‘Escola é ambiente com alto risco de infecção’, diz médica do comitê científico do RN

Foto: Arthur Barbalho/Lais/UFRN

G1 RN – Antes do final de agosto, o comitê científico do Rio Grande do Norte não terá condições de apontar uma possível data para retorno das aulas presenciais de forma segura no Rio Grande do Norte. Isso é o que garante a médica infectologista e professora da UFRN, Marise Reis, que faz parte do grupo de pesquisadores que assessora o governo do estado nas tomadas de decisão sobre a pandemia da Covid-19 e recomendou o adiamento da volta às aulas presenciais, que era prevista para agosto. A decisão final sobre o processo de reabertura das atividades, no entanto, cabe à administração estadual.

Para a profissional, além de as escolas serem um ambiente com “alto risco de infecção”, o estado não tem capacidade atual para atender a uma possível demanda de leitos para crianças com casos graves de Covid-19. Por mais que sejam raros, os casos poderiam ser mais numerosos com o retorno de cerca de 800 mil alunos à sala de aula, somente no ensino básico. “Ao trazer esse contingente grande para exposição ao vírus, eu vou trazer um evento que é raro. Mas na hora que eu tenho um grande número exposto, eu posso ter um número razoável de casos que precisem de suporte de saúde”, considerou.

Nós precisamos de uma rede de saúde adequada para cuidar de crianças graves. E nós não temos isso no Rio Grande do Norte hoje. O estado se preparou montando leito de terapia intensiva para adultos, e está bem suprido, mas não tem para crianças.

— Marise Reis, professora de Infectologia da UFRN

A volta às aulas presenciais após praticamente cinco meses de suspensão, foi um dos temas mais comentados, ao longo da semana, no estado. Na quarta-feira (29), o governo do estado apontou o adiamento do prazo previsto inicialmente para o dia 17 de agosto. No mesmo dia, a Prefeitura de Natal marcou data para a volta as aulas e depois recuou da decisão. No dia seguinte, o comitê científico apresentou o parecer contrário à reabertura, após reunião realizada também na quarta (29).

Confira a entrevista completa AQUI.

Compartilhar