que posteriormente serão utilizados para continuidade das outras fases (Implantação e Manutenção) do projeto.

O principal objetivo é ampliar, acompanhar e implantar a gestão de resíduos orgânicos gerados pela comunidade acadêmica da EAJ-UFRN. Diz o Aluno de Engenharia Agronômica Francisco de Oliveira: “Além disso, foi estruturado um curso sobre compostagem de resíduos orgânicos e coleta seletiva, bem como materiais didáticos como folders e cartilhas informativas, que serão apresentados aos alunos da graduação, funcionários (EAJ-UFRN e terceirizados) que trabalham em setores geradores de resíduos (orgânicos, recicláveis e não recicláveis). Estão sendo realizadas visitas aos setores e checagens em cada um deles” conclui o estudante.

Levando-se em consideração o ciclo de vida dos produtos, a produção limpa, e a sustentabilidade, a gestão de resíduos surge como uma oportunidade de contribuir com a qualidade na separação e na destinação adequados resíduos, reduzindo os danos ao meio ambiente e à saúde pública. Como também, dar subsídio para a elaboração do Plano de Gerenciamento dos Resíduos Sólidos (PGRS) a partir da identificação do tipo e quantidade de cada resíduo gerado, indicando as diversas formas ambientalmente corretas para o manejo, acondicionamento, tratamento, transbordo, transporte, reciclagem até a sua destinação final.

Fazem parte da ação professores, alunos, participantes do Grupo de Estudos em Solo, bolsistas e alunos voluntários, funcionários (EAJ-UFRN e terceirizados) que trabalham em setores geradores de resíduos (restaurante universitário, centro de convivência e outros setores existentes na Escola Agrícola de Jundiaí) e Departamento de Meio Ambiente do Campus Central, bem como Professores da Escola Municipal Luiz Carlos Guimarães (Nova Parnamirim/Parnamirim) e da Escola Municipal Mário Pinheiro da Silva (Ceará Mirim).

A Equipe é formada também pelos professores Dr. Gualter Guenther e Dr.ª Ermelinda Oliveira (Coordenadores do Projeto); Marcelo Dantas (FIERN – Colaborador); Anderson Patrício (Eng. Agrônomo – Colaborador); Roan Medeiros (Eng. Civil – Colaborador); Clélia Regina (Aluna Eng. Agronômica – Bolsista de extensão); Anderson Thulio (Aluno Eng. Agronômica – Bolsista); Francisco Luciano (Aluno Eng. Agronomica – Voluntário); Francisco Rolemberg (Vice-Presidente da COOPEAJ); Sara Queiroz (Aluna do Ensino Técnico – Presidente do Grêmio).

Por Fernanda Macedo – Com supervisão da Comunicação EAJ

Compartilhar