Fábio Faria defende oposição unida para escolha do candidato ao governo

Foto: Magnus Nascimento

O ministro das Comunicações, Fábio Faria, afirma que tem, neste fim de semana e na segunda-feira, uma série de conversas com lideranças da oposição ou que podem aderir a uma articulação contrária à reeleição da governadora Fátima Bezerra. Nos diálogos, pretende fazer uma convocação para a unidade em busca de um nome que agregue e unifique quem estiver disposto a integrar essa aliança política. “Estou fazendo uma convocação das oposições a Fátima Bezerra no Estado para que a gente saia com um nome. Neste fim de semana, vou ter várias conversas, e na segunda-feira também, para que a gente possa buscar um nome”, disse o ministro. Ele está convicto de que, com essa unidade, a oposição terá possibilidade de sair vitoriosa na campanha eleitoral.

Fábio Faria é enfático nas críticas à governadora: “Deixou as crianças um ano e meio sem estudar. Ela é professora. O Hospital Walfredo Gurgel é um caos. Todo dia há assassinatos, mortes, explosão de farmácias. Vejo que o governo fechou as portas para o Brasil todo. Não vejo ninguém conversando com o Rio Grande do Norte”, diz.

Nesta entrevista, o ministro também faz projeções sobre a implementação do 5G e aponta as perspectivas eleitorais, na avaliação dele, do presidente da República.

O senhor tem apresentado projetos pilotos no Ministério das Comunicações, mas como está a implementação efetiva do 5G no país?

Agora estamos limpando a faixa de 3.5, que tem parabólicas e montamos um grupo na Anatel desde dezembro do ano passado. Na faixa do 5G, quando estiver aberta e pronta entre maio e junho, a implementação vai chegar de uma vez só, porque, em poucos dias, as operadoras colocam todas as antenas em funcionamento. A Brisanet garantiu que vai cobrir Natal inteira, Macaíba, Parnamirim e São Gonçalo do Amarante. Até julho deste ano, a gente precisa ter 5G nas capitais brasileiras, só que Natal ia receber em alguns bairros, mas como essas operadoras novas ganharam na licitação, para a Brisanet não faz sentido cobrir Ponta Negra, Tirol e Cidade Alta, aí quem vai para Lagoa Nova não pega. Então, as operadoras, ao invés de fazerem o que consta o edital para cumprir o número mínimo de cobertura por habitantes, vão fazer Natal inteira, porque a Brisanet vai virar uma operadora e quer que funcione Natal e Grande Natal, porque para quem comprar o serviço e quiser sair da Claro, da Vivo e da TIM, já pega em todo canto. Por outro lado, outras operadoras vão ter de fazer cobertura para não perder o cliente, porque caso contrário 5G vai ser somente a Brisanet.

Confira mais na íntegra aqui.

Tribuna do Norte

Spread the love