Novembro Azul terá ações de prevenção para a Saúde do Homem


SESAP/ASSECOM – Todos os anos o movimento Novembro Azul busca alertar os homens da importância do diagnóstico precoce do câncer de próstata. Este ano, o Ministério da Saúde pretende também chamar a atenção para os cânceres de pênis e boca, que vem aumentando sua incidência relativa geral.

A Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap), através da coordenação de Saúde do Homem, vem trabalhando a prevenção do câncer de próstata, pênis e boca de forma alinhada à Política Nacional de Atenção Integral à Saúde do Homem e seus eixos temáticos de maneira contínua na população masculina.

Durante todo o mês de novembro serão realizadas ações com o objetivo de estimular o homem a superar preconceitos em relação aos cânceres de pênis, próstata e boca e compreender a importância de buscar avaliação médica, sem atraso, se perceber sinais e sintomas suspeitos desses cânceres.

No Rio Grande do Norte, de 2014 a 2018, a taxa bruta de mortalidade, por 100.000 homens foi de 16,42 para o câncer de próstata, 4,22 para o câncer de boca e 0,48 para o câncer de pênis. O câncer de próstata surge como a primeira causa de morte (271 óbitos) em homens no RN, com 15,41%, seguido do câncer de brônquios e pulmões (199 óbitos).

De acordo com o Instituto Nacional do Câncer (INCA), a incidência para o triênio 2020-2022 aponta, em homens, o câncer de próstata com 29,2% de incidência, seguidos dos de cólon e reto (9,1%), pulmão (7,9%), estômago (5,9%) e da cavidade oral (5,0%).

Câncer de pênis

Tumor raro, maior incidência em homens a partir dos 50 anos. No Brasil, esse tipo de tumor representa 2% de todos os tipos de câncer que atingem o homem, sendo mais frequente nas regiões Norte e Nordeste e tem apresentado aumento de sua incidência relativa geral.

Entre 2018 e 2019, ocorreram mais de duas mil mortes e aproximadamente 3 mil amputações por Câncer de Pênis, sendo 50%, em média, dessas cirurgias realizadas nas regiões Norte e Nordeste.

Ligado à baixas condições socioeconômicas e educacionais, além da má higiene íntima. Estudos científicos também sugerem associação entre a infecção pelo vírus HPV (papilomavírus humano) e o câncer de pênis.

Câncer de boca

Incidência mais comum acima de 40 anos.

No Brasil, em 2017 ocorreram 4.923 óbitos em homens e 1.372 óbitos em mulheres, correspondendo ao risco de 4,88/100 mil homens e 1,33/100 mil mulheres.

Fatores de risco comuns a outras neoplasias e doenças crônicas de um modo geral, estão o fumo e o álcool, de modo que o câncer de boca também pode ser evitado.

Câncer de próstata

Risco estimado de câncer de próstata ocupa a 1ª posição no país (sem considerar os tumores de pele não melanoma) em todas as regiões brasileiras com um risco de 72,35/100 mil na Região Nordeste;

Câncer da terceira idade cerca de 75% dos casos no mundo ocorrem a partir dos 65 anos
Em 2018, o câncer de próstata foi considerado a segunda causa de morte em homens, no Brasil, com 15.576 óbitos (13,3%), e o câncer de traqueia, brônquios e pulmão representou a principal causa com 16.371 óbitos e 13,9% (INCA, 2020).

Entre os fatores de risco para diversas outras neoplasias, a genética e o estilo de vida têm sido apontados como os principais, seguidos pela obesidade em estágio adiantado e a exposição a componentes químicos industriais como arsênio, componente de agrotóxicos, e fuligem.

Compartilhar